Prevenção da nefropatia diabética é tema da conferência principal do EndoSul 2017

Doença acomete cerca de 40% da população diabética e inicia de maneira silenciosa; diante da falta de vagas para hemodiálise no país e tempo de espera na fila por transplante, a prevenção e o tratamento precoce são fundamentais

Curitiba sedia, neste fim de semana, a 11ª edição do EndoSul – Congresso de Endocrinologia e Metabologia da Região Sul. Cerca de 400 médicos e profissionais de outras áreas da saúde são esperados no evento, que acontece dias 4, 5 e 6, na sede da Associação Médica do Paraná. Organizado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná (SBEM-PR), o EndoSul 2017 coloca em debate as principais novidades em diagnóstico, tratamento e pesquisas de distúrbios tratados no consultório de endocrinologia.

Doença que acomete cerca de 40% da população diabética e inicia de maneira silenciosa, podendo levar à perda da função dos rins e consequente diálise ou transplante, a nefropatia diabética é o tema da conferência principal do EndoSul 2017. A endocrinologista Maria Teresa Zanella, professora titular de Escola de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, é a convidada para falar sobre a “Prevenção, Diagnóstico e Conduta Terapêutica na Doença Renal no Diabetes”.

No Brasil, aproximadamente 110 mil pacientes fazem hemodiálise (84% atendidos pelo Sistema Único de Saúde e 16% financiados pelo sistema complementar de saúde). As estatísticas revelam que 36 mil pacientes entram em diálise por ano no país e que 20 mil morrem por ano. “A situação é preocupante por conta da carência de vagas para hemodiálise, de norte a sul do país. Diante o caos que já vivemos no setor, com tantos pacientes padecendo por falta de vagas ou na fila de espera por um transplante, temos um papel muito importante no que se refere à prevenção e tratamento precoce”, afirma a endocrinologista Silmara Leite, presidente da SBEM-PR.

Programação

A programação científica também engloba outros temas de interesse da sociedade, tais como: os benefícios e riscos da suplementação de testosterona em homens com declínio relacionado à idade; atualização da terapia hormonal na menopausa; tratamentos medicamentosos na diabetes gestacional; terapias de reposição de hormônio do crescimento em crianças com baixa estatura; eficácia e segurança do exercício intervalado e de alta intensidade; mitos e verdades dos suplementos alimentares; o papel das insulinas modernas; a conduta no transtorno de identidade de gênero; tratamento para mulheres com aumento de pelos ou calvície; a cirurgia bariátrica com objetivo de obter a remissão do diabetes; entre outros.

Uma novidade do EndoSul 2017 é o formato do congresso, com uma proposta mais dinâmica interativa. “Além da programação médica atualizada, incluímos debates e oficinas teórico-práticas, que acontecem de maneira simultânea, para garantir uma maior interatividade. Os participantes terão a oportunidade de discutir com colegas de grande experiência as principais dúvidas do consultório, no exercício da endocrinologia”, pontua Silmara Leite.

Homenagem

A 11ª edição do EndoSul homenageia o médico e professor Edgard Niclewicz, ex-presidente da SBEM-PR por duas gestões (1977/1978 e 1985/1986), pela competência, dedicação, ética e profissionalismo dedicados à endocrinologia paranaense ao longo dos anos.

Confira a programação completa de palestras e mais informações no site: http://www.endosul2017.com.br/

A médica endocrinologista Silmara Leite, presidente da SBEM-PR (Divulgação)

SERVIÇO
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná | SBEM-PR

E-mail: sbempr@endocrino.org.br
Av. República Argentina, 369, cj. 1101, 11º andar,
Água Verde, Curitiba/PR CEP: 80240-210
Fone: (41) 3343-5338
www.sbempr.org.br|  www.facebook.com/sbemparana