Curitiba ganha duas novas marcas de moda, com “pegada” moderna e produção inteiramente local

Ammos e Je Veux Noir têm à frente jovens de 21 e 20 anos. Pesquisa, materiais de qualidade e mão de obra artesanal completam a personalidade refinada das marcas

As amigas Mariana Brandalise, 21, e Juliana Stier, 20, lançaram na noite de 15 de dezembro, a Ammos e a Je Veux Noir. Ainda que o evento – a “First Sale” das empreendedoras – tenha acontecido em conjunto para marcar o início dos novos negócios, a administração das marcas segue de modo independente. O evento reuniu convidados no bar +55, que foram recepcionados com os doces finos e veganos da Lola Li, e contou com modelos que desfilaram a primeira coleção de cada marca. A blogueira Luisa Accorsi, com 305 mil seguidores no Instagram, foi uma das convidadas. “São marcas jovens e locais e muito bem pensadas, com uma moda que não perde em nada em relação às grifes que dominam o mercado”, disse.

Ammos (à esquerda) e Je Veux Noir (à direita) são as duas novas marcas de moda de Curitiba (Fotos: Juliana Stier)

Ammos

A Ammos – Exclusive Customized, comandada por Mariana, é especializada em chinelos 100% customizados e feitos à mão, para homens e mulheres. Longe das produções em série, além dos modelos prontos, a marca, que só trabalha com cristais Swarovski, permite montar as próprias peças. Para garantir a durabilidade, Mariana optou por abrir mão de qualquer tipo de cola, trabalhando apenas com costuras. “Em um mundo quase padronizado, a ideia é ofertar produtos realmente exclusivos, delicados, modernos e de personalidade”, diz Mariana. Entre diretos e indiretos, a Ammos já conta com 11 funcionários e toda a criação e estamparia são assinadas por Mariana.

Embora a primeira coleção tenha sido de chinelos, a Ammos é uma empresa de customização. Para o próximo ano, Mariana planeja lançar uma linha pet, que vai estrear com coleiras para cachorros. “A Ammos é uma realização pessoal. Aos 11 anos eu entrei no mundo dos negócios como revendedora de uma marca de cosméticos. Aos 13, alcancei a categoria Estrela daquela marca e aos 17 ingressei no curso de Administração da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Desde muito pequena sinto que tenho a sensibilidade exigida para os negócios e para a análise de mercado e concorrência, tanto que aos seis anos, pedi de presente um carimbo de “pago” à minha mãe, que usava para fechar as vendas de brincadeira que fazia em casa”, lembra ela, que já passou também pela Volvo Trucks, a divisão de caminhões da marca sueca.

Je Veux Noir

Lingeries, roupas íntimas e presentes compõem o portfólio da Je Veux Noir, uma marca de caráter jovem, minimalista e com toque francês, pensada para mulheres autênticas. Tudo começou quando Juliana, fotógrafa e futura publicitária pela Universidade Positivo (UP), encontrou o quimono de seda perfeito e pediu a uma profissional modelista que reproduzisse a peça. Com o resultado e caimento esperados, no mesmo estilo dos quimonos vendidos pela gigante norte-americana Victoria’s Secrets, Juliana deu início à pesquisa de tecidos e materiais, além de testes de ajustes. “Os primeiros foram feitos na cor rosa pink e, com o interesse das amigas, decidi ampliar a produção. Hoje eles são desenhados por mim e por uma profissional modelista”, conta Juliana.

A Je Veux Noir também comercializa lingeries, conjuntos e macaquinhos de dormir, com materiais como microfibra, renda fina, toque de seda e tule. A cartela de cores é variada e vai do branco ao preto. Os quimonos podem ainda ter bordados personalizados para noivas e madrinhas. Com o compromisso de estar à frente de toda a marca – da administração à publicidade – é Juliana, nascida em uma família de empreendedores, quem assina as fotos da campanha de lançamento não só da Je Veux Noir, mas também da Ammos.

E-commerce

As vendas online da Ammos e Je Veux Noir já estão a todo vapor. Para entrar em contato, conhecer os produtos e adquiri-los, basta acessar os sites www.ammos.com.br e www.jeveuxnoir.com.br.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.