A saliva pode fazer o diagnóstico do câncer de pâncreas em fases iniciais?

O câncer de pâncreas (CP) é um dos tumores malignos humanos mais letais! É a quarta causa de morte relacionada a câncer nos Estados Unidos, no Brasil os dados parecem subestimados! Mesmo em nosso país é um problema de saúde pública que vem aumentando gradativamente. Alguns fatores de risco relacionam-se ao desenvolvimento do CP dentre eles: a idade avançada, o uso de fumo por muitos anos e a história familiar de CP, onde os parentes relacionados apresentam chance nove vezes maior de desenvolvê-lo. A sobrevivência em 5 anos é menor que 25% e menos de 20% dos pacientes são operáveis no momento do diagnóstico.

Novos métodos mais eficazes para a detecção do CP em fases iniciais, são fundamentais. Os testes sanguíneos atualmente existentes são ineficazes e nas últimas décadas novos testes com biomarcadores salivares têm sido usados. Além disso, o uso da saliva na detecção desse tipo de doença é de baixo custo, de fácil aquisição e parece apresentar um benefício muito bom.

O trabalho publicado* recentemente propõe a detecção de novos biomarcadores encontrados na saliva como identificadores do CP. Esses autores avaliaram 114 amostras de saliva do banco de salivas de pacientes com doenças pancreáticas da UCLA e dessas 35 tinham CP. Através da utilização de dois métodos de análise da expressão genética nos pacientes e nos controles os autores compararam as características da expressão genética conforme a base de dados existentes na enciclopédia de genes e genomas de Kyoto, todas elas avaliadas por algoritmos computacionais.

Foram encontrados 29 marcadores divididos em: função molecular, de componente celular e os relacionados ao processo biológico. Para demonstrar sua relevância na prática clínica diária foram cruzados os dados da expressão gênica de pacientes com tecidos normais e doentes com CP, onde a sensibilidade foi de 87% e a especificidade de 85%. Para diferençar pancreatite crônica de CP a acurácia foi de 83%. Esses resultados mostram que um simples teste salivar pode detectar câncer de pâncreas em fase inicial e ter um benefício para o rastreamento dessa doença implacável! Parece óbvio afirmar que essa pesquisa deve iniciar imediatamente sua avaliação na aplicabilidade clínica, pois apenas através do diagnóstico precoce poderemos melhorar as cifras tão baixas da sobrevivência e da qualidade de vida em pacientes com CP.

Referência: *Predicting novel salivary biomarkers for the detection of pancreatic cancer using biological feature-based classification. Huan-Jin Lu et al. Pathology-Research and Practice 2016 Sep 22.

Por José Celso Ardengh, presidente da Sociedade de Gastroenterologia de São Paulo

anadangelis@rspress.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.