Encontro de Tradições foi uma grande celebração da cultura popular paranaense

O Encontro de Tradições realizou sua quarta edição, na última quinta (16/5) e sexta-feira, em Adrianópolis, montando um vibrante panorama da diversidade e riqueza da cultura popular do Paraná. Mais de 2800 mil pessoas participaram, a grande maioria crianças e adolescentes alunos de escolas das redes públicas municipais e estaduais. Também formaram a plateia pessoas assistidas pelas Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) paranaenses – o evento teve ações especiais de acessibilidade, como audiodescrição e tradução em libras.

Foram 12 apresentações de grupos e mestres da cultura local, além de cinco exposições, seis oficinas e vivências e uma feira de artesanato, que se dividiram pelo Ginásio de Esportes da cidade e uma tenda com palco e estrutura coberta montada na rua.

Música, dança, fotografia, história, gastronomia e exposições fizeram parte da programação, que foi encerrada na noite de sexta-feira com um animado baile de fandango. Além desta contagiante tradição musical do Paraná, representada pelo Grupo Mestre Aorélio, de Paranaguá, passaram pelo palco artistas populares de diferentes regiões do estado.

Entre eles, estiveram os grupos Bumba Meu Boi do grupo Anjos da Guarda (de Maringá), a Associação de Cultura Popular Mandiquera (também de Paranaguá), o Grupo Cultural Indígena TÃNH PRÁG (Terra Indígena Rio das Cobras, em Nova Laranjeiras) e o Grupo Escola de Capoeira Saber Ancestral (Curitiba).

O evento teve produção da Olaria Projetos de Arte e Educação, com apoio da Prefeitura de Adrianópolis e Realização da Lei Paulo Gustavo – Paraná, Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Paraná, e Ministério da Cultura – Governo Federal.

Repercussão

Para a curadora do Encontro de Tradições, a produtora e pesquisadora de cultura popular Lia Marchi, além das grandes apresentações no palco, o evento foi muito importante por proporcionar a interação entre estudantes com os mestres da cultura popular em oficinas, vivências e conversas. “São momentos muito preciosos que trazem a delicadeza do encontro deste jovem público com os representantes das comunidades que mantém estas festas e culturas tradicionais. Isto sem dúvida desperta o interesse e faz com que estas artes e saberes sobrevivam, conquistando novas gerações”, comenta Lia Marchi. “Foi bonito de ver o centro da cidade tomado por cores, sabores e saberes que, com certeza, estão eternizados no coração de quem passou por aqui”.

Os artistas e grupos participantes valorizaram a boa acolhida do público. Para o mestre Valdeir Gomes de Souza, coordenador do Bumba Meu Boi Anjos da Guarda, “é sempre bom levar a cultura popular para onde o povo está”. “Por isso esta iniciativa de realizar edições em diferentes municípios é muito importante”, completou.

Secretária de Cultura do município de Adrianópolis, Tatiane Pogogelski definiu o evento como um “transbordamento cultural”. “Ficamos muito felizes e muito gratos em receber tanta cultura na cidade. Nossa secretaria é muito nova, tem apenas três anos, então estamos iniciando uma construção de política cultural e este evento sem dúvida deu um grande impulso e foi um presente para todo o município”.

Para a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) no estado do Paraná, Fabiana Moro Martins, ficou nítido um grande trabalho de educação patrimonial no evento. “Tanto pelas conversas entre os grupos de artistas, como pela participação de crianças e jovens, que puderam conhecer a arte popular de perto, este evento criou um panorama de uma riqueza cultural enorme”, afirmou.

Representando a Secretaria de Cultura do Paraná, Leonardo Franceschi Ferreira, agente regional de cultura de Curitiba e Litoral, destacou que o projeto tem um papel fundamental. “Ele permite que a gente trabalhe, divulgue e se orgulhe de toda a riqueza cultural que temos no nosso estado. Além disso, traz vivências que permitem um contato direto com indígenas, quilombolas, caiçaras e toda uma variedade de criadores tradicionais”, conclui.

PROJETO APROVADO PELA SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA – GOVERNO DO PARANÁ, COM RECURSOS DA LEI PAULO GUSTAVO, MINISTÉRIO DA CULTURA – GOVERNO FEDERAL

Produção: Olaria Projetos de Arte e Educação
Apoio: Prefeitura de Adrianópolis