Saiba quais são os cuidados com os pets durante o carnaval

Mais um feriadão de Carnaval está chegando: folia, festa e diversão não vão faltar! Mas se você tem um animal de estimação e vai pegar a estrada, é preciso ficar atento com os cuidados com o seu “filhote” nesse período: ele vai ficar por aqui ou vai junto com você? Será que ele vai gostar dessa agitação toda?

Segundo a médica veterinária do Hospital Veterinário Pró Vita Rhéa Cassuli Lima dos Santos, os pets não são muito adeptos das festas. A mudança na rotina pode levar ao estresse. “Pessoas diferentes no mesmo ambiente aumentam o risco de acidentes, como por exemplo, fugas e atropelamentos (mesmo dentro de casa). Podem, ainda, se machucar por estresse pelo intenso barulho ou de tanto latir tentando ver o que está acontecendo fora de casa. Outros problemas comuns são a intoxicação por alimentos impróprios ou resíduos incluindo bitucas de cigarros, balões, enfeites e pedaços de fantasias”, resume a veterinária.

Quem vai ao litoral deve intensificar os cuidados. Na praia há muitos cães errantes, que são fontes de doenças e parasitas. Também há o problema das fugas, cães e gatos perdidos por estarem num ambiente desconhecido ou pouco familiar. “A vacinação deve estar em dia. Alguns destinos, principalmente regiões mais quentes, são regiões endêmicas de certas doenças muito sérias que necessitam de vacinação especial”, lembra Rhéa.

Para a viagem de carro, por exemplo, os donos devem estar prevenidos. A dica da veterinária é não se esquecer de manter o carro arejado, levar sempre água fresca e o tapete higiênico, além de fazer algumas paradas durante o trajeto.

Quem tem filhote não vacinado, é melhor optar por deixá-lo por aqui. “Filhotes não vacinados não devem ter contato com outros cães, principalmente os de rua, nem ir a parques, por exemplo. Para cães e gatos idosos, a viagem pode ser uma fonte de estresse e risco. A hospedagem se torna a melhor opção”, resume a veterinária.

Caso os donos queiram colocar o pet no ritmo da folia, como roupinhas ou possíveis fantasias, é preciso tomar cuidado com os acessórios. Para Rhéa, roupas apertadas ou que possam se engatar em algo são perigosas e podem sufocar ou machucar o animal. “Pode usar roupa? Pode, mas com supervisão. Nunca deixe o cão ou gato sozinho usando a roupa”, finaliza Rhéa.

Sobre Rhéa Cassuli Lima dos Santos
Rhéa Cassuli Lima dos Santos é médica veterinária graduada pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), especialista com residência em Clínica Médica de Pequenos Animais também pela UTP, e especializanda em Endocrinologia e Metabologia de Cães e Gatos pela Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais de São Paulo.

Sobre o Hospital Veterinário Pró Vita
O Hospital Veterinário Pró Vita conta com profissionais qualificados e especialistas em diversas áreas para garantir o melhor atendimento, além de uma estrutura completa para internamento dos animais. Os bichinhos são supervisionados 24 horas por dia por profissionais preparados, que monitoram sua condição constantemente, e estão prontos para intervir com agilidade e precisão!

O HV Pró Vita conta, também, com o Centro de Imunização, novo espaço localizado no próprio hospital dedicado para as aplicações de vacinas e também para o armazenamento delas. O Centro de Imunização é uma iniciativa em parceria com o fornecedor de vacinas Merial,através do Sistema de Imunização Merial (SIM),oferecendo maior controle e garantia da qualidade das vacinas utilizadas. Inovação, tecnologia e qualidade para os pacientes.

Outro diferencial do Pró Vita é um espaço só para os felinos, com consultório especial e sala de internamento só para gatos, reduzindo, assim, o estresse dos felinos em um ambiente estranho, e diminuindo o contato com a presença de cães no mesmo ambiente.

Serviço:
Hospital Veterinário Pró Vita
End.: Rua Victório Viezzer, 209 – Vista Alegre
Telefone: (41) 3024-0816
Facebook: https://www.facebook.com/HospitalVeterinarioProVita
Fonte: Assessoria de Imprensa kakoi Comunicação

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.