Você sabe o que é mal perfurante plantar?

membracel-aplicada

Mal perfurante plantar é uma ulceração crônica que ocorre em áreas onde há a diminuição da sensibilidade protetora dos pés, sintoma comum em pacientes diabéticos ou com hanseníase. “Os efeitos dessas doenças comprometem o sistema nervoso, aumentando a chance do aparecimento de lesões não percebidas pelo paciente. Ou seja, quando o paciente machuca o pé, ele não sente dor e acaba não percebendo a ferida. Assim, a lesão se agrava, tornando o tratamento mais complexo”, destaca o Dr. Adriano Mehl, médico responsável pelo Núcleo de Tratamento de Feridas do Plunes Centro Médico (Curitiba). Dessa forma, é muito importante redobrar a atenção com a região dos membros inferiores, já que pequenos fragmentos cortantes ou até mesmo o sapato inadequado favorecem o aparecimento de lesões que, se não tratadas, podem servir como porta de entrada para infecções.

O enfermeiro estomaterapeuta e podiatra da Membracel, Antônio Rangel, explica que, muitas vezes, o diabetes e a hanseníase causam deformidades nos pés, aumentando a pressão sobre proeminências ósseas, o que dificulta a circulação de sangue na região. “Inicialmente, surge uma calosidade, mas se essa alteração não for percebida logo no início, o caso pode evoluir para uma ulceração, deixando o paciente muito mais vulnerável”, destaca o enfermeiro.

Se descoberto no início, o tratamento é bastante simples, composto de técnicas que aliviam a pressão na proeminência óssea, como utilização de palmilhas, calçados especiais ou muletas. Porém, se quando percebida a alteração já houver o comprometimento da pele, é necessário, então, a realização da limpeza adequada da lesão e aplicação de curativo especial, como a membrana de celulose porosa. “Por conter poros, a membrana auxilia na drenagem do excesso de secreção (exsudato), além de proteger as terminações nervosas, o que diminui instantaneamente a dor. Em pouco tempo é possível notar a regeneração total da pele, processo, geralmente, bastante doloroso e demorado”, conclui Rangel.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.