No tom das boas ações: tempo do sentir afina cultura com solidariedade

0
692

Espetáculo de canto coral e contação de histórias encerra temporada com sessão gratuita, aberta ao público, no Teatro da Reitoria em 4 de dezembro

Dá para fazer muito pela sociedade com o incentivo à cultura, uma prova disso é o Tempo do Sentir. O espetáculo itinerante une o canto coral à capela com a contação de histórias, e uma pitada de inspiração vinda da literatura de cordel. Tudo para mostrar que a música erudita pode ser próxima das pessoas e encantar até quem está vivendo um primeiro contato com a arte. A escolha por privilegiar o acesso à cultura também deu o tom certo para a obra que — literalmente — vai até o público derrubando barreiras que deixam muitos de fora das iniciativas de democratização da cultura. A plateia, durante a temporada, foi de indivíduos em situação vulnerabilidade, idosos e jovens que não têm acesso a teatros ou salas de espetáculo. Mas, para encerrar a série de dez apresentações em instituições beneficentes, o Tempo do Sentir convida a todos para uma sessão aberta e gratuita no Teatro da Reitoria em 4 de dezembro, quarta-feira, 19h30.

UM REPERTÓRIO PARA ENCANTAR

O repertório são obras de compositores do renascimento e do barroco, dos séculos XIX-XX de diversas nacionalidades (Monteverdi, Orlando di Lassus, Banchieri e Brahms, entre outros), entrelaçadas por encenações curtas que levam à reflexão sobre as relações cotidianas. Os temas são próprios da vida em comunidade: confiança, virtude, amor, amizade e morte, e mostram que é também no outro que reside a nossa existência. A produção é de Sarah Drechsel que, além de integrar o coro, concebeu o espetáculo juntamente com Felipe Biesek, diretor artístico e regente.

Biesek vem ganhando visibilidade na música como um jovem talento. Aos 27 anos, é o maestro assistente do Coro da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e viaja pelo Brasil e exterior para se especializar sempre que possível. Em julho de 2019, foi selecionado para participar do Curso de Direção de Ópera da Orquestra Municipal de Concepción, no Chile, sob orientação de Carlos Alberto Vieu, e regeu o concerto de encerramento. Em setembro do mesmo ano, estreou sua composição Missa São João Paulo II na Capela Santa Maria. Ele afirma estar feliz com o alcance e a receptividade do Tempo do Sentir:

“Mostrando essas peças a públicos tão diversos, percebemos que a distância entre música erudita e as pessoas é menor do que pensávamos. Espero que essa iniciativa seja exemplo para orquestras e coros em todo o País.”

Já Sarah Drechsel, além de integrar o Coro e o Madrigal da UFPR como cantora mezzo-soprano, tem uma atuação intensa na função de produtora cultural. Foi responsável pela produção executiva do show Dani Zan Convida Tetê Espindola pelo Sesi Cultura Paraná, e pela direção de produção do CD e do show Raul de Souza/Curitiba 58, entre outros. A dupla se conheceu no Coro da UFPR e desde então vem empreendendo ideias para espetáculos de música e teatro. Sarah destaca a importância de levar aos palcos um projeto como o Tempo do Sentir:

“Fora o acesso do público à cultura, estamos proporcionando uma chance para a profissionalização de músicos em início de carreira. Alguns, apesar da ótima formação, participam de uma temporada como profissionais pela primeira vez.”

QUEM LEVA O TEMPO DO SENTIR PARA O PALCO

O elenco ainda conta com a atriz Carolina Maia, que interage com a plateia e com os cantores durante a encenação. No total, a equipe do projeto envolve 25 profissionais entre artistas e técnicos. Durante a temporada em instituições beneficentes, as sessões foram realizadas no Pequeno Cotolengo, Instituto Paranaense de Cegos, Lar Recanto do Tarumã, Escola Potty Lazarotto, Instituto Semeando a Paz, Escola Especial Prof. Altayr dos Santos Cavalli, Hospital Santa Casa de Misericórdia e Asilo São Vicente.

Tempo do Sentir conta com incentivo da Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná – Celepar e apoio do Coro da Universidade Federal do Paraná – UFPR. O projeto é realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

FICHA TÉCNICA – TEMPO DO SENTIR

Direção artística e regência: Felipe Biesek
Direção de produção: Sarah Drechsel
Direção cênica: Carolina Maia

Coro:
Sopranos: Cristiane Serkes, Isabel Gabiatti, Lívia Ribeiro, Luana Muraski
Altos: Daniele Franco, Gabriela Guilgen, Mariana Surkamp, Sarah Drechsel
Tenores: André Reese, Igor Correia, Gabriel Machado
Baixos: Gabriel Bin, Matheo Roeder, Nando Lemos

Atriz: Carolina Maia

Preparação vocal: Lívia Ribeiro
Produção executiva: Cristiane Serkes
Assistente de produção: Millena Melchioretto
Fotografia: Amanda Sartor
Design Gráfico: Seiji Sato
Ilustração: Hermes Adriano Drechsel
Assessoria de Comunicação e Imprensa: Luciana Melo e Rafaela Moura
Apoio: Coro da UFPR
Incentivo: Celepar e Fundação Cultural de Curitiba

SERVIÇO – TEMPO DO SENTIR
Canto coral e contação de histórias

Local: Teatro da Reitoria da UFPR
Endereço: Rua XV de Novembro, 1299. Centro.
Curitiba-PR. CEP 80060-000.
Data: 04 de dezembro – quarta-feira
Horário: 19h30
Entrada franca
Duração: 45 minutos
Classificação Indicativa: livre
Informações: Facebook @tempodosentir

Comments are closed.