Dom Peruzzo abre Porta da Misercórdia na Catedral de Curitiba

Na terça-feira (8), quando a Igreja celebrou a festa da Imaculada
Conceição da Mãe de Deus, foi iniciado o Ano Santo Extraordinário da
Misericórdia. Na ocasião, o Papa Francisco abriu a “Porta Santa”, na
Basílica de São Pedro. O ato foi o pontapé inicial para que todas as
arquidioceses do mundo também abrissem suas portas.
Na manhã deste domingo (13), Dom José Antônio Peruzzo, arcebispo
metropolitano de Curitiba, abriu a Porta Santa da Misericórdia, na Catedral
Basílica Menor Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.
A celebração teve início  às 10 horas, no lado de fora da Catedral,
acompanhada por centenas de fiéis.
No início do rito, o arcebispo proclamou parte de salmo que proclama a
misericórdia divina e dirigiu a Deus oração pedindo que a Igreja revele a
todas as pessoas o mistério do amor divino. A comentarista leu passagem do
documento do Papa Francisco sobre o Jubileu da Misericórdia. Em frente à
porta, o arcebispo com o Evangeliário nas mãos, recordou as palavras de
Cristo “Eu sou a porta, quem passar por mim será salvo”. Depois de oração
silenciosa, abriu a Porta da Misericórdia e todos entraram no espaço
litúrgico.
Chegado ao altar, Dom José procedeu à incensação e abençoou a água com a
qual aspergiu a assembleia litúrgica, recordando a vida nova do batismo.
“A misericórdia é um dos mais evocativos traços daquele Deus paterno
revelado por Jesus Cristo. A melhor das reações é aceitar a gratuidade de
um Deus amoroso. Que sejamos capazes de “olhar com o coração para a miséria
dos outros”, refletiu Dom Peruzzo em sua homilia.
Na Arquidiocese de  Curitiba, outros 6 Santuários terão a Porta da
Misericórdia: Santuário da Divina Misericórdia, Santuário Nossa Senhora do
Carmo, Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, Santuário Nossa Senhora do
Perpétuo Socorro, Santuário Santa Rita de Cássia e Santuário Nossa Senhora
de Schoenstatt. (consulte a programação do seu santuário)
Durante o Ano Santo os fiéis são convidados a:
– Realizar uma peregrinação a um santuário específico como sinal de
mudança de vida. Aí deve-se participar da Santa Missa ou de uma celebração
litúrgica;
– Arrepender-se dos pecados e confessar-se sacramentalmente;
– Participar da Santa Missa e comungar nela ( com exceção dos enfermos);
– Orar pelo Santo Padre o Papa e toda a Igreja.

É importante compreender este tempo de graça como um acontecimento que
transforma nosso jeito de ser Igreja. Não pode ser apenas um evento, que se
abre e se encerra, porto que a misericórdia de Deus jamais se esgota.

<vozdaigreja@arquidiocesecwb.org.br>

b3921cce-e1d0-4964-ab9d-d1f463b93acc 453a3c0e-0df6-4155-9dbd-656b8aa455f9 0d9de239-5a3e-4cb2-8c9c-2b36170dfb79

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui