OPINIÃO | Começa o Troca-Troca | AYRTON BAPTISTA

Festa em Brasília e nos pontos mais tradicionais da política brasileira. Isto, a partir de quinta-feira, com duração de 30 dias: será dado o início ao troca-troca partidário através da chamada janela. Calculam os círculos mais bem informados da capital da República, que cerca de 100 deputados federais aproveitarão para mudar de legenda, todos corajosos pois não há penalidade a ser imposta e recebida. Em outras palavras: vale tudo na política, de novo.

De modo geral, os nossos políticos fazem o contrário ao dos cartões de crédito. Enquanto estes incentivam a compra e parcelam a dívida e dão pontos de milhas, na política nacional todos querem a possibilidade de zanzar pelas legendas, sem punição, pois a liberdade de mutação lhes dá as condições de procurar o partido político que mais pode oferecer, sobremodo as condições de elegibilidade.

No Paraná, dois deputados federais eleitos pelo PT já estão figurando no Partido das Mulheres Brasileiras. Esse negócio de Petrobrás, antes o mensalão, tudo isso prejudica a carreira de quem tem ou não culpa no cartório. Melhor, pensa-se, é bater asas e procurar um ninho mais quente, capaz de lhes assegurar a renovação do mandato.

O partido, para os olhos dessa gente, é bom se estiver no poder ou em perspectiva. De longe não é cobiçado. Oposição, ora, coisa do passado. De Carlos Lacerda, Ulisses Guimarães e outras figuras marcantes da política até certo ponto, o ponto que já vai distante. Vamos então girar, hoje aqui, amanhã ali, há sempre a expectativa de que as coisas melhorem e que nos encontremos todos no poder, ainda que o poder não possa abrigar a esse batalhão todo que não respeita ideologia nem programa partidário.

O eleitor, sacrificado e espoliado pelos discursos obscuros que só prometem melhores dias sem que o seu autor saiba explicar como, o eleitor, está é manipulado a cada eleição. Agora, entretanto, é enganado fora das campanhas eleitorais, pois as “janelas” permitem essa vergonheira.

Se o leitor quiser mudar de profissão e preferir a política, fique tranquilo. Basta procurar um partido, inscrever-se para disputar a eleição próxima, com a garantia de que, não dando certo, passa para outro e para outro até o fim dos dias. É só atender aos apelos que é feito na TV e no Rádio no horário dos partidos.

 

Ayrton Baptista, jornalista.

(abnoticias@abcom.com.br)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Talvez você se interesse por estes artigos

Não só nas escolas particulares, mas também nas públicas, a área educacional e a maior parte de outras têm sentido com bastante intensidade os problemas...
Dirley Corrêa* Se olharmos atentamente para a nossa mesa de trabalho, encontraremos inúmeras ferramentas e recursos tecnológicos que facilitam a nossa vida e nos fazem...
Fechar Menu
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com