Dynatrace apresenta em Vitória como realizar a jornada de transformação para Cloud e as tendências de monitoramento

Encontro promovido pela empresa vai mostrar como as organizações podem aumentar a produtividade e reduzir custos operacionais

A Dynatrace, líder mundial em soluções de Gerenciamento de Performance Digital, com o apoio de seu parceiro regional  Compuwire, apresenta para seus clientes e prospects do Espírito Santo  como realizar a jornada de transformação para Cloud Native e as principais tendências para o monitoramento de microsserviços e aplicações nativas em Nuvem. As novidades foram mostradas no maior evento de Performance Digital do mundo, o Dynatrace Perform 2017, promovido em Las Vegas (Estados Unidos) em fevereiro. A conferência na cidade capixaba acontecerá na manhã desta quinta-feira (16 de março), em Vitória (ES).

“Realizamos uma pesquisa no mercado e, para os próximos anos, percebemos uma grande transformação na estratégia de Cloud das empresas, sendo que a migração das aplicações para a Nuvem já é uma prioridade. Baseadas nesse plano, as companhias precisarão repensar o modelo de monitoração e rever de forma inovadora a arquitetura destas aplicações orientadas por microsserviços em ambientes extremamente complexos, altamente dinâmicos e escaláveis para reduzirem custos e aumentarem a eficiência operacional”, afirma Fernando Mellone, Senior Sales Manager da Dynatrace no Brasil.

Segundo o executivo, é necessária uma solução nativa em Nuvem que seja ágil e inteligente, com entrega de valor mais rápida e que possa aumentar a produtividade entre as equipes e reduzir os gastos operacionais. A Dynatrace oferece a única ferramenta baseada em inteligência artificial do mercado que pode ajudar os clientes a assegurarem a performance da aplicação nos Data Centers ao migrar para Nuvens Privadas, Públicas e Híbridas, além de oferecer total visibilidade em ambientes nativos em Cloud e estruturas elásticas de microsserviços.

Para realizar a jornada de transformação para Cloud Native, Mellone informa que existem três diferentes estágios de como as empresas adotam a mudança. “Mostramos como passar de aplicações monolíticas para arquiteturas já desenvolvidas sob o conceito de microsserviços, mais ágeis e dinâmicas no ponto de vista de entrega, trazendo um ganho em escala. Dessa forma, a plataforma de monitoramento se torna extremamente necessária para a captação das dependências desse tipo de serviços”, comenta Mellone.                No primeiro estágio, as aplicações permanecem as mesmas, mas com mudanças de plataformas e a automação como chave. O segundo é o de refatoração (alteração feita na estrutura interna do software para torná-lo mais fácil de entender e mais barato para modificar sem alterar seu comportamento) para microsserviços, em que as arquiteturas se tornam poliglotas e ciclos independentes são liberados. Já a última fase exige mecanismos avançados de resiliência e escalabilidade para microsserviços e provisionamento ágil por meio das plataformas de Cloud e suas arquiteturas definidas por software.

“O monitoramento nativo da Nuvem feito pela Dynatrace é uma oferta essencial para a gestão de performance de aplicações, da qual muitos clientes dependem para manter seus serviços funcionando perfeitamente. O apoio da empresa demonstra seu foco em oferecer aos clientes uma forma fácil de obter e implementar ferramentas de gestão de desempenho de aplicação de baixo atrito para desenvolver seus negócios”, complementa Mellone.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.