Desserviço dos mistificadores

Paiva Netto

Nosso trabalho visa à sublimação da Religiosidade, que não se posiciona como concorrente das religiões nem se apresenta na forma de uma trave na garganta dos que consideram o ensino religioso um retrocesso. Infelizmente, existe esse velho perigo, tendo em vista a lamentável luta secular pela hegemonia desencadeada por algumas crenças. Abro parênteses para reforçar que de nenhum modo compactuamos com qualquer postura opressiva, intolerante ou segregadora no campo sagrado da Fé e em outras áreas. Promovemos, isso sim, a convivência pacífica e ecumênica como bom futuro para todos.

Prosseguindo em nosso raciocínio, devemos compreender que a Espiritualidade é algo inerente aos indivíduos. Brado há décadas: estamos corpo, mas somos Espírito. Conforme escrevi em um artigo na Folha de S.Paulo, de 9 de agosto de 1987, e mais tarde no livro Mãezinha, deixe-me viver! (1989), não se pode eternamente impedir a manifestação daquilo que nasce com o ser humano, mesmo quando ateu: o sentido de Religiosidade, que se expressa das mais variadas formas altruísticas. Para além do debatido determinismo histórico — em resumo, a visão de que nossas ideias são determinadas pela nossa situação histórica —, trata-se, acima de tudo, do Determinismo Divino, de que nos falava Alziro Zarur (1914-1979), saudoso Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo. Antes que fatalmente a Ciência conclua em laboratório a perenidade da Vida, cumpre à Religião, jogando no lixo preconceitos e tabus milenares, não temer falar, com maior objetividade, sobre o prosseguimento do Espírito após a morte, e pesquisar o Mundo Invisível para valer.

O espírito de Religiosidade sobrevive à descrença dos irmãos céticos e, o que é mais difícil, ao desserviço dos mistificadores.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

 

_______________________________

ServiçoTesouros da Alma (Paiva Netto), 304 páginas. À venda nas principais livrarias ou pela www.amazon.com.br.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui