Ativas lista 5 dicas para escolher um Data Center

Empresa apresenta critérios que devem ser avaliados para optar pelo melhor fornecedor

 

A Ativas, uma das mais importantes empresas do ramo de infraestrutura e serviços de gestão de Tecnologia da Informação, lista cinco dicas para que as organizações façam a melhor escolha na hora de contratar um Data Center. Com consciência de que muitos negócios não podem parar nem por um segundo, Daniel Magalhães, Superintendente de Infraestrutura e Tecnologia da Ativas, orienta sobre como evitar riscos de indisponibilidade, perda de informação e prejuízos financeiros.

 

1 – Instalação física segura

Na hora de optar por um fornecedor de infraestrutura de hospedagem, é fundamental verificar se a instalação física da companhia oferece os níveis corretos de segurança e disponibilidade. “O cliente que procura um Data Center deve conferir se a empresa fornecedora atende a todas as normas exigidas e se possui certificações. O selo internacional Tier III que a Ativas tem, por exemplo, assegura uma operação com os melhores níveis de confiabilidade de infraestrutura tecnológica”, explica Magalhães. O especialista lembra que a localização física da empresa também deve ser avaliada. ”Existem Data Centers muito bem montados, mas que foram construídos em regiões de risco, onde existe chance de alagamento, por exemplo”, alerta o executivo.

 

2 – Telecomunicações com excelência

            Um Data Center deve funcionar 24h por dia e 7 dias por semana para assegurar a continuidade dos negócios de seus clientes. Por isso, é importante verificar o nível de abrangência dos provedores de telecomunicações que um Data Center oferece. “A empresa precisa ter pelo menos dois fornecedores diferentes de Rede e Internet para, no caso de um deles cair, não ocorrer nenhum tipo de indisponibilidade. Isso garante o seu acesso a qualquer momento e não coloca em risco a operação da organização que contrata o serviço”, diz o Superintendente da Ativas.

 

3 – Maturidade de processos

Existem padrões mundiais que garantem que uma companhia opere seguindo as melhores práticas e processos do segmento. Além de certificações internacionais, como a ISO 20000 e ISAE 3402, o cliente pode verificar as qualificações das equipes que trabalham em um Data Center. “Esse nível de maturidade é o que norteia o dia a dia das relações com o cliente. Aconselhamos que as empresas verifiquem a formação técnica dos colaboradores do Data Center. É importante que eles dominem as tecnologias que os clientes utilizam, seja Microsoft, Oracle, Linux ou outras”, informa o especialista.

 

4 – Ter infraestrutura própria

Um fator importante é procurar um Data Center que seja dono de uma infraestrutura própria e não um revendedor que aluga o espaço físico de terceiros. Na prática, isso pode representar intervenções técnicas mais lentas, efetuadas remotamente ou por meio de deslocamentos eventuais, o que pode não ser suficiente para resolver com urgência um problema do cliente. Ainda existe outro contratempo nestes casos: a empresa que loca o espaço muitas vezes não se responsabiliza totalmente por determinados procedimentos, gerando uma espécie de “suporte em pirâmide”.

 

5 – Manter relacionamento próximo

            A disponibilidade das informações é o ponto que melhor deve ser avaliado em um Data Center. Para facilitar o acesso aos dados e sanar possíveis dúvidas, um relacionamento mais próximo com as companhias atendidas é essencial nesse processo. “Quando o cliente contrata os serviços de armazenamento de uma empresa fora do Brasil, é comum a comunicação acontecer apenas por e-mail ou chat. O problema é que, em um momento de crise, isso pode afetar negativamente o processo. Para estreitar os canais de atendimento, a Ativas oferece atendimento personalizado. Nossos gestores de serviços acompanham o cliente, mantendo um relacionamento de parceria e confiança para oferecer o melhor serviço”, lembra Magalhães.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.