Nas Olimpíadas, vacinação é recomendada também para brasileiros

Myrna Campagnoli, diretora médica do Frischmann Aisengart, é quem faz o alerta

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as Olimpíadas do Rio, que acontecerão de 05 a 21 de agosto, é um cenário propício para a disseminação de doenças, apesar de muitas delas já não serem frequentes na região há anos.

De acordo com Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengarte, para os torcedores brasileiros, a vacinação é recomendada para evitar doenças disseminadas durante as aglomerações. A médica explica que há formas de contaminação variadas, como por meio de secreções, ingestão de alimentos ou líquidos contaminados, picadas de insetos e contato com ferimentos na pele. “Sabendo disso, podemos dimensionar como pode ser fácil contrair uma doença quando há uma grande migração de pessoas para um mesmo lugar, sobretudo se considerarmos um local repleto de pessoas oriundas de locais distantes”, diz ela, reforçando que indivíduos de outras localidades podem transportar germes que não são comuns no Brasil.

Myrna explica ainda que algumas situações contribuem ainda mais para a facilitação da transmissão das doenças como, por exemplo, o estresse físico causado por noites mal dormidas, alimentação inapropriada e deficiente, ingestão de bebidas alcoólicas, particularmente comuns em grandes eventos.

“Devemos também lembrar que no período de inverno é quando há os grandes surtos de doenças respiratórias virais e, nesse caso, podemos salientar a gripe como uma importante doença a ser prevenida”. A médica afirma que, em virtude do surto que houve da doença neste ano, também é recomendada a vacina contra caxumba.

Várias doenças podem ser prevenidas por vacinação. Para a médica, em geral, as pessoas acreditam que as vacinas estão associadas às crianças e descuidam-se da sua proteção nas outras fases da vida. “Porém, a partir da adolescência passamos a nos expor muito mais a riscos, e em contrapartida não nos atentamos às formas de prevenção”, diz Myrna. Ela lembra que devemos ter sempre a carteira de vacinação atualizada, para a nossa proteção individual e também na proteção coletiva.

Como evitar doenças em ambientes aglomerados

  • Manter a carteira de vacinação atualizada. “Uma população bem protegida minimiza em muito os riscos de surtos epidemias”, afirma Myrna;
  • Controle a ingestão de líquidos e alimentos: evite os alimentos crus, ou ainda certifique-se que esses alimentos estejam muito bem lavados. Evite alimentos mal cozidos;
  • Os líquidos ingeridos devem ser confiáveis, inclusive as pedras de gelo. Feitas com água de má procedência, elas podem levar a uma infecção séria.
  • Cuidado com os frutos do mar, sobretudo aqueles que são ingeridos crus. Eles são um grande risco se não forem de boa procedência;
  • Evite ambientes mal ventilados e com excesso de pessoas, por conta da circulação de vírus;
  • Redobre a atenção com a higiene das mãos;
  • Fique atento também à proteção do ambiente contra a invasão de mosquitos e uso de repelentes;
  • Evite regiões de mata onde o risco de picadas podem ser maiores, os pés devem estar calçados com sapatos que protejam contra ferimentos;
  • Não compartilhe seringas e objetos perfurantes;
  • Pratique o sexo seguro com uso de preservativos. Com esses cuidados podemos minimizar o risco de exposição a doenças infecciosas;
  • As crianças devem estar sempre com a carteira de vacinação atualizada. Atenção especial aos reforços das vacinas, pois muitos pais se esquecem de fazê-los quando a criança tem mais de 2 anos de idade. Uma criança corretamente vacinada também se transformará em um adolescente e adulto bem protegido;
  • Atenção especial à vacinação contra a gripe, que é muito importante aos menores de 5 anos e nem sempre valorizada pelos pais;
  • Caso seja morador de região onde normalmente não é feita a vacinação contra a febre amarela e vá viajar para uma região com risco da doença, a vacinação está indicada com 10 dias de antecedência à viagem.

 Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart

O Laboratório Frischmann Aisengart completa 71 anos e é considerado uma referência para o segmento de medicina diagnóstica. Possui mais de 600 colaboradores e mais de 35 unidades no Paraná. São mais de três mil tipos de exames de análises clínicas, soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, além do serviço de vacinas. Para mais informações: www.labfa.com.br ou (41) 4004-0103.  Siga o Frischmann Aisengart nas redes sociais: Blog – blog.labfa.com.br; Facebook – facebook.com/laboratorio.fa.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.