Erva-mate inspira novo cardápio e espaço de drinks do Armazém Santo Antônio

Chef Giuliano Hahn apresenta novos pratos e mixologista Rogério Rabbit lança bar com temática indígena

Chef Giuliano Hahn

Nos pratos, o chef utilizou o mate como ingrediente de molhos e finalizações. Outra característica dos pratos é o frescor, buscando produtos da estação e sabores mais leves. “É um cardápio que reforça ingredientes frescos e opções que combinam com os dias mais quentes que estão por vir”, reforça Hahn. “Temos novas apresentações também, trazendo tudo com aquele gostinho de comida familiar, sempre privilegiando o sabor”.

Um dos destaques é o Camarões rosa com pera e erva-mate (R$ 120). Com um leve contraste agridoce, o prato traz a pera cozida numa infusão de erva-mate tostada, fava de baunilha e toque de cachaça de pera. “É muito sutil, destacando o sabor do camarão”, aponta o chef.

Porcheta

Para ressaltar a diversidade do menu da casa, há ainda a Porcheta com mix de feijões de glacê e erva-mate com limão cravo, no qual o corte suíno é cozido em baixa temperatura. O resultado é aquela carne de sabor intenso, que desmancha na boca. Custa R$ 68. Outro destaque, revelando influências francesas, é o Magret com purê de batata doce e salmão, cogumelos e ervilha torta, com glacê de pato, erva-mate tostada e bergamota. Sai a R$ 75.

Grande sucesso no paladar dos curitibanos, o filé mignon ganha versão criativa, buscando tempero inspirado em chás de origem asiática. Assim nasceu o Mignon com crosta de Lapsang Souchong (chá chinês defumado em carvalho), que vem com risoto de carciofini com brie e glacê de erva-mate tostada com chá Oolong (também chinês) e framboesa. Preço: R$ 69.

As nova sobremesas também reforçam o frescor. Entre as novidades estão: Compota de Frutas Tropicais com Sorbet de Limão Siciliano, Baklav de Pistaches e Amêndoas com Espuma de Iogurte; Strudel de Castanhas do Brasil, banana flambada e Sorvete de Cachaça e Canela; Devil’s Food Cake cremoso de chocolate, calda de chocolate e geléia picante de Damasco; Semiffreddo de Pistaches com Cerejas em Calda de Amarena; Diet Pannacota de Baunilha e Berries e, por final, Light Tartelete de Pêra, creme de brigadeiro branco e sablè de amêndoas.

Camarão com pera

Erva-mate e cultura indígena se fundem a drinks na Sala Tapii’Tea

Kagiji

Internacionalmente reconhecido, o mixologista Rogério Rabbit assina o novo espaço dedicado aos drinks e à erva-mate no Armazém Santo Antônio. A Sala Tapii’Tea é o espaço no qual vai produzir uma carta com 15 coquetéis, criados exclusivamente para o restaurante. Apresentando uma guinada em sua carreira, no sentido de pesquisar e buscar as raízes de uma das bebidas ancestrais da cultura brasileira, ele baseou a maior parte das novas criações nas pesquisas que vem fazendo com a erva-mate e a cultura indígena.

“Nasci em Santos, mas escolhi o Paraná para morar. A partir daí comecei a pesquisar um dos grandes símbolos do estado, o mate, e depois inseri também outros tipos de chás”, conta Rabbit, que é descendente de indígenas do litoral de São Paulo. “O resultado é uma carta que traz drinks autorais e também releituras para clássicos da coquetelaria mundial, também levando como ingrediente os chás e infusões”. Quem optar por beber também os chás, sem adição de bebidas alcoólicas, terá esta opção. Rabbit deixará a posição de bartender, fixa no balcão, para circular pelo salão, conversar com os clientes e sugerir harmonizações com as comidas. “A ideia é atuar como um ´tea somelier´, ou sommelier de chás”, conta.

Coquetéis com erva-mate têm destaque

Entre os coquetéis estão opções como o Tapii’Tea Soul (aguardente e vermute maturados em barris de madeiras brasileiras, infusão de chá Dilmah, adoçado levemente com mel de abelhas nativas do Paraná); Kur’Yt’yba (vermute artesanal maturado e levemente adoçado com licor de pinhão paranaense) e o Kagiji (bebida de batata doce, aguardente envelhecida em madeira e perfumada com sementes de cumaru, infusão de cascas de frutas cítricas, hibisco e rosa mosqueta). “Resgatamos aqui a tradição de bebidas feitas de batata doce que são preparadas pelas índias guarani mais jovens aos visitantes que chegam na aldeia”, conta Rabbit. “Já a infusão vem da Loja do Chá Tee Gschwendner, de São Paulo”.

1616Clássicos brasileiros e mundiais renascem em novas roupagens, o Spri’tea (lembrando um Spritz, feito com vermute maturado, mimosa e espumante rosé). Outra pedida surpreendente é Curi-Tea-Ba (aguardente envelhecida perfumada com óleo de bergamota, lavanda e pérolas de tapioca em infusão de chá preto da Índia, também assinado pela Tee Gschwendner, adoçada levemente com mel de abelhas do Paraná.

Para quem não bebe álcool, há o Tea-tea-tea, sequência de três chás, todos de regiões diferentes, preparados também com distintos processos. “É uma experiência sensorial incrível para o público descobrir a erva sagrada dos indígenas guarani”. O preço é único para todas as opções: R$ 29 cada. O cliente também tem a opção de colaborar com a comunidade indígena de Kuaray Haxa, da região de Guaraqueçaba, deixando R$1 opcional para cada drink.

ARMAZÉM SANTO ANTÔNIO
Almoço: Sábados, Domingos e Feriados, das 11h30 às 15h30
Jantar: De Terça a Sábado, das 19h30 às 23h30
Endereço: Rua Solimões, 344 – São Francisco, Curitiba – PR
Informações: (41) 3077-5505 | www.armazemsantoantonio.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.