CONHEÇA MITOS E VERDADES SOBRE A OSTEOPOROSE

A osteoporose, doença caracterizada pela diminuição da massa óssea e alteração da microarquitetura do osso é um mal silencioso e raramente apresenta sintomas antes que aconteça a sua consequência mais grave: um episódio de fratura de ossos. Segundo dados da International Osteoporosis Foundation (IOF), o mal atinge cerca de 200 milhões de pessoas em todo mundo, sendo 10 milhões somente no Brasil. Apesar desses números alarmantes, a patologia ainda é pouco conhecida do grande público, o que dificulta a sua prevenção e o tratamento.
Aproveitando a comemoração do Dia Mundial de Combate à Osteoporose, que ocorre no próximo dia 20 de outubro, aDra. Talita Poli Biason, gerente médica da unidade MIP (medicamentos isentos de prescrição) do Aché Laboratórios,esclarece alguns mitos e verdades sobre a doença:
SÓ QUANDO O PRIMEIRO OSSO É QUEBRADO É QUE SE DETECTA A OSTEOPOROSE?
MITO O diagnóstico da osteoporose pode, também, ser feito de forma precoce pela densitometria óssea, um exame simples e indolor que quantifica a perda de massa óssea, associada à história clínica do paciente O médico analisando o resultado desse exame e os dados clínicos consegue avaliar os riscos de uma futura fratura decorrente da osteoporose. Recomenda-se que o exame seja realizado por todas as mulheres acima de 65 anos e homens a partir de 70 anos. Na presença de fatores de risco para osteoporose, a idade de realização da primeira densitometria óssea pode ser antecipada.
O LEITE É UMA DAS PRINCIPAIS FONTES DE CÁLCIO E PODE AJUDAR NA PREVENÇÃO DA DOENÇA.
VERDADE – Leite e derivados têm alta concentração de cálcio e a ingestão desses alimentos é ótima para manter os níveis adequados do mineral no corpo. Sardinha, feijão, espinafre, couve e brócolis também contém o mineral.
UM COPO DE LEITE AO DIA OFERECE TODO O CÁLCIO NECESSÁRIO.
MITO: Apenas um copo não é o suficiente para alcançar a necessidade diária do mineral, pois em 200 ml da bebida hácerca de 300 mg de cálcio quando a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é ingerir ao menos 1.200 mg diários do mineral, ou seja, são necessários, em média, três copos e meio de leite por dia.
Pesquisas indicam que as mulheres tomam um copo de leite ao dia, quantidade insuficiente para manter os níveis de cálcio e prevenir a perda de massa óssea. E o problema é preocupante se levarmos em consideração a rotina atribulada das pessoas que leva à má alimentação e indivíduos com restrições alimentares, como os com intolerância à lactose, sendo, muitas vezes, necessária a suplementação para alcançar a ingestão diária recomendada do cálcio.
MULHERES SÃO MAIS PROPENSAS A TER OSTEOPOROSE?
VERDADE – Após a menopausa, o corpo das mulheres diminui a produção de estrogênio, hormônio que favorece o ganho de massa óssea. A queda hormonal diminui a densidade óssea.
AS MULHERES DEVEM SE PREOCUPAR COM A OSTEOPOROSE SÓ DEPOIS DA MENOPAUSA
MITO – Muito pelo contrário. A prevenção à doença deve começar ainda na infância, com uma dieta rica em cálcio, prática de exercícios físicos e manutenção de níveis adequados de vitamina D. A osteoporose tende a aparecer após a menopausa, porém, se a massa óssea for bem constituída, as chances de se prevenir a doença aumentam.
A VITAMINA D AJUDA NA ABSORÇÃO DE CÁLCIO?
VERDADE – Um dos fatores que auxilia a absorção do cálcio pelo organismo e, portanto, na manutenção da saúde óssea é a presença, em nível adequado, de vitamina D. Esse pré- hormônio é obtido, sobretudo, por meio da exposição solar e quando essa é insuficiente, pela suplementação.
QUEM TEM OSTEOPOROSE NÃO PODE PRATICAR EXERCÍCIOS?
MITO – Mesmo quem tem a doença deve praticar atividades físicas. No entanto, alguns tipos de exercícios devem ser evitados (como, por exemplo, os de alto impacto) e por isso a orientação médica é fundamental. A atividade física apropriada fortalece os ossos, músculos e melhora o equilíbrio.
EXISTE PREDISPOSIÇÃO GENETICA PARA OSTEOPOROSE
VERDADE – Indivíduos com histórico familiar têm mais chances de desenvolver a doença ao longo da vida.
SUPLEMENTAÇÃO CÁLCIO É DESAGRADÁVEL E DE DIFÍCIL ABSORÇÃO NO ORGANISMO
MITO – Até um passado recente, os suplementos estavam disponíveis apenas em formato de comprimido e devido ao tamanho e o sistema de compressão, eram de difícil deglutição e absorção. Mas hoje, já existem no mercado alternativas como os tabletes mastigáveis, com sabores agradáveis como chocolate e caramelo, eles também são práticos de ingerir. Além de suplementar as quantidades necessárias de cálcio, os tabletes mastigáveis combinam uma dose de vitamina D, facilitando a sua absorção, e ainda contam com a Tecnologia Avançada de Dissolução de Sólidos (TADS), uma inovação, que melhora expressivamente a dissolução do cálcio pelo organismo.
Sobre o Inellare
Inellare é um tablete mastigável, que suplementa as quantidades de cálcio e vitamina D do organismo. O suplemento alimentar tem uma versão sem açúcar sabor chocolate, disponível em embalagens com 30 ou 60 tabletes mastigáveis, assim como as versões originais do produto, que são oferecidas nos sabores chocolate e caramelo. A tecnologia exclusiva de Inellare melhora expressivamente a dissolução do cálcio pelo organismo e, junto com a vitamina D, garante maior liberação de cálcio para o organismo, com efeitos colaterais reduzidos.
Sobre o Aché Laboratórios
O Aché é uma empresa 100% brasileira, com quase 50 anos de atuação no mercado farmacêutico. Conta com três complexos industriais: em Guarulhos (SP), São Paulo (SP) e Anápolis (GO). São mais de quatro mil colaboradores e uma das maiores forças de geração de demanda e de vendas do segmento no Brasil. Para atender às necessidades dos profissionais de saúde e consumidores, o Aché oferece um portfólio diversificado com 303 marcas em 747 apresentações de medicamentos sob prescrição, genéricos e MIP (isentos de prescrição), além de atuar também nos segmentos de dermatologia e nutracêuticos. Ao todo, são 130 classes terapêuticas e mais de 20 especialidades médicas atendidas. Recentemente, com a criação da Bionovis, passou a atuar em biotecnologia. No mercado internacional, exporta para 12 países das Américas, África e Japão. O Aché foi o primeiro colocado do setor Farma e Life Sciences do prêmio Inovação Brasil 2015, realizado pelo Valor Econômico em parceria com a Strategy&. Em 2014, a companhia foi eleita a melhor empresa do setor farmacêutico pela revista Exame, na premiação Melhores & Maiores.

<rodrigo.godoi@dezoitocom.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.