Renato Borghetti e Orquestra de Câmara de Blumenau se apresentam em Joinville no dia 23

Joinville abre a turnê “O Som do Brasil”, da Orquestra de Câmara de Blumenau e o acordeonista Renato Borghetti, no dia 23 de outubro, na Sociedade Harmonia Lyra, às 20h. O concerto homenageará um ícone da música brasileira: Luiz Gonzaga.

Nesta primeira fase, serão três apresentações em Santa Catarina e uma no Paraná: após Joinville, os artistas seguem para Blumenau, no dia 24, no Teatro Carlos Gomes; no dia 31 estarão em Jaraguá do Sul, no Teatro da Scar; e no dia 1º de novembro, se apresentarão em Curitiba (capital paranaense), no Canal da Música, sempre às 20h.

Os concertos terão entrada franca e os ingressos deverão ser retirados nas bilheterias do local por ordem de chegada, uma hora antes do espetáculo. A turnê é realizada pelo Ministério da Cultura com o patrocínio das empresas Banco Bradesco e Cia. Hering.

A temporada contará com arranjos originais do maestro Daniel Bortolosy e do violonista Daniel Sá, com a direção artística do músico italiano Daniele Girardello. “Compositor e músico virtuoso e versátil, Gonzaga soube representar o seu povo e cantou o nordeste como ninguém havia feito”, destaca Daniele Girardello.

No repertório apresentado por Renato Borghetti estarão clássicos como Xote das Meninas, de Luiz Gonzaga e Zé Dantas, e Asa Branca, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, e também Fronteira, de Renato Borghetti e Daniel Sá, e Milonga para Missões, de Gilberto Monteiro.

Encontros

Borghetti gravou com Gonzaga na década de 1980, para um álbum do artista nordestino. “Foi muito tranquilo gravar com ele, já que ambos tocamos gaita, eu com a gaita-ponto e ele com a pianada. A gaita é tocada em todas as regiões do Brasil e, por isso, a escolha por homenagear Luiz Gonzaga faz esse elo naturalmente”, considera Borghetti. Há mais de 20 anos, Renato Borghetti faz concertos com a Orquestra da Câmara de Blumenau. “É muito prazeroso reunir os amigos. O encontro é muito bonito e isso se reflete no palco. Na hora de tocar, a música sai com facilidade”, afirma.

 

SERVIÇO:
Joinville
23 de outubro (segunda-feira), 20h – Joinville – Sociedade Harmonia Lyra
Endereço: Rua XV de Novembro, 485 – Centro

Blumenau
24 de outubro (terça-feira), 20h – Blumenau – Teatro Carlos Gomes
Endereço: Rua XV de Novembro, 1.181 – Centro – 15h e 16h –

Jaraguá do Sul
31 de outubro (terça-feira), 20h – Jaraguá do Sul – Teatro da Scar
Endereço: Rua Jorge Czerniewicz, 160 – Czerniewicz

Curitiba
1º de novembro (quarta-feira), 20h – Curitiba – Canal da Música
Endereço: Rua Júlio Perneta, 695 – Mercês

 

Sobre Daniele Girardello (diretor artístico)
Natural da região do Veneto, na Itália, Daniele Girardello iniciou seus estudos aos oito anos de idade. Formou-se no curso de Violino do Conservatório “G. Frescobaldi” de Ferrara. Desenvolveu uma intensa atividade musical com diversas orquestras italianas, entre elas, Orchestra Città di Ferrara, Orchestra Sinfônica di Sanremo e Orchestra Sinfonica Haydn de Bolzano. Com a renomada “Orchestra da Camera di Venezia – L’Offerta Musicale”, participou de festivais e realizou turnês por toda a Europa, e também em diversos países da Ásia, África e América.  Lecionou no conservatório Girolamo Frescobaldi (Ferrara/Italia) e ocupou a cadeira de professor de violino na escola Media Statale (Comacchio/Italia).  Radicado no Brasil desde 2002, tornou-se referência no ensino do violino e atualmente é spalla e diretor artístico da Orquestra de Câmara de Blumenau.

Sobre Daniel Bortolosy (regente)
Um dos mais promissores e atuantes regentes de sua geração, Daniel Bortolosy já trabalhou com diversos grupos sinfônicos brasileiros, além de orquestras na Argentina, Portugal, Itália, Bulgária, Cazaquistão, Inglaterra, República Tcheca, Romênia, Ucrânia e Rússia. Mestre em Artes pela Universidade de São Paulo (USP), esteve à frente da Belgrade Philharmonic Orchestra, em Belgrado, Sérvia, onde executou, pela primeira vez no país, as Bachianas n. 2 e n. 4 de Heitor Villa-Lobos.

Foi o primeiro maestro latino-americano a dirigir a Royal Oman Symphony Orchestra, no Sultanato de Omã, incluindo apresentações particulares para o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair. É fundador e diretor artístico do “New Orleans Festival Brasileiro!”, dos Estados Unidos e, recentemente, foi jurado do concurso “Shabyt”, em Astana, Cazaquistão. 

Sobre Renato Borghetti
Com 32 gravações lançadas, Renato Borghetti é um dos símbolos da música do seu Estado. O último álbum lançado foi o Gaita na Fábrica, em 2016. Expandiu as fronteiras da música gaúcha e do instrumento gaita-ponto para todos os continentes, sem perder a originalidade e identidade da música de sua terra. Pela sua natural experiência em outros estilos, que conheceu em suas diversas viagens pelo Brasil e pelo mundo, Borghetti pôde agregar riqueza cultural e influenciar seu trabalho com qualidade. Desenvolve o projeto Fábrica de Gaiteiros, no sul do Brasil, pelo qual fabricam 100% dos instrumentos e oferece aulas gratuitas para crianças de 7 a 15 anos, como forma de transformação cultural.

 Sobre Felipe Coelho
O compositor e violonista catarinense Felipe Coelho é destaque da nova geração da música instrumental Brasileira. Agraciado pelo aclamado Premio Funarte de Música Popular 2010, entre outros, Felipe Coelho vem ganhando crescente reconhecimento. Bacharel e Mestre em Jazz premiado com bolsas de estudo nos Estados Unidos, atua constantemente com orquestras nacionais e internacionais e já se apresentou em Chicago, Nova Iorque, Shanghai (China) e Buenos Aires. Com cinco discos autorais que demonstram vasta amplitude de linguagens transitando pelo erudito, choro, jazz moderno e o flamenco, o artista é representado internacionalmente pelo selo Hot Club Records.

Sobre a Orquestra de Câmara de Blumenau
Surgiu em 1981 com o propósito de tornar a cidade um importante centro de música erudita. Sob a liderança do maestro Norton Morozowicz, realizou diversas turnês pelo Brasil e pelo exterior como na Sala “Smetana” em Praga e o “Mozarteum” de Salzburg entre outros. Atualmente, com o maestro Daniel Bortolosy e a direção artística do violinista italiano Daniele Girardello se apresentam pelo país com projetos diversificados. A Orquestra gravou mais de catorze discos e um DVD com intento de valorizar os compositores brasileiros e também obras de clássicos universais. Entre tantos solistas convidados, podem-se citar alguns como: Antônio Meneses, Artur Moreira Lima, Curt Schroeter, Nelson Freire, Jean Pierre Rampal, Oscar dos Reis, Álvaro Siviero, Luis Henrique Beduschi, Michael Debost, Rita Costanzi, João Carlos Martins, Domenico Nordio, Renato Borghetti e Yamandu Costa.

 

Facebook: www.facebook.com/orquestradecamaradeblumenau.