HOME Notícias de Entretenimento Bandas Curitibanas representam o Paraná no maior festival de Covers do Brasil

Bandas Curitibanas representam o Paraná no maior festival de Covers do Brasil

A foto em anexa é da banda P!RA de Curitiba, a ordem da foto da esquerda para direita estão:
Rogério Franzini – Baixo e Voz
Eric Diniz – Vocal e meia-lua
Fábio Elias – Guitarra e voz
Márcio Japa – Bateria

Sim a P!RA o primeiro tributo paranaense a banda paulistana IRA! (por isso o nome P!RA, o P e o R do nome representam o Paraná) banda criada para homenagear o quarteto paulistano, primeiro representante do “mod” nacional, moldados as bandas inglesas do gênero como The Jam, The Kinks, The Who, a banda paulistana IRA! completou 40 anos de atividade e ninguém melhor que Fábio Elias, o líder da Relespública, a mais “mod” das bandas Curitibanas, para criar um tributo que inclusive obteve a “benção” de nada menos que “Nasi” vocalista e um dos ídolos de Fábio e sua banda.

(link do vídeo dessa benção: https://youtu.be/GslBrmEAVE8?si=seeDwKAlfKchZysc )
No DVD da Relespública, Nasi cita essa ligação da música da Relespública com a música do IRA!
Há muito tempo sou fã de IRA! afirma também Rogério Franzini, músico e produtor musical com mais de 35 anos de atuação nos palcos do sul do Brasil, também teve atividade forte com sua banda Eletro Silvino nos anos em que ela durou, carreira encerrada em 2021 após a perda de seu parceiro de banda e irmão musical “Hederson” para a COVID 19. Depois da partida dele ficou sem sentido tocar as autorais nossas por aí. Quem sabe um dia um show póstumo aconteça, por enquanto isso fica só em nossas mentes.
Fabio uma vez ajudado pelo amigo, retribuiu essa ajuda convidando Franzini a voltar aos palcos para esse ousado projeto musical de interpretar IRA! com a excelência que eles merecem. Fábio mesmo já havia comentado comigo, afirma Franzini, ninguém que toca covers do IRA! o faz direito, ou pecam nas guitarras mirabolantes do Scandurra, não só pela sua peculiaridade de ser canhoto, mas por ser mesmo o mais inventivo do instrumento nos anos 80, ou geralmente pecam pelos duetos vocais de Nasi e Edgard Scandurra. São criações vocais únicas e que ninguém reproduz com fidelidade, mas nós conseguimos fazê-los bem e as guitarras do IRA! foram as que incentivaram e de certa forma moldaram o estilo do Fábio de tocar.
Edgard Scandurra acaba de participar do novo disco ao vivo da Relespública inclusive, recém lançado nas plataformas digitais (procurem por esse som) portanto essa proximidade de Fábio Elias com seus amídolos (expressão criada por Fábio para se referir a amigos e ídolos musicais) fez com que Fábio tivesse a tarimba para dirigir musicalmente a P!RA e o Franzini, complementa Fábio, que me acompanha desde muito tempo aqui na cidade toca baixo, bateria era arranjador de estúdio, não teve dificuldade nenhuma pra pôr em prática os baixos do Gaspa em seu jeito de tocar, me apoia nos backing vocais de estúdio do som do IRA! e a banda se completa com Márcio Japa na batera, amigo trazido também pelo Franzini e agora após a saída do Dane Furmann que era um excelente intérprete do Nasi, após vários testes de audições, encontramos mais um fã de IRA! com voz em tonalidade boa para interpretação do Nasi, nosso novo vocal Eric Diniz e o festival será sua estreia oficial na formação da P!RA.
Fomos convocados para estarmos no “LINE UP” do festival carioca “Rock in Cover” um dos mais complexos e bem produzidos eventos do gênero no Brasil. Os covers até uns anos atrás eram motivo de chacota por parte de uma grande parte da comunidade da música, hoje em dia, conquistaram o status do respeito de acumularem além da competência musical em reproduzir solos, timbres, tecidos sonoros, agora acumulam a competência teatral de muitos de seus interpretados. Os covers quando iniciaram atividades nos anos 80 consistiam em bandas travestidas como seus personagens, sósias visuais e a interpretação era com playbacks das músicas originais, ou seja, era limitadíssimo avaliar performance de um músico que não toca e só finge tocar.
Com o passar dos tempos e o aprimoramento do mercado, tocar as músicas passaram a ser um outro desafio a ser conquistado e hoje em dia sem uma semelhança visual ou vocal e sem os tecidos sonoros que consagraram essas bandas não se cria nesse mercado, por isso devotamos respeito nessa galera que está hoje competindo muito mais pelas aprovações dos artistas originais que interpretam.
Quem vê o LINE UP do Rock in Cover fica pasmado com a qualidade dos artistas ali representados. Pense na quantidade de gente que gostaria de ver o show de seu ídolo musical e não pode por inúmeros intempéries?
– Oportunidade de show na cidade em que vivem, custo de ingressos, frequência de apresentações nas cidades mais remotas; enfim o festival está consolidado há 10 anos, esse mercado existe, está vivo e a P!RA está lá representando Curitiba e o Paraná junto a mais covers nossos como RPM Cover Curitiba, Capital Inicial Cover Brasil, U2 Cover CWB entre muitas bandas extremamente competentes para essa habilidade de interpretar. O melhor de tudo, esse ano o festival conseguiu coisas incríveis, inclusive gratuidade em muitas coisas, arrecadação de alimentos para vítimas das enchentes e muitas coisas que estão movimentando o turismo na cidade de Ipiabas no estado do Rio de Janeiro onde o evento acontece. Em Curitiba e no Brasil inclusive, muitas são as críticas as bandas covers, a gente não tá nem aí pra essas críticas, continuamos produzindo coisas autorais e agora fazendo esses covers com maestria, essas críticas só alimentam as redes sociais e o mercado da fofoca e discussões inúteis e a gente inclusive se diverte com elas, enquanto criticam a gente ganha espaço cada vez maior em palcos Brasil afora, ganha dinheiro “tocando” e pega cancha de palco além de habilidades composicionais doadas por nossos ídolos da música.
Serviços:
Evento: Rock in Cover 10 Anos (2024)
Datas: 19, 20, 21, 22, 26 e 27 de abril
ingressos e Informações:
www.rockincover.com.br
Instagram @ pira_tributo

SEM COMENTÁRIOS

Sair da versão mobile