Anticoncepcionais podem deixar as mulheres mais cansadas?

A fadiga é um possível efeito colateral, mas hoje existem diversas opções de anticoncepcionais, então conversar com seu médico é o melhor a fazer

Anticoncepcionais podem deixar as mulheres mais cansadas?Quando as mulheres estão considerando opções de controle de natalidade, há uma série de coisas que elas devem considerar. De como funciona, eficácia, quanto tempo dura, o que os médicos recomendam e muito mais, há também alguns fatores que detectam se uma determinada forma de controle de natalidade é a certa para você. Os possíveis efeitos colaterais relatados também são coisas importantes a se considerar. O controle da natalidade te cansa? Afeta sua libido? “Embora alguns efeitos colaterais potenciais do controle de natalidade, como o desenvolvimento de coágulos sanguíneos, sejam bastante sérios, outros são mais incômodos. Se o método anticoncepcional que você usa acaba com a sua energia e a deixa esgotada, isso pode afetar sua produtividade no trabalho, perturbar seu humor e outros aspectos de sua vida”, explica a ginecologista Dra. Eloisa Pinho, da Clínica GRU.

Segundo a ginecologista, esse efeito colateral não é tão comum, mas pode acontecer. “A fadiga é listada como um efeito colateral (geralmente escrito na embalagem do folheto do paciente dentro da caixa) em certos comprimidos, anéis vaginais e implantes. A maioria dos efeitos colaterais, incluindo cansaço excessivo, pode ser atribuída aos hormônios do anticoncepcional; portanto, quanto mais alto o nível de hormônio, maior a probabilidade de você sentir efeitos colaterais. Teoricamente falando, o mecanismo de ação de uma pílula anticoncepcional oral combinada, que inclui a redução dos níveis de andrógeno (testosterona sendo um deles). Se atribuirmos níveis de energia, motivação, desejo sexual, etc. aos níveis de testosterona, suponho que energia diminuída ou sonolência pode estar associada ao uso de anticoncepcionais”, destaca.

É provável que a maioria das pessoas veja essa ligação como um efeito indireto de algo como diminuição da libido ou motivação. A fadiga também pode estar relacionada à depressão. Muitos anticoncepcionais alertam que a depressão é um efeito colateral potencial, embora a ligação entre os dois não seja totalmente clara e ainda necessite de mais pesquisas. “Considerando como muitas mulheres estão sobrecarregadas no trabalho, é provável que, mesmo que estejam sentindo sonolência ou exaustão como efeito colateral do uso de anticoncepcionais, elas provavelmente estejam atribuindo isso a algo totalmente diferente”, explica.

Segundo a ginecologista, alguns trabalhos demonstraram uma possível relação entre contracepção e melhora do sono noturno. “Isso significa que algumas mulheres podem realmente dormir mais profundamente e se sentir mais energizadas durante o dia. Para se ter uma ideia melhor do efeito do controle da natalidade nos níveis de energia e no sono, são necessárias mais pesquisas”, explica a médica. “Em última análise, é possível que seu método preferido de controle de natalidade esteja deixando você exausta ou afetando de alguma forma sua qualidade de sono. Isso pode acontecer por causa da diminuição da testosterona e aumento dos níveis de outros hormônios”, explica.

Se você está preocupada com a fadiga ou outros efeitos colaterais do controle de natalidade, como sensibilidade nos seios, acne ou alterações de peso, você pode preferir o DIU de cobre, que é um anticoncepcional não hormonal. “Como há tantas coisas que podem causar esgotamento de energia, se você estiver sentindo um cansaço inabalável, talvez valha a pena conversar com seu médico, que pode descartar outras causas. Se você suspeita que seu método anticoncepcional está desgastando você, converse com seu médico também. Claro, ele pode primeiro descartar suas preocupações ou querer ter certeza de que não há mais nada acontecendo, mas se for o método contraceptivo, há algo que pode ser feito a respeito. Existem tantas opções quando se trata de anticoncepcionais hoje em dia, não há razão para permanecer fiel a um que está fazendo você se sentir péssima”, finaliza.

FONTE:

*DRA. ELOISA PINHO: Ginecologista e obstetra, pós-graduada em ultrassonografia ginecológica e obstétrica pela CETRUS. Parte do corpo clínico da clínica GRU Saúde, a médica é formada pela Universidade de Ribeirão Preto, realiza atendimentos ambulatoriais e procedimentos nos hospitais Cruz Azul e São Cristovão, além de também fazer parte do corpo clínico dos hospitais São Luiz, Pró Matre, Santa Joana e Santa Maria.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui