Complexo HC participa do Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária

De 24 a 29, em comemoração ao Outubro Rosa, a Sociedade Brasileira de Cirurgias Plásticas(SBCP) está promovendo o II Mutirão de Reconstrução Mamária. O Complexo Hospital de Clínicas da UFPR reservou três salas do centro cirúrgico somente para participar da ação.

Segundo o cirurgião plástico e professor Renato da Silva Freitas, chefe do Serviço no CHC e da disciplina da UFPR, além do coordenador local da campanha, a mesma tem duas funções: “Uma, a de alertar a população quanto ao problema do câncer de mama e, a outra, de ajudar efetivamente quem está necessitando do procedimento”.

No Paraná, são oito centros de saúde que realizarão 65 cirurgias. Além do CHC, que está fazendo 25 procedimentos, de maneira simultânea, acontece no Evangélico, na Santa Casa, Erasto Gaertner, Pilar e São Vicente, em Curitiba; e no Hospital Universitário da UEL e no do Câncer, em Londrina. Ao todo, são 100 hospitais públicos e privados, que mobilizaram, em torno de, 1.500 profissionais em 17 estados.

A reconstrução mamária pode ser feita através da técnica de colocação de próteses, neste caso, todas doadas pela empresa GC Aesthetics, ou pela colocação de tecido do próprio paciente, geralmente retirado do abdômen ou das costas. Estes procedimentos são necessários nos casos em que as pacientes, devido ao câncer, tiveram a mama extirpada e, por conta disso, podem desenvolver problemas psicológicos e diminuindo a autoestima.

Sueli Aparecida Batista dos Santos,42 anos, está feliz da vida. Há dois anos, da cirurgia que tirou sua mama devido a um câncer descoberto no final de 2013, já fez o implante e vai hoje, 26/10, para casa.   “Graças a Deus, sempre tive o apoio do meu marido, mas minha autoestima está cada vez melhor”, conta.

Quem está empolgada é Adivani Gonçalves, 45, que diz não ter mais vida social. Hoje à tarde é a vez dela passar pela cirurgia que vai mudar sua vida. Emocionada, conta ela que, enquanto outras usam o lenço na cabeça, ela encobre o peito.  “Se você tiver um parente na família que teve câncer, faça o exame”. Alerta Adivani, que perdeu sua tia vítima da mesma doença.

Além de diminuir as filas a ação “de reconstituição das mamas não é apenas uma questão estética, mas de qualidade de vida”, explica o cirurgião plástico Alexandre Fonseca, coordenador nacional da ação.

Cirurgias Plásticas no CHC

O Complexo HC, como hospital-universitário, é um centro formador de médicos e especialistas. Por isso, além dessas cirurgias plásticas reparadoras que são custeadas pelo SUS, faz alguns procedimentos estéticos, como a colocação de próteses, mas de forma muito reduzida.

No momento não faz abdominoplastia. Para quaisquer procedimentos, é necessário que o interessado procure um posto de saúde de sua localidade e peça encaminhamento par ao Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba

261016_mutirao_cirurgiao_plastica_5

. <assmkthc@gmail.com>

Fotos: Renildo Meurer

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.