Futuro promissor começa aos sete anos

Além de mais naturalidade na fluência, aprender outro idioma na infância estimula o cérebro e desenvolve a criatividade, o raciocínio e a capacidade de concentração

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Iniciar os estudos de idiomas na infância garante benefícios que ficarão evidentes para o resto da vida dos alunos. Pesquisas comprovam que a prática desde cedo resulta em naturalidade na fluência, auxilia no desenvolvimento do cérebro, aprimora a autoconfiança, independência e habilidade para trabalhar em grupo. Crianças que estudam um segundo idioma apresentam melhor desenvolvimento em outras disciplinas, como matemática, ciências, música e habilidades cognitivas gerais, inclusive o pensamento abstrato. Além disso, encerra o curso mais cedo e já pode partir para uma terceira língua.

A Phil Young’s English School entende esta realidade. No mercado há 35 anos, a escola já auxiliou diversos alunos a conquistarem bons resultados em provas internacionais, especialmente os que começaram os estudos cedo. Por isso, incentiva o início das aulas desde pequenos e possui em sua grade dois cursos para o público jovem: o Phil Kids e o Pre-Teens.

A professora Simone Vieira, da unidade Champagnat, explica que quando uma criança está exposta a uma língua estrangeira é menor a chance de se sentir intimidada ou ter quaisquer tipos de bloqueio. “Existe mais facilidade de pensar em uma segunda língua e o aprendizado flui mais naturalmente. Aprender outro idioma na infância estimula o cérebro, desenvolve a criatividade, o raciocínio e a capacidade de concentração. Crianças e pré-adolescentes tiram proveito do curso com mais leveza, não se preocupam tanto em traduzir ou entender absolutamente tudo. Isso faz com que adquiram a língua de forma mais natural”, pondera Simone.

O médico Mario Cerci avalia como positiva a experiência de colocar a filha, ainda criança, para aprender inglês. “Ela entrou com sete anos, terminou o curso com 14 e já passou no Toefl. Neste período, as crianças têm a idade ideal para o aprendizado de línguas. E com as aulas, ela teve um amadurecimento muito grande e rápido. Melhorou o desempenho na escola normal, sempre com muita responsabilidade, disciplina e respeito com os seus deveres e pessoas”, analisa Mario.

Assim como o pai, Mariana Cerci, de 15 anos, também avalia como positiva a experiência. “Com essa idade, conseguimos captar melhor a nova língua do que quando mais velhos. Com a globalização, precisamos nos comunicar com pessoas ao redor de todo o mundo, e a língua mais utilizada é o inglês. Admiro muito o modo de ensino da Phil, sempre aprendi com muita facilidade. E hoje consegui alcançar o meu diploma, graças aos métodos e aos professores dessa excelente escola”, ressalta a ex-aluna.

 

Metodologia apropriada

A Phil Young’s English School utiliza livros e softwares apropriados pra cada idade. Além disso, são realizadas atividades customizadas de acordo com a necessidade de cada turma. Os professores têm liberdade para adaptar o material padrão da forma que melhor beneficiar os seus alunos. Além da qualificação que trazem de fora, passam por treinamentos para que o curso tenha um padrão de excelência, além de workshops e palestras.

 As matrículas para 2018 já estão abertas. Mais informações no site http://philyoung.com/ ou na unidade de sua preferência.

 

Serviço:

Unidade Batel

  1. Rodrigues Alves, 100

Fone: (41) 3242-8605

 

Unidade Cabral

Av. Munhoz da Rocha, 216
Fone: (41) 3353-3188

Unidade Champagnat

Al. Julia da Costa, 1405

Fone: (41) 3335-9226

 

Unidade Ecoville

  1. José Izidoro Biazetto, 1070
    Fone: (41) 3373-9500

 

Foto: Guilherme Pupo