Seis startups vencem o Mapa Conecta Proteína Animal no INOVAMEAT

Três agtechs na categoria iniciante e três da avançada foram eleitas as melhores no desafio de startups realizado em evento de proteína animal em Toledo

Premiacao-startup-Spectral-Solutions-1o.Lugar-categoria-inciante-
Crédito da foto: Ricardo Morante/Prefeitura de Toledo

Terminou na sexta-feira (1º) o Mapa Conecta Proteína Animal – desafio de startups especializadas em soluções para a cadeia de proteína animal – evento que integra a programação do INOVAMEAT Toledo – Inovação na Produção de Proteína Animal, que encerra neste sábado (2 de abril), no Centro de Eventos Ismael Sperafico, em Toledo, Oeste do Paraná.

Na categoria iniciante (Start), o primeiro lugar ficou com a startup Spectral Solutions, de Embu das Artes (SP), seguida pela Tau Flow, de Campinas (SP) e a Perceptron, do Chile. A vencedora da categoria avançada (Up) foi a startup Ecotrace Solutions, de Vinhedo (SP), em segundo, ficou a Roboagro, de Caxias do Sul (RS), seguida da PackID, de Chapecó (SC). O prêmio das vencedoras foram R$ 5 mil e as que ficaram em segundo lugar, R$ 3 mil. As vencedoras estavam entre as 20 finalistas do desafio, que obteve mais de 60 startups inscritas. Os estados que mais contabilizaram inscrições foram Paraná, com 28 startups (57,14%), São Paulo, com 10 (20,41%) e Minas Gerais, que somou 4 (8,16%).

O Mapa Conecta foi realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Sebrae, Sindicato Rural de Toledo, Associação Comercial e Empresarial de Toledo (ACIT) e FB Group. Com o apoio da Prefeitura de Toledo; Parque Tecnológico Itaipu-Brasil (PTI); Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC) e Biopark.

A gerente de marketing da Spectral Solutions, Thaís de Souza Vicentini, vencedora da categoria iniciante, explica que a startup de Embu das Artes (SP) trabalha desenvolvendo soluções que fornecem análises químicas rápidas, tanto para processo no campo quanto no laboratório. São análises químicas que você não precisa de reagentes, nem de amostras. Aqui, no Inovameat, nosso foco foi os sensores portáteis, onde você reproduz análise de laboratório em um clique, só com um sensor e aplicativo de celular. O que queremos agora é popularizar nossos produtos, estamos idealizando a parte de escala para os aluguéis dos sensores e logística, para chegar aos produtores. As vendas dos sensores estão na faixa de R$ 200 a R$ 48 mil e queremos aluguéis na faixa entre R$ 600 e R$ 2 mil por mês”, detalha Thaís.

Já a Ecotrace Solutions, vencedora na categoria avançada, é uma empresa de rastreabilidade do agronegócio, que atua na cadeia de proteína animal bovina, frango e têxtil, garantindo que o produto não tem origem em área de desmatamento ou terra indígena. Segundo a head de inovação da startup Ecotrace Solutions, Maria Paula de Castro, comprovar as boas práticas de produção desde a origem do produto é muito importante para a comercialização no exterior. “Os mercados da China e Europa são muito criteriosos neste quesito e querem a garantia da origem do produto”, enfatiza Maria Paula. Segundo Maria Paula, o faturamento da empresa está crescendo 300% ao ano desde sua criação, em 2018, em Vinhedo (SP).

Durante a apresentação das 20 finalistas, vários investidores estiveram presentes e outros participaram de forma on-line do evento. Entre eles, estavam Adisseo, Barn Investimentos, Cedro Capital, Food Tech Hub, SP Ventures, Smart Value e NT Agro. Após o anúncio das vencedoras, foi aberto um espaço para rodada de negócios entre as startups, investidores, cooperativas e aceleradoras.

“O evento, para nós, cumpriu com a nossa estratégia de se posicionar na área de inovação. Tudo indica que estaremos de novo aqui. Para ter sucesso, procuramos ter uma programação intensa no espaço Sebrae. Durante os três dias, tivemos exposições de cerca de 25 startups, o Mapa Conecta e a rodada de negócios, onde as startups puderam conversar não só com investidores, mas também com compradores, agroindústrias, cooperativas, como também se conectaram com os habitats de inovação – aceleradoras e parques tecnológicos. Hoje, estamos tendo o encontro das startups que têm CEOs mulheres e o TOP 10 que reúne as dez principais startups da região. Para fechar, vamos apresentar o mapeamento que o Sebrae fez das startups do Paraná”, revela o consultor do Sebrae Regional Oeste do Paraná, Emerson Durso.

Newman Costa, analista em agronegócio do Sebrae Nacional, complementa que a instituição tem na sua estratégia elevar a produtividade, competitividade, sustentabilidade e crescimento dos pequenos negócios rurais, promovendo o acesso ao mercado, e o desenvolvimento territorial integrado por meio da profissionalização de cadeias produtivas do agronegócio.

A iniciativa integra a estratégia de aproximação do Mapa aos ecossistemas regionais de inovação alinhado ao portal Agro Hub Brasil, lançado em março. Para Antônio Carlos Pias de Castro, coordenador de Articulação e Promoção de Iniciativas de Promoção do Mapa, que esteve presente no INOVAMEAT, estes eventos têm aproximado os atores do agronegócio e aprimorado a produção agropecuária pelo Brasil. “Não é por acaso que o nome do evento é Mapa Conecta, queremos através de vários encontros fazer a conexão entre empresários, investidores, indústrias, produtores rurais e as startups. Com isso, conseguimos dar maior visibilidade para dores reais dos produtores, das cooperativas, das agroindústrias para que as startups consigam trazer as soluções que vão fazer a diferença na vida do agronegócio brasileiro”, comenta Castro.

Foodtech Toledo

Na tarde de ontem (1º), também ocorreu o lançamento da Foodtech Toledo. A Sebrae regional Oeste do Paraná apresentou um estudo técnico sobre a vocação de Toledo para o setor de alimentos. “Neste estudo também ficou comprovado que, além de ser forte na produção de alimentos, Toledo também tem potencial grande para gerar inovação em alimentos, evidenciado pela graduação, mestrado, doutorado e pesquisadores de excelência no tema. Então quando fazemos um cruzamento de tudo isso e as tendências mundiais, nacionais e paranaenses, o potencial de gerar inovação da cidade fica ainda mais forte”, revela Emerson Durso.

Segundo ele, o próximo passo será analisar a maturidade do ecossistema, verificando a integração entre os atores, pois é preciso que tenham projetos em comum para fortalecer o ecossistema. “Com representantes do Sindicato Rural, Prefeitura, cooperativa, academia e Fiep, vamos construir um plano dos pontos mais frágeis do setor e criar uma governança para gerir o plano. A próxima reunião do grupo será no dia 28 de abril e o plano de ação deve ser divulgado em junho deste ano”, conclui Durso.

Vencedores Categoria START(Iniciante)

1º lugar – Spectral Solutions – startup de soluções para análises químicas de amostras rápidas, de Embu das Artes (SP)

2º lugar – Tau Flow – startup da área de tecnologia da informação, de Campinas (SP)

3º lugar – Perceptron – startup usa modelos matemáticos e cria soluções para agroindústrias, empresas da área da saúde e financeira, do Chile

Vencedores Categoria UP (Avançada)

1º lugar – Ecotrace Solutions – startup de rastreabilidade do agronegócio, de Vinhedo (SP)

2º lugar – Roboagro – startup de alimentação automatizada de suínos, de Caxias do Sul (RS)

3º lugar – PackID – startup de monitoramento de temperatura e umidade de ambiente, de Chapecó (SC)

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui