12 de novembro: Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita

Todo mundo sabe que adotar hábitos saudáveis é essencial para a prevenção de doenças. Entretanto, neste dia 12 de novembro, Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita, Dr. Gel Roberto Marmitt Berardi, cardiologista do Hospital Cardiológico Costantini, reforça a importância de se prevenir os fatores de risco para este tipo de doença. “Existe a pré-disposição genética às doenças do coração. Mas existem também os maus costumes. Apesar de extremamente difundido, ainda é preciso conscientizar a população dos riscos do tabagismo, colesterol alto, hipertensão, praticar atividade física sem a orientação de um especialista, entre outros. Questões estas que ainda são negligenciadas e que podem ser fatais”, comenta.

 

Berardi explica que, apesar de alguns sinais poderem ser percebidos, como pulsação e batidas irregulares do coração, muitas vezes as arritmias são silenciosas. Os sintomas variam para cada paciente. Por isso, é preciso consultar um cardiologista regularmente, que, caso confirme o diagnóstico de Arritmia Cardíaca, determinará qual o melhor tratamento dependendo do histórico de cada um. “Dependendo do tipo de arritmia existem diferentes tratamentos, muitas vezes curáveis. O que vai trazer ou não o risco de morte depende de uma associação de fatores. Por isso, o melhor tratamento ainda é a prevenção”, afirma. E continua: “Além disso, precisamos buscar apoio dos nossos governantes para a aquisição, doação e instalação de equipamentos de desfibrilação externa automática (DEA) em espaços públicos, que possam ter pessoas treinadas para usá-los. São iniciativas como estas que podem minimizar ocorrências de morte súbita”, finaliza.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.