Banda “Cidrais” reflete as relações amorosas contemporâneas em seu novo clipe ‘’Talvez’’

A obra é produzida pelo Estúdio 172, com a direção de Carol Muller e participação de artistas da cena independente da cidade

Banda “Cidrais” reflete as relações amorosas contemporâneas em seu novo clipe ‘’Talvez’’

A banda curitibana “Cidrais”, composta pelos irmãos Binho Cidral, Vinicius Cidral e Larissa Cidral, divulgou, nessa sexta-feira (19.03), o clipe inédito da música “Talvez”, último single lançado pelo trio.

A obra do coletivo de arte Cidrais busca integrar linguagens artísticas e funciona como um ponto de encontro para artistas da cena independente. O mais recente lançamento do videoclipe de ‘’Talvez’’, com a direção de Carol Muller e produção executiva de Felipe Fonseca, é a prova disso.

A narrativa do clipe foca na vida de dois casais e nas transformações que acontecem nas relações amorosas contemporâneas. Para ajudar na composição da narrativa, a produção do clipe contou com um elenco formado por artistas curitibanos: Luciana Tavares e Rodrigo Nick, fundadores da agência Tuttan; a artista visual, Cyber Sexxi; e o performer, Rick Vieira.

De acordo com o vocalista Binho Cidral, o processo de construção do clipe “foi uma oportunidade de amadurecermos coletivamente e darmos vazão às nossas inquietações”. Já para Larissa, o projeto também reforça a importância de dar voz à arte independente. “É importante valorizar a arte local e unir as potências artísticas de cada um. O resultado é muita energia vital concentrada”, comenta a vocalista.

Convidada para fazer a direção da obra, Carol Muller usou toda sua bagagem sensível e técnica para construir o universo do clipe. ‘’A narrativa paralela é sobre a crise que chega num momento de exaustão, seja de tanto correr ou por simplesmente ficar parada. Nossa cabeça faz a gente reviver momentos e aos poucos revela tudo que negamos, mas está ali e não podemos negar. Talvez é sobre a delicadeza dos sentimentos que pulsam, doem e nos fazem amadurecer”, diz a diretora.

Ainda sobre as simbologias do clipe, Carol Muller explica sobre os elementos envolvidos na construção da narrativa. “A água, como símbolo de purificação e renascimento, é evocada em suas diferentes forças para representar cada um dos relacionamentos. O rio, fluído, entrelaçado, é uma constante. E o mar, imenso, turbulento, é o desconhecido. Assim como o amor de quem ainda está aprendendo o valor da sua solitude. Tudo é abordado de forma extremamente simbólica e sensorial, dando a liberdade para o espectador sentir como lhe é concebido, pois todos passamos por isso e temos a nossa forma de ver e lidar com as relações e o que elas têm a nos ensinar”, explica. “Cada casal tem o seu tom, equilibrando e contrastando os universos. As cores conversam com a natureza de cada personagem, tanto aconchegando quanto trazendo a frieza que cada um carrega em determinados momentos’’, finaliza a diretora.
A banda também está em pré-produção de seu novo álbum, sem data definida para lançamento. A gravação acontecerá no icônico Estúdio Toca do Bandido, no Rio de Janeiro, por onde passaram artistas como Maria Rita, Adriana Calcanhoto e Milton Nascimento, tendo a produção musical de Felipe Rodarte e a direção artística de Constança Scofield.

“Não podemos adiantar muito sobre o álbum, mas posso dizer que ele será feito com muito amor, entrega e maturidade. Estamos em um momento de redescoberta da nossa criação artística e encontramos os parceiros certos para fazer essa viagem!”, diz Vinicius Cidral.

 

Conheça a Cidrais

A Cidrais é uma banda de irmãos e um coletivo de arte. Desde muito cedo, Vinicius, Larissa e Binho Cidral criam de maneira livre e criativa suas composições e arranjos. Naturais de Foz do Iguaçu, foi em 2013 que os irmãos, pela primeira vez, se formaram como conjunto musical, na cena alternativa de Porto Velho, Rondônia, em um festival de rua chamado “Acústico Lo-Fi”. Mas foi em 2016, já em Curitiba, que os três decidiram se dedicar às composições autorais, mesclando sons de MPB, POP e Indie.

O processo de desenvolvimento como banda se deu durante o tratamento de câncer da mãe dos artistas. A dor, o dom e a criatividade foram atributos em comum entre os irmãos. Fizeram da arte um refúgio. Das músicas, acalento. Além de servir como consolo e uma forma de encarar um momento delicado de forma mais leve, os irmãos cativaram, com suas composições, familiares, amigos e até outros pacientes.

As composições de Vinicius Cidral ganharam forma e contundência nas vozes de Larissa Cidral e Binho Cidral. Foi dessa forma que transformaram um momento delicado em algo bonito e artístico, como o fazem hoje durante a pandemia.

O período vivido pelos irmãos resultou nos primeiros trabalhos da Cidrais. O EP ACALENTO (2018) e EP AFLORAR (2018), frutos da produção colaborativa e independente, apresentaram músicas recheadas de sensibilidade, delicadeza e poesia. No mesmo ano, foram convidados para abrir o show do cantor “Silva”, na Ópera de Arame, dividindo o palco com a banda Tuyo, também de Curitiba. No último e mais recente trabalho, EP ENCANTO, a banda experimentou a integração total de outras formas de linguagem: o cinema, a moda e o teatro surgiram para adicionar camadas ainda mais sensíveis nas novas canções.

O trabalho da banda está disponível para ouvir em todas as plataformas digitais.

Para assistir o clipe: https://youtu.be/eswtdl8cahk

Conheça mais sobre a banda:

www.cidrais.com
www.youtube.com/cidrais
www.instagram.com/cidraiss

flaviamellodemelo@gmail.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assine a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

spot_img