Sinepe/PR premia projetos inovadores e transformadores realizados pelas escolas particulares do Estado

Projetos educacionais transformadores realizados por instituições de ensino particular do Paraná ganharam reconhecimento com a primeira edição do Prêmio de Práticas Inovadoras em  Educação. A iniciativa lançada pelo Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe/PR) premiou 12 projetos em quatro categorias: Educação Infantil e Ensino Fundamental I;  Ensino Fundamental II, Ensino Médio Regular e Ensino Técnico Profissionalizante;  Educação Superior; e Cursos Livres de qualquer natureza.  Dentro da temática inovação, os projetos participantes contemplaram os subtemas Inovação em Sustentabilidade, Inovação em Inclusão Social ou Inovação Pedagógica.

A revelação dos ganhadores aconteceu no dia 13 de novembro, durante cerimônia no Espaço Torres, que contou com a presença de mais de 250 pessoas e do Conselho Diretor do Sinepe/PR.  Ao todo, concorreram ao Prêmio 31 projetos de escolas privadas associadas. Dentre as iniciativas vencedoras, há experiências voltadas  para aprimorar o ensino e propostas para melhorar as relações pessoais dentro das escolas.

“Nosso objetivo com o Prêmio foi instigar outras escolas por meio desses exemplos, para que elas sejam estimuladas a perseguir a implantação de uma cultura em que esses três temas sejam relevantes para a instituição. O propósito é  divulgar essas práticas, para que tenhamos uma sociedade mais equânime e discentes melhor preparados para um mundo cada vez mais competitivos, globalizado e carente de bons valores”, informa o presidente do Sinepe/PR, Jacir J. Venturi.

Segundo o presidente do Sinepe/PR, no Paraná, são 1.790 instituições privadas de ensino regular que atendem 690 mil alunos da Educação Infantil ao Ensino Superior, o que corresponde a 18,3% das matrículas na Educação Básica e aproximadamente 76% nas faculdades. Além destas, existem as academias, cursos livres e escolas de idiomas, que, juntas, contabilizam cerca de 2.500 instituições no Estado.

Conheça os projetos dos primeiros colocados de cada uma das quatro categorias na edição 2015:

Categoria 1 – Educação Infantil e Ensino Fundamental I

1º lugar: Escola O Pequeno Polegar (São José dos Pinhais); projeto Territórios de Aprendizagem

Resumo: O projeto teve início em 2012, a partir da observação dos professores em relação a algumas crianças do Ensino Infantil que apresentavam imaturidade e atraso no desenvolvimento da coordenação motora fina, criatividade, imaginação, formulação de novasideias e soluções de problemas. Após a escola perceber que os alunos não chegavam preparados para o Ensino Fundamental e os pais estavam cobrando resultados mais cedo que o normal, o projeto focou no objetivo de tornar o ensino mais significativo; abrir espaço para investigação e descoberta; desenvolver a coordenação motora fina através de trabalhos manuais; melhorar o relacionamento, a interação e os conflitos.

Direcionado à crianças de um a cinco anos, o projeto é realizado uma vez por semana, com duração de 1 hora e 50 minutos. O programa consiste em atividades montadas ao ar livre para os alunos brincarem, interagirem e produzirem conhecimentos e desenvolverem a concentração. As atividades são: pinturas, madeira circulante, bolinhas molhadas, pedras, grãos, argila, areia colorida, alinhavos móveis, entre outros.

Para desenvolver esse modelo, a fundadora e diretora da escola Teresinha de Fátima Andriguetto realizou uma intensa pesquisa por meio de estudos de campo através de visitas técnicas na Argentina e na Itália. Após a coleta de informações foi realizada a capacitação dos professores. Os principais desafios foram: quebrar paradigmas, estimular as crianças através de uma formação humanística com vivências, conteúdos técnicos, fotos, relatos e cursos.

Com a ideia formulada e pronta para ser colocada em prática, os pais dos alunos tiveram conhecimento dos benefícios pedagógicos do projeto por meio de reuniões, folders e das mídias sociais.

 

Categoria 2 – Fundamental II e Médio

1o lugar: Colégio Marista Paranaense (Curitiba); projeto Resgatando Gentilezas

Resumo: O projeto iniciou em março de 2014, a partir de situações vivenciadas pelos alunos dos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio e professores do Colégio Marista Paranaense, em Curitiba. A proposta central do projeto visou o desenvolvimento de ações que valorizassem a boa educação, a delicadeza na convivência e o respeito.

Foram formados pequenos grupos com alguns alunos-representantes que ficaram responsáveis em levar possíveis reflexões e ações de interação e respeito ao próximo dentro de toda a comunidade. Os representantes teriam ainda a função de multiplicar tais discussões, decisões e ideias aos demais.

Dessa forma, os temas e estratégias foram sendo exploradas e repassadas aos professores, colaboradores e alunos. O projeto também buscou trabalhar informações por meio de comunicação visual que favorecesse a participação da família. Envolveu estudo e reflexão sempre objetivando uma melhor convivência tanto acadêmica como social.

Foram realizadas assembleias com as turmas, escola dos representantes de cada sala e divulgação das ações nas redes sociais. Os alunos participaram com entusiasmo do projeto e o resultado gerou um vídeo protagonizado e sugerido por eles com um roteiro que estabelecia ações que gerassem gentilezas.

Após a divulgação, o projeto também repercutiu de forma positiva entre outros colégios pertencentes a Rede Marista. Houve a criação de slogans e frases de impacto acerca do projeto e o material foi divulgado nas dependências da instituição e também fora dela, como na saída da aula para os pais dos alunos.

 

CATEGORIA 3 – Ensino Superior

1º colocado: Universidade Positivo (Curitiba); projeto Residência Pedagógica

Resumo: O projeto foi desenvolvido pelo curso de Pedagogia da instituição em 2013. Desde o primeiro ano do curso, os alunos são acompanhados pelos professores da universidade, professores e gestores das escolas privadas do Grupo Positivo e das escolas públicas da rede municipal e estadual em parceria com a Secretaria da Educação.

O projeto busca aprimorar a formação acadêmica, unindo a teoria e a prática. Com carga horária ampliada, o objetivo da residência é aprimorar a formação docente entre o que os alunos aprendem na universidade e o que experimentam na prática.

Os alunos dispõem de um horário quinzenal, de duas horas de atividades, e ocorre em grupos com a supervisão prática de um professor. Inicialmente, foram realizadas três reuniões para a apresentação da proposta e para o esclarecimento de dúvidas. Posteriormente, os professores apresentaram um código de conduta pautado em questões éticas e foram discutidos casos com experiências para os alunos.

Os graduandos foram divididos em quatro grupos, sendo que cada um cumpriu uma jornada semanal de 8 horas, dividida em duas manhãs de quatro horas em educação infantil. A cada 15 dias os alunos permaneciam na universidade para participar da supervisão dirigida.

 

CATEGORIA 4 – Cursos Livres

Categoria 4

1o lugar: Phil Young’s (Curitiba); projeto Phil Green

 

Projeto: O projeto foi criado em 2008 na escola de idiomas Phil Young`s com o objetivo de conscientizar as pessoas da necessidade de práticas ambientais sustentáveis e ensinar inglês por meio de atividades concretas em situações reais.

O fundador da escola, Phil Young, participa semanalmente de aulas em Curitiba por meio de vídeo conferência. Em uma de suas participações, o tema foi a sustentabilidade. Um dos alunos argumentou que as pessoas falavam muito sobre os problemas do meio ambiente, mas poucas eram ativas verdadeiramente. Diante do comentário, Phil propôs que a turma fizesse uma lista de sugestões para que a escola se tornasse mais green (verde) e contribuíssem para um mundo mais sustentável.

Além das ideias que surgiram em sala de aula, a escola decidiu fazer um diagnóstico  de práticas ambientais e, a partir daí, traçou um plano de ação com o apoio de um consultor. O Phil Recycling trata da instalação de um sistema completo de separação e reciclagem de lixo nas escolas da rede. Desde então, os professores incorporaram em suas aulas os conceitos de uso do sistema para conscientizar e ensinar os alunos a separarem o lixo.

O Student Vegetable Garden é uma horta comunitária criada para proporcionar aos alunos das turmas do Phil Kids (7 a 11anos) a experiência do plantio e cuidado de verdura e legumes orgânicos. No final do ciclo, os alunos colhem e comem o que plantaram, comemorando com a realização de um evento chamado Festa da Salada.

Confira os três primeiros colocados de cada categoria do Prêmio:

 

ENSINO INFANTIL E FUNDAMENTAL:

1.º lugar – Escola O Pequeno Polegar

Projeto: Territórios de Aprendizagem

2.º lugar – Escola Atuação

Projeto: Diálogo Contínuo, Resultado Positivo

3.º lugar – Escola Bambinata

Projeto: Crescendo e Aprendendo

 

ENSINO FUNDAMENTAL II, ENSINO MÉDIO REGULAR E ENSINO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE

1.º lugar – Colégio Marista Paranaense

Projeto: Resgatando Gentilezas

2.º lugar – Colégio Vicentino São José

Projeto: Eu no poder

3.º lugar – Escola Atuação

Projeto: Oral Class

 

ENSINO SUPERIOR

1.º lugar – Universidade Positivo

Projeto: Residência Pedagógica

2.º lugar – Faculdade Opet

Projeto: Metodologias Ativas

3.º lugar – FAE São José dos Pinhais

Projeto: Caminhos

 

CURSOS LIVRES

1.º lugar – Phil Young’s

Projeto: Phil Green

2.º lugar – Escola Especializada Primavera

Projeto: Jornada pelo Bairro

3.º lugar – Lady e Lord

Projeto: Metodologia de Ensino

 

Os créditos: Cleon Fotografias

 

Legendas

Foto 0487: Josemary Morastoni recebeu o prêmio pela Universidade Positivo, vencedora na Categoria Ensino Superior, e comemorou ao lado do Prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e do presidente do Sinepe/PR, Jacir J. Venturi.

Foto 0348: Terezinha de Fátima Andriguetto e Haroldo Andriguetto Junior (O Pequeno Polegar) receberam o prêmio das mãos do  Diretor de Legislação e Normas do Sinepe/PR,  Nilson Izaias Pegorini.

Foto 0393: A Diretora Econômico/Financeiro do Sinepe/PR, Rosa Maria C. V. de Barros, entregou o prêmio a Roseana Galastri e Mabel Cymbaluk, representantes do Colégio Marista Paranaense.

Foto 0447: O Prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, entregou o prêmio de 1º lugar na categoria Cursos Livres para Adriana Cristina Barea, do Phil Young’s.

1 2 3 4 5

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.