Logística reversa é mais que transportar embalagens vazias

Diversas soluções para embalagens têm apresentado soluções logísticas para o problema da distribuição. Existem projetos de embalagens fundamentais para o desenvolvimento de novos sistemas de distribuição, aproveitando as dimensões regulares, assim como soluções inovadoras criadas para reaproveitar embalagens que participam cada vez mais ativamente das atividades logísticas, impactando diretamente custos e no desempenho ambiental.

Diferente da crença geral, a logística reversa não se resume em levar caixas vazias do PDV para a fábrica, mas, trata da recuperação e reciclagem de contêineres, embalagens e resíduos perigosos – bem como processos de devolução de estoque em excesso, devoluções de produtos por clientes, produtos obsoletos e estoques sazonais.

Para Renato Pádua, Gerente Comercial da CWBem, a prática, inclusive, contribui decisivamente para os lucros da indústria:

“É fundamental criar sinergia no fluxo de entrada e saída. Evidente que a magnitude e o impacto da logística reversa diferem dependendo da indústria e dos modos de distribuição escolhidos, mas, fica claro que a tem um peso significativo na economia da empresa, incrementando uma receita antes perdida ao resultado financeiro, e garantindo uma imagem positiva perante a sociedade.“

Principais tipos de logística reversa no Brasil
Logística pós-consumo
Este canal de distribuição da logística reversa consiste no retorno de produtos já consumidos ou que estão chegando no vencimento da data de validade. As empresas utilizam para o retorno de embalagem descartável, priorizando apenas a reciclagem dos materiais.

Logística reversa pós-venda
Outra modalidade relacionada à devolução de produtos que não atenderam as expectativas dos clientes. Produtos com defeitos, pedido enviados de maneira incorreta e arrependimento da compra são algumas das origens desta devolução. A empresa simplesmente recupera o produto fazendo o seu recolhimento e reaproveitado para uma nova venda.

Leilão
Este é uma nova categoria de canal de logística reversa em que a empresa consegue lucrar com a venda do resíduo. Materiais descartados como livros, móveis, equipamentos eletrônicos e até mesmo veículos podem ser leiloados, evitando o descarte incorreto dos resíduos.

“Se a empresa não tem uma visão estratégica sobre logística reversa, é possível que encontre problemas em um futuro próximo. A terceirização personalizada direciona esforços para garantir este fluxo, com reduções significativas nos custos logísticos” completa Pádua.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui