Além da radiação solar, você sabia que o calor também degrada colágeno e envelhece a pele?

O sol já foi, sistematicamente, apontado como um dos grandes vilões da pele. A exposição direta a ele, sem uso de protetor solar, é responsável por fotoenvelhecimento, queimaduras, manchas, entre outros problemas. Mas não é só contra o sol que devemos nos proteger: ambientes com temperatura elevada como uma cozinha, uma sala abafada, ou um carro fechado (e que ficou exposto ao sol) também são muito nocivos à pele. Sem proteção adequada, os radicais livres são formados e danificam as camadas da pele. “A radiação infravermelho A é traduzida na forma de calor, então não é somente durante a exposição solar que temos danos, ocorre também em ambientes quentes e abafados”, explica a Farmacêutica e Consultora Técnica da Biotec Dermocosméticos, Mika Yamaguchi.

Essa radiação, segundo a consultora, chega às camadas mais profundas gerando radicais livres em todas as camadas. “O infravermelho A causa o fotoenvelhecimento e também a degradação do colágeno. Ao mesmo tempo, há um déficit energético, pois aumenta a produção de radicais livres no interior da mitocôndria. Então, precisamos de uma proteção além dos filtros solares, uma proteção nas camadas mais profundas”, completa. Essa proteção profunda é necessária porque a maioria dos fotoprotetores existentes não protege as células da pele completamente contra os raios UVA e Infravermelho A. Segundo Mika, um ativo poderoso para resolver esse problema é o OTZ 10, investimento de pesquisas da empresa Exsymol, de Mônaco, e disponível no Brasil pela Biotec Dermocosméticos. “O OTZ 10 é uma molécula pequena que permeia até a hipoderme, assim ela neutraliza a ação dos radicais livres em todos os níveis, protegendo as proteínas (colágeno e elastina) da degradação. Durante o processo de neutralização, ele forma a pro-taurina, um aminoácido osmorregulador e protetor de DNA, que complementa a ação dos filtros solares”, explica.

De acordo com a farmacêutica, um ponto importante na escolha do antioxidante é que durante o processo de neutralização dos diversos tipos de radicais livres, ele não pode formar produtos subtóxicos ou tóxicos. “É importante que ele forme subprodutos neutros e que sejam eliminados pelo organismo, como o OTZ 10”. Conhecido na Europa como “salva-vidas” e “protetor celular”, o OTZ 10, em razão da sua ação inovadora e única, pode ter seu efeito potencializado quando associado a outros ativos. “Com o Alistin®, ambos formam um sistema antioxidante diferenciado contra o fotoenvelhecimento, protegendo as células contra os efeitos dos raios solares e proporcionam uma ação antiglicante e deglicante à pele, com capacidade de reverter até as rugas”, finaliza.

Resumo da pauta:
OTZ 10 — Sistema antioxidante avançado - Ativo que combate a ação nociva dos radicais livres e a ação dos seus subprodutos sobre o DNA da célula e combate a degradação do colágeno.

Uso — Pode ser incorporado em cremes, géis, loções, séruns etc.

Onde encontrar  Farmácia de manipulação, com prescrição médica.

Fonte: A Biotec Dermocosméticos é empresa especializada em divulgar ao mercado de farmácias magistrais, área dermatológica e medicina estética, ativos e conceitos nutricosméticos e dermocosméticos inovadores. www.biotecdermo.com.br

 

guilherme.zanette@holdingcomunicacoes.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Considerados como membros da família, os pets têm ocupado um espaço cada vez maior nas casas, com mais proximidade e compartilhamento de tempo. A mudança...
Neste Novembro Azul, a Sociedade Brasileira de Mastologia alerta que os homens também podem ser acometidos pelo câncer de mama. Apesar de a doença atingir,...
Fechar Menu