Últimas

Espetáculo francês encerra extensão do Festival de Dança de Londrina nesta segunda-feira

Um bailarino entra em cena com uma mochila nas costas, como quem está degredado. Uma fuga aparentemente física. Mas, sobretudo, existencial. A melancolia e o exílio são temas que perpassam “Sakinan Göze Çöp Batar”, espetáculo concebido pelo multiartista francês Christian Rizzo, que encerra nesta segunda-feira (31) a extensão do 14º Festival de Dança de Londrina. A apresentação está marcada para 20h30, no Teatro Mãe de Deus.

Ingressos a R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia) já estão à disposição na Secretaria da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380), loja Shop Ballet (Rua Pio XII, 64) e loja Kinise Dancewear (Boulevard Londrina Shopping). Uma hora antes da apresentação, a bilheteria será aberta no Teatro Mãe de Deus.

Ao longo do espetáculo, o bailarino e performer Kerem Gelebek desdobra uma enorme caixa em mil possibilidades imaginárias para habitar uma terra estrangeira. Fragmentos coreográficos dialogam com uma iluminação exata e com objetos cênicos inusitados, que se transformam tal qual um poema concreto. Estas são características da obra do diretor Christian Rizzo, que transita da moda à dança, passando pelas artes plásticas e pelo rock.

“É um dispositivo simples que ele manipula conforme a dramaturgia, abandonando-se a ressonâncias de fragmentos dançados, tais como haicais, esboços ou notas de diário que formam uma coletânea de pensares nascidos do movimento… Fragmentação, reversibilidade, balbucio e suspensão tornam-se pistas físicas que nos acompanham hoje nesta nova aventura”, escreveu Rizzo sobre o trabalho com Gelebek, que estreou em 2012. Falar sobre o exílio e a melancolia é, para ele, “superar-se ou encontrar um sentido para a vida; em outras palavras, é um percurso em tempos de crise”.

A apresentação é resultado da parceria do Festival de Dança de Londrina com o projeto FranceDanse, iniciativa do Institut Français e da Embaixada da França no Brasil. Criado em 2007, o projeto tem o intuito de levar a todos os continentes uma visão condensada do que de melhor tem sido criado na dança francesa, tanto por grupos veteranos quanto por companhias novas e emergentes. É a primeira vez que o FranceDanse chega ao Brasil.

Multiartista

Nascido em Cannes, Christian Rizzo iniciou sua trajetória artística em Toulouse, onde montou um grupo de rock e criou uma marca de roupas. Formou-se em artes plásticas e passou a dedicar-se à dança, atuando nos anos 1990 com coreógrafos contemporâneos, eventualmente criando trilhas sonoras e figurinos. Entre eles, Mathilde Monnier, Hervé Robbe, Mark Tompkins e Georges Appaix.

Fundou a Association Fragile e realizou mais de 30 produções, além de projetos nas áreas de moda e artes plásticas e atividades pedagógicas em instituições da França e outros países. Em 2015, Rizzo assumiu a direção do Centre Chorégraphique National de Montpellier Languedoc-Roussillon-Midi-Pyrénées – atualmente Institut Chorégraphique International (ICI). O centro coreográfico propõe uma visão transversal da criação, formação e da educação artística.

Performance no Festival de Dança

Também para o último dia da extensão do Festival de Dança em 2016 (segunda, 31), está programada uma performance como resultado da oficina “Procura-se um corpo”, que começou na quinta-feira (27), sob orientação da atriz e encenadora Tânia Farias, integrante de um dos coletivos mais resistentes e emblemáticos no teatro político brasileiro, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, de Porto Alegre (RS).

A oficina traz aos participantes o debate e a reflexão sobre o que foram os anos de ditadura militar no país, entendendo a arte como ato de resistência. O trabalho propõe o reconhecimento e a ocupação de um espaço urbano de Londrina, onde será realizada a performance concebida conjuntamente pelo grupo. Local e horário da apresentação serão divulgados pela organização do Festival no site oficial do evento (www.festivaldedancadelondrina.art.br), após a decisão coletiva do grupo.

Assessoria de Imprensa
Festival de Dança de Londrina­­­­­­­

Serviço:

Sakinan Göze Çöp Batar – Christian Rizzo (França)
Dia: 31 de outubro (segunda-feira)
Horário: 20h30
Local: Teatro Mãe de Deus (Av. Rio de Janeiro, 700)
Duração: 55 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Ingressos: R$ 10,00 | R$ 5,00 (meia-entrada). Pontos de venda: Secretaria da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380), loja Shop Ballet (Rua Pio XII, 64 – loja 3) e loja Kinise Dancewear (Boulevard Londrina Shopping – Loja 256 / 2º Piso). Uma hora antes da apresentação, a bilheteria será aberta no Teatro Mãe de Deus.

Ficha Técnica:

Concepção, coreografia, cenografia: Christian Rizzo
Intérprete: Kerem Gelebek
Luzes: Caty Olive
Direção técnica geral e iluminação: Jean-Michel Hugo ou Érik Houllier
Produção delegada: ICI — CCN Montpellier / Languedoc-Roussillon-Midi-Pyrénées
Coprodução: l’Association Fragile, Centre de Développement Chorégraphique Toulouse / Midi-Pyrénées, “réseau open latitudes (Latitudes contemporaines (F), les Halles de Schaerbeek (B), L’Arsenic (CH), le Manège Mons / Maison Folie (B), Body/Mind Varsaw (PL), Teatro delle Moire (I), Sin Arts (H), Le Phénix (F)”. Com apoio do Programa de Cultura da União Europeia, Fundação Serralves – Porto
Apoio para residência: Opéra de Lille; Fundação Serralves, Porto; Centre de Développement Chorégraphique de Toulouse / Midi-Pyrénées; Théâtre de Vanves – Scène conventionnée pour la danse; Manège Mons / Maison Folie
Apoio e parceria: FranceDanse | Institut Français | Embaixada da França no Brasil

Trechos do vídeo do espetáculo:
Sakinan Göze Çöp Batar – 
Christian Rizzo (França)
https://vimeo.com/59724468

unnamed unnamed-3 unnamed-2 unnamed-1

electracomunicacao@gmail.com

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*