Deficiência auditiva pode aumentar casos de isolamento social nos idosos

É por volta dos 50 e 60 anos que começamos a perder nossa capacidade auditiva. Isso acontece porque, com o passar dos anos, há o envelhecimento da cóclea, órgão sensorial da recepção do som. Segundo o otorrinolaringologista Neilor Fanckin Bueno Mendes, da Otorrinos Curitiba, há várias outras causas para a perda auditiva nos mais velhos.

 

Veja também:
:: Cera de ouvido: problema ou proteção?
:: Dor de garganta pode ter causa viral e bacteriana
:: Principais causas da perda auditiva em crianças

A presbiacusia é a perda de audição relacionada à idade, e está relacionada a fatores genéticos. Mas há algumas causas externas que aceleram essa perda de audição ao longo dos anos, tais como o uso de medicamentos tóxicos para o ouvido, que incluem desde analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, diuréticos, até remédios para o câncer, entre outros. A redução na audição também pode ser causada por infecções, doenças crônicas, traumas ou exposição a ruídos”, explicou o especialista.

perda-audição-nos-idosos

A perda gradativa de audição nos mais velhos também requer atenção, pois em muitos casos pode gerar depressão, afastamento social e até casos de demência. Uma pesquisa no Canadá mostrou que a cada 10 decibéis de perda auditiva há um aumento de mais de 50% no risco de isolamento social, principalmente no caso de pessoas que já passaram dos 60 anos.

“Além dessa pesquisa, diversos outros estudos já comprovam que a perda de audição contribui com diversos tipos de demência. A principal atitude que devemos tomar é fazer exames de audição de rotina, e assim que identificada a perda já iniciarmos o tratamento para manter o estímulo cerebral”, avalia o otorrino.

Ajuda dos familiares
A família tem papel fundamental quando o assunto é perda auditiva nos idosos. E há alguns sinais claros quando eles estão começando a perder a audição. “A primeira coisa que os familiares notam é a necessidade de repetir algumas palavras e frases. O segundo sinal é o volume da televisão ou do rádio mais alto, e quando pedimos para que a pessoa abaixe, ela diz que não consegue ouvir”, lembra Mendes.

perda-audição-nos-idosos

Uso de aparelhos auditivos
Muitas vezes, quando diagnosticado algum problema de audição, é feita a recomendação do uso de aparelhos auditivos, mas nem sempre é fácil convencer os mais velhos a usá-los. “Há certo receio, ainda, de se usar um aparelho de audição. Quando conversamos sobre adaptação de aparelhos em adultos e idosos, é muito importante explicar a importância da protetização, seja para diminuir chance de demência ou mesmo para manter uma qualidade de vida melhor. Outro fator fundamental é a adaptação do aparelho por parte do fonoaudiólogo. Se não for feita de maneira adequada, gradativa e muito bem conduzida, pode ser que o paciente desista do seu uso”, ressalta o especialista.

Com o aparelho adaptado, são feitos testes por um período para que o paciente perceba os benefícios do seu uso no dia a dia.

O tratamento para a perda auditiva deve ser individualizado, quase sempre com abordagem multiprofissional, participando das decisões um fonoaudiólogo e, por vezes, um psicólogo.

Sobre Neilor Fanckin Bueno Mendes
Neilor Fanckin Bueno Mendes é formado em Medicina, com residência em Otorrinolaringologia pelo Hospital Angelina Caron, fellowship em Otologia pelo Hospital da Cruz Vermelha e estágio em Otologia e Otoneurocirurgia pelo Centre Hospitalier Universitaire de Bordeaux – França. É também preceptor de otologia dos serviços de otorrinolaringologia dos hospitais Angelina Caron e Cruz Vermelha.

Sobre a Otorrinos Curitiba
A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 20h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

Serviço:
Otorrinos Curitiba
Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês
Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084
Site: www.otorrinoscuritiba.com.br