Prevenção de doenças bucais depende de rotina e de apoio especializado

Oito a cada 10 brasileiros sofrem com as patologias da boca, situações que podem ser evitadas com a higiene adequada no dia a dia, com o uso de produtos adequados, além de visitas regulares ao dentista

A preservação da saúde bucal é fundamental para o bem-estar do organismo, mas ainda é um desafio em um país como o Brasil, no qual 11% da população nunca foi ao dentista, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Uma das consequências disso é que pelo menos oito milhões de brasileiros com mais de 30 anos já usam próteses dentárias, segundo o IBGE.

A boca é afetada por inúmeras doenças, mas, em geral, todas têm um comportamento comum: nascem da má higienização e da falta de um acompanhamento profissional. Estima-se que 8 a cada 10 brasileiros sofrem com algum tipo de patologia, sendo possível destacar a halitose, a gengivite, a periodontite, a peri-implantite e, a mais conhecida de todas, a cárie.

Algumas dessas doenças têm consequências graves ao portador. Em casos mais extremos, podem levar à perda dos dentes. Além disso, elas costumam estar conectadas entre si: a existência de uma leva ao surgimento de outra, aumentando a gravidade do problema.

Os sinais

Por resultar “apenas” em mau hálito, a halitose passa despercebida entre aqueles que não se consultam regularmente com o dentista. Situação similar ocorre com a cárie, que resulta do acúmulo de placa bacteriana nos dentes, degradando o esmalte e podendo alcançar partes mais internas dos dentes.

“A gengivite consiste em uma inflamação da gengiva, com sangramento durante a escovação, vermelhidão e inchaço, aparecendo entre as principais enfermidades bucais. Sua evolução pode apresentar halitose ou, em casos mais graves, evoluir para a periodontite, que é uma das principais causas de perda dentária e a mais grave entre as doenças mencionadas. Existem duas formas de doença periodontal: a gengivite e a periodontite. A gengivite é a forma inicial e afeta apenas a gengiva”, explica Tatiana Deliberador, doutora em Periodontia.

A periodontite atinge cerca de 90% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e desencadeia diversas complicações no organismo, como dificultar o controle da diabetes, induzir partos prematuros e aumentar o risco de infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

A doença periodontal é uma das mais prevalentes no mundo. No Brasil, atinge grande parte da população, sendo o sangramento, a presença de inflamações e o amolecimento dos dentes as suas características mais comuns.

Existem também os problemas causados por infecções em regiões que receberam implantes dentários. A peri-implantite é causada a partir da acumulação de placa bacteriana sobre os implantes, provocando inflamação nos tecidos ao seu redor. Como resultado, há a destruição do osso presente ao redor do implante, podendo levar a perda do mesmo.

Formas de prevenção

Na maioria das enfermidades citadas, a principal forma de prevenção é a higiene bucal adequada e as consultas regulares ao dentista. Para auxiliar na efetividade da higiene em casa, existem produtos direcionados para tratamentos, como aqueles com liberação de oxigênio, que ajudam no controle da placa bacteriana e estimulam a cicatrização.

“A forma como esses produtos trabalham ajuda a eliminar os micro-organismos danosos, causadores de inflamações e infecções. A substância aumenta a quantidade de vasos sanguíneos e a formação de fibras colágenas, fatores fundamentais para cicatrização”, explica Tatiana Deliberador, doutora em Periodontia.

Os diferenciais do produto

O enxaguatório bucal da blue®m (empresa do ramo de produtos de prevenção e tratamento odontológico) — ajuda no controle das principais doenças bucais, até mesmo as mais graves como a periodontite. Seu efeito dura por até 8 horas na cavidade bucal.

“O enxaguatório realmente é mais indicado na prevenção. Por exemplo, quando se faz a exodontia do terceiro molar (o dente do siso), indica-se o bochecho para fazer o controle químico da placa, pois o paciente não deve escovar a região, assim evita-se o acúmulo de bactérias e uma possível reação inflamatória e infecciosa na região, pontua Tatiana.

Para pessoas que apresentem alergias aos seus componentes e para pacientes com mucosas hipersensíveis, indica-se o uso do fluido bucal, também presente no catálogo da blue®m. Esse produto auxilia na prevenção e tratamento de doenças como mucosite, lesões bucais traumáticas, periodontite grave, peri-implantite e doenças estomatológicas – em pacientes com pênfigo vulvar, penfigóide e líquen plano.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui