HOME + Mais Gente Livro música toda é um encontro entre música e literatura

Livro música toda é um encontro entre música e literatura

O escritor Guilherme Campos 4 Foto Sergio Silvestri

Música Toda é o novo livro do escritor curitibano Guilherme Campos. Os lançamentos e manhãs de autógrafos serão dia 8 de junho, às 10h, na Livraria e Editora Arte e Letra e também no dia 16 de junho, à 10h,  no Solar da Cultura, durante o Festival da Palavra. São 23 contos inéditos que trazem um diálogo entre a linguagem literária e a linguagem musical. Tendo a música como centro das narrativas, os elementos surpreendem e imprimem um caráter de fluidez e sonoridade ao texto.

Para ampliar o acesso está sendo organizado um site no qual os leitores vão poder encontrar o livro digital e também 8 podcasts produzidos a partir da leitura de contos do livro pela cantora Iria Braga e pelo ator Thadeu Perone, dirigidos por Flávio Stein.  As pessoas com deficiência visual têm o livro disponível no software livre MecDaisy.

Música Toda tem um caráter inovador com uma linguagem híbrida. O autor se vale de diversos gêneros musicais para construir as narrativas e os personagens ambientados em vários locais da cidade que carregam uma relação com a música.

O livro propõe a reflexão acerca de múltiplos temas da atualidade, ora num tom poético, ora cômico e outras vezes dramático, imprimindo um ecletismo ligado pelo fio condutor que é a inspiração musical. A equilibrada presença da música popular e a erudita se destaca no livro. Pixinguinha, Mozart, Luiz Melodia, Chopin, Cartola, Brahms, Noel Rosa e Schönberg aparecem perfeitamente harmonizados na veia condutora, a música.

São poucos os escritores que são músicos; raros são os que dominam um instrumento, compõem música clássica, ensinam música e trafegam por diversos gêneros musicais com conhecimento como é o caso do escritor de Música Toda.

A VIDA DE MÚSICO

O livro é ficcional, porém tem muito da vivência de músico dentro da Escola de Música e Belas Artes e do Conservatório de MPB, instituições onde foi professor. A observação do cotidiano do ambiente musical em Curitiba também está presente. Esse é o oitavo livro de Guilherme Campos, escritor experiente que teve a música presente em sua vida antes mesmo de encantar-se pela literatura e cursar letras.

“Quando era adolescente aprendi a tocar reco-reco por influência do meu pai. Fazia parte de uma escola de samba improvisada em Figueira, pequena cidade do interior do Paraná”, lembra Guilherme. Mais tarde, por influência do irmão, o violonista Mario da Silva, Guilherme estudou violão erudito e ingressou na Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

Como concertista atuou intensamente nos anos 90, apresentando-se em teatros importantes como o Municipal de São Paulo, o Guaíra, o Paiol, o Grande auditório do MASP e outros. Paralelamente, construiu carreira como músico educador, além de lecionar literatura.

O TOM DO ESCRITOR

Como na música, cada conto do livro Música Toda tem um tom: alguns são mais efusivos, outros introspectivos. E, no livro, esses estados emocionais são representados por pequenos trechos de partituras, denominados armaduras de clave, que atuam como fio condutor e atraem ainda mais o leitor para o universo musical.

Com as ilustrações de Seiji Sato o mergulho fica completo. Músicos e cantores se enxergam nos contos, mas mesmo para quem não é da área o livro proporciona uma viagem pelo mundo musical. O grau de interação com a obra é o leitor quem escolhe.

O fato de o livro estar ambientado na Curitiba contemporânea contribui para outra reflexão: “os contos podem propiciar a ressignificação de espaços e sentimentos numa conversa com as memórias do próprio leitor”, comenta Guilherme.

Guilherme dedica-se à prosa sem impor limites à linguagem, incorporando ao seu estilo elementos da poesia concreta, do teatro e do cinema. Ele imprime alguns truques e maneirismos. Os diálogos são verossimilhantes. Para alguns críticos as narrativas são cerebrais.

“Há uma duplicidade de linguagem: a linguagem literária dialogando com a linguagem musical. As histórias em alguns momentos se estruturam como um contraponto de Bach, tensões e arrefecimentos de Wagner ou as terças da música caipira. Nesse sentido pode ser cerebral sim”, explica Guilherme.

SERVIÇO: LANÇAMENTOS E MANHÃS DE AUTÓGRAFOS DO LIVRO MÚSICA TODA
DATA: 8 de junho
HORÁRIO: 10h
LOCAL: Livraria Arte e Letra – Rua Desembargador Motta, 2011 – Centro, Curitiba

DATA: 16 de junho no Festival da Palavra
HORÁRIO: 10h
LOCAL: Solar da Cultura – R. Dr. Claudino dos Santos, 142 – São Francisco, Curitiba

SEM COMENTÁRIOS

Sair da versão mobile