Moda autoral e sustentável para este Dia das Mães

0
41

O ato de presentear nossos parentes está nas raízes da nossa sociedade. Depois do Natal, o Dia das Mães é a data mais emblemática dos nossos tempos. No Brasil, a data é comemorada no segundo domingo de maio desde 1932, quando o então presidente Getúlio Vargas, a pedido de um grupo considerado feminista, da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, oficializou a data. Na época, a estratégia das feministas era valorizar a importância das mulheres na sociedade, animadas com as perspectivas que se abriram a partir da conquista do direito de votar que aconteceu em fevereiro do mesmo ano.


Com o passar do tempo a data que era destinada para reflexão  e confraternização entre família acabou se tornando a segunda melhor data do comércio. A homenagem atualmente está cada vez mais traduzida na compra de um presente.  

 

Valorizar o produto local também no Dia das Mães

E com tantos produtos disponíveis no mercado, de marcas nacionais e internacionais, cada vez mais as empresas locais enfrentam desafios constantes para conseguir o seu lugar ao sol. Esta é justamente a iniciativa do voltapravoce, startup paranaense de propósito educativo que incentiva negócios locais e alerta os consumidores sobre o impacto econômico, social e ambiental, e também da empreendedora  Evelise Trombini, que abriu neste mês a Revê no shopping Pátio Batel, em Curitiba. A empresária que possui o seu ateliê há cinco anos na rua Jacarezinho, também na capital paranaense, estava desde 2015 no mesmo shopping com a loja “Das Coisas Feitas Por Aí” ao lado das também empreendedoras  Carol Siloto e Sueli Zavadinack. O espaço foi criado para impulsionar produtos locais, autorais e sustentáveis.

 

Com o fim da loja “Das Coisas Feitas Por Aí“, Trombini decidiu seguir o conceito e abriu o seu próprio espaço, fornecendo ao público artigos de moda confeccionados por meio de um sistema de produção ético e sustentável.

 

Sustentabilidade com bom gosto
Indo contra a onda mundial de grandes marcas que produzem seus produtos em condições sub-humanas, chegando à escravidão, a intenção é mostrar que é possível comprar itens autorais que sigam um conceito com qualidade e que utilizam métodos justos de produção.

 

“Eu trabalho com moda autoral. A ideia é fazer uma roupa atemporal que fique bem nas mulheres independente do que acontece no mundo da moda.  Eu tenho esta marca há cinco anos e a recepção por parte do público está indo muito bem. São roupas pensadas para que a pessoa não enjoe, super clean, para uma mulher que não segue moda mas sim, sabe o que quer.”

 

Empregos diretos valorizam a cidade
Além de produtos feitos com material de alta qualidade, a empreendedora também gera diversos empregos de maneira ética. Toda  a produção é feita em Curitiba e as pessoas que fazem parte da equipe ajudam nas tomadas de decisões: “Todo mundo trabalha feliz sem aquela ideia de produção em grandes volumes e de qualquer jeito. São dez pessoas envolvidas na criação e confecção das roupas” explica Evelise.

 

A empresária salienta que, no processo de produção das roupas, acessórios e outros artigos disponíveis, são respeitados padrões éticos e ambientais. “Enquanto uma multinacional paga centavos para que uma peça seja costurada, nós pagamos mais de 20 vezes esse valor. É o preço justo e que confere dignidade para desempenhar a atividade”, afirma. Ela também conta que na sua marca de moda feminina são utilizados fornecedores nacionais, mão de obra local e processos que asseguram a qualidade e o cuidado com cada peça produzida.

Dia das Mães sustentável

E para o Dia das Mães, a expectativa é a melhor possível. Evelise explica que a recepção da loja está muito boa, mesmo enfrentando grandes marcas já consagradas dentro do mesmo shopping. A receita da empreendedora é criar modelos que atendam ao público do Pátio Batel – e este público só aumenta.

 

“Para este Dia das Mães estamos indo muito bem. A vitrine está linda e temos peças que chamam a atenção não apenas pelo seu corte e acabamento mas também pelo conceito sustentável que agrega.” conclui Evelise.  

 

Sobre o voltapravoce

O voltapravoce é uma startup paranaense de propósito educativo e transformador que incentiva negócios locais e alerta os consumidores sobre o impacto econômico, social e ambiental de suas decisões de compras. A iniciativa, lançada há quatro meses, estimula que as pessoas escolham as marcas levando em consideração o critério “local”. Ao invés de optar por produtos e serviços fornecidos por empresas globais, os consumidores precisam valorizar e dar preferência aos itens fabricados na sua região como forma de impulsionar a economia brasileira, promover ganhos sociais e reduzir os impactos ambientais.

ACESSE: http://www.voltapravoce.com.br/

 

Sobre a KAKOI Comunicação

A KAKOI Comunicação é uma empresa cujo objetivo de proporcionar aos clientes os melhores resultados com ações simples, porém focadas em nosso compromisso de abranger qualidade X resultado. A kakoi conta com equipe especializada em diferentes áreas para garantir a pluralidade dos projetos abrangendo a maior frente possível de comunicação.

 

KAKOI Comunicação

  1. Gumercindo Mares, 119 – Vista Alegre, Curitiba – PR,

Fone:  (41) 3014-7662

www.kakoi.com.br

Deixe uma resposta