Torneio de tênis beneficente reúne atletas no Santa Mônica

Curitiba vai receber no mês de dezembro a 7ª etapa da Copa Amigos, torneio de tênis beneficente que este ano vai ajudar o Pequeno Príncipe e o instituto Unidos Pela Vida. O evento promovido pelo Instituto Amigos, conta com o apoio da Federação Paranaense de Tênis, pela terceira vez. O evento terá como objetivo doar todo o valor arrecadado das inscrições para as duas entidades. A Copa acontece entre os dias 03 e 06 de dezembro no Santa Mônica Clube de Campo e vai reunir tenistas do masculino de 1ª a 7ª classe, nas categorias entre A,B e C, e ainda SM, já no feminino entre 1ª e 5ª classe nas categorias A e B. As inscrições podem ser realizadas até o dia 26 de novembro, quinta-feira. Informações e inscrições pelo www.fpt.com.br ou 41 3365-2404.

 

Rodrigo Alves do Instituto Amigos e promotor do torneio comenta a satisfação de mais uma etapa. “A expectativa a cada ano é sempre a melhor possível! Estamos no sétimo ano, e podemos dizer que a Copa Amigos já tem sua marca e está consolidada, sempre focada neste quesito beneficente. Com certeza será um torneio muito bacana, e este ano teremos como sede um grande clube, além de já contarmos com aproximadamente 10 empresas apoiadores do evento. Sei que tem pessoas se inscrevendo e por ser um torneio válido pela FPT Series 500, imagino que teremos um grande número de participantes”.

 

O promotor reforça que o apoio ao Pequeno Príncipe continua, e acrescenta que escolheram mais uma entidade para apoiar, que é o Unidos pela Vida, que atua com projetos de comunicação, educação, e incentivo à atividade física para Fibrose Cística.

 

A diretora geral e fundadora do instituto Unidos pela Vida, Verônica Stasiak Bednarczuk, comenta sua iniciativa depois de ter sofrido muito com a doença, até descobri-la aos 23 anos. “Desde muito pequena tive problemas de saúde, dezenas de pneumonias, retirei duas partes do pulmão e a vesícula. Além disto, parte do pâncreas parou de funcionar após uma pancreatite. Entretanto, mesmo com todos os sintomas, nunca foi suspeitado de que seu caso se tratava de Fibrose Cística. Após receber o diagnóstico correto, e pensando em quantas pessoas poderiam viver a mesma situação que eu, por falta de diagnóstico precoce e tratamento adequado, fundei o instituto, que tem como principal objetivo divulgar a Fibrose Cística no Brasil, contribuindo para a busca de diagnóstico precoce e tratamento adequado”.

 

Verônica reforça ainda que iniciativas como esta ajudam a tornar a missão da entidade uma realidade, levando ao maior número de pessoas o conhecimento de que, sintomas tão conhecidos como pneumonia, diarreia (que já foram inclusive consideradas causas de mortalidade infantil), tosse crônica e dificuldade de ganho de peso e estatura podem ser Fibrose Cística. O diagnóstico precoce com o tratamento adequado pode melhorar significativamente a qualidade de vida dos pacientes, e consequentemente dos familiares.

Fabiana Evidência

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.