Busca pelo natural: pandemia trouxe um novo perfil de pacientes de cirurgias plásticas

Após as festas de fim de ano, busca por procedimentos cresce 50%

A pandemia da COVID-19 trouxe um novo perfil de pacientes para os consultórios de cirurgia plástica: a saúde e o bem-estar estão mais presentes nas decisões dos que buscam por procedimentos. Dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) e Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) colocam o Brasil como o país com o maior número de realizações de cirurgias plásticas no mundo, com aproximadamente 1,5 milhão de cirurgias ao ano.

O médico cirurgião plástico Bruno Legnani afirma que hoje o resultado o mais natural possível está entre as principais exigências dos pacientes. “A pandemia aumentou a busca pelas informações e autocuidado. Eles chegam no consultório mais informados, e prezam pela naturalidade na escolha dos procedimentos”, explica.

Legnani, que registra em janeiro um aumento de 50% na busca pelos procedimentos, fala que entre as cirurgias mais realizadas, estão as cirurgias da mama, para gordura localizada, levantamento de pálpebras e rinoplastia – que é a plástica de nariz. “Na pandemia, notamos que muitas pessoas tiveram mais tempo para analisar sua aparência, principalmente por se ver mais nos vídeos e a demanda aumentou bastante nos últimos meses, com a liberação das cirurgias eletivas. Por outro lado, os pacientes tiveram maior tempo para se informar e chegaram mais decididos nas consultas”, lembra.

O resultado natural está no topo das solicitações. “Em todos esses procedimentos, é possível ter um resultado mais natural, avaliando a anatomia de cada paciente. Cada corpo é único, e respeitar as particularidades é essencial para um resultado mais harmônico”, explica. Essa tendência é percebida principalmente em pacientes acima dos 30 anos.

Legnani lembra que independente do desejo da paciente, é a avaliação médica que determina qual o procedimento indicado para obter o resultado esperado.  “Muitas pacientes buscam a cirurgia plástica para emagrecer, porém a lipoaspiração, por exemplo, consegue apenas retirar a gordura localizada do corpo. Se o paciente está acima do peso, não terá um resultado satisfatório”, completa, lembrando que não devem ser realizadas cirurgias estéticas em pacientes com IMC acima de 30.

O médico lembra que é essencial procurar um profissional que seja cadastrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). A pesquisa é feita em poucos minutos, no site da instituição. “Se possível, converse com pacientes que já realizaram o procedimento e decida na primeira consulta se as informações passadas pelo médico são satisfatórias para você”, finaliza.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui