Vale a pena investir no botox preventivo?

Toxina botulínica deixou de ser associada ao tratamento das linhas e rugas e agora é aplicada antes mesmo desses primeiros sinais do envelhecimento. Mas isso vale a pena?

Vale a pena?

Procedimentos preventivos nunca foram tão procurados no mundo inteiro. “A geração das selfies é extremamente obcecada por uma foto perfeita, por isso a pele impecável é uma ambição. Uma das tendências buscadas, principalmente por jovens de 20 a 30 anos, é a aplicação preventiva da toxina bolutínica. O conceito da aplicação antecipada da toxina botulínica é o de tratar os músculos faciais que você usa com mais freqüência, a fim de evitar a formação de rugas”, explica a Dra. Roberta Padovan, médica pós-graduada em Dermatologia e Medicina Estética. Popular entre os jovens, hoje em dia esse é apenas um dos procedimentos adicionados à rotina, como depilação, coloração do cabelo e tratamentos faciais. Mas será que vale a pena? “O mais importante é a indicação do médico após avaliação da pele do paciente. Não há idade exata para iniciar os procedimentos com toxina. Mas em alguns casos pode ser mais indicado outros tratamentos para formar uma ‘poupança de colágeno’, como o ultrassom microfocado ou os lasers”, acrescenta a médica.

Como funciona o ‘botox preventivo’: A Toxina Botulínica Tipo A é um neuromodulador que funciona como um “relaxante muscular seletivo” para reduzir as rugas dinâmicas do movimento, de acordo com a médica. “Essa proteína paralisa temporariamente os músculos. A prevenção do aparecimento das rugas, com o uso da toxina botulínica, é mais indicada quando a paciente possui pele clara, fina, expressões faciais muito fortes e faz ‘careta’ involuntária o tempo inteiro, por exemplo”, destaca.

No entanto, a aplicação do componente em pacientes com menos de 30 anos é feita em casos específicos. “São situações em que notamos nessa paciente uma característica ou tendência de que ela apresentará ou já tem linhas finas ou rídulas [primeiros sinais de envelhecimento na pele]”, afirma. Um grupo que geralmente procura esse tratamento, de acordo com a médica, são as pessoas com olhos claros, pois elas costumam, naturalmente, fazer contração na presença da luz. “O paciente acaba fazendo o movimento involuntário de contrair a sua pupila, o que faz com que o músculo ao redor dos olhos se contraia também e comece a formar, por conta disso, as rugas. Então, em alguns casos – quando nós temos essas características – existe sim a indicação”, destaca. “É importante notar também o músculo entre as sobrancelhas, especialmente na expressão facial, em situações quando a pessoa está preocupada ou prestando atenção em algum assunto. Muitas vezes, ela faz o movimento e isso não tem correlação com a idade, então temos uma demarcação dessa ruga precocemente. Nesse caso também, o paciente vem ao consultório apenas pra aplicar a toxina botulínica na musculatura entre as sobrancelhas”, declara.

Como o tratamento com a toxina botulínica é muito conhecido, é comum que pacientes acreditem que ela resolverá todos os problemas relacionados ao envelhecimento. “Há casos em que o paciente necessita de um maior estímulo de colágeno, o que pode ser conseguido com ultrassom microfocado, radiofrequência microagulhada ou lasers”, explica a Dra. Roberta.
Não há idade exata para iniciar os procedimentos preventivos, mas se o paciente está começando a ver traços de linhas em seus vinte e poucos ou trinta anos, ele tem a opção de realizá-los. “Se alguém é expressivo com o rosto e propenso a obter linhas, deve considerar a possibilidade de explorar um neuromodulador preventivo. Alterações como manchas podem ser resolvidas com lasers, enquanto a flacidez de pele pode ser tratada com o ultrassom microfocado. Quanto mais tarde você começar, mais difícil será alcançar os resultados ideais”, diz a Dra. Roberta Padovan.

Aos pacientes que desejam fazer a aplicação, é importante lembrar, contudo, que o profissional mais indicado para realização do procedimento é o médico, para evitar ‘desastres’ e exageros com uma imagem “fake” e um rosto congelado. “Se não existe qualquer sinal da necessidade da toxina, a aplicação deve ser evitada até que se faça necessário. Quanto aos resultados de pacientes orientados e tratados com a toxina, eles devem ser sutis e naturais e o procedimento não será perceptível se for injetado em pequenas doses e por um profissional médico experiente. Os resultados vão desde uma aparência mais ‘descansada’, com sobrancelhas mais definidas e olhar mais jovem”, finaliza.

FONTE: *DRA. ROBERTA PADOVAN: Médica Pós-graduada em Dermatologia. Graduada em Medicina pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Medicina Estética e Dermatologia pela INCISA. Com participação regular em congressos, jornadas e cursos nacionais e internacionais, a médica é proprietária de duas clínicas, no no Maranhão e em São Paulo, com diversos tratamentos para saúde e beleza da pele. Além disso, atuou como médica residente no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. www.robertapadovan.com.br

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui