Resultados da corridas deste final de semana do SuperBike Brasil 2015

Faustino vence a corrida em Cascavel e consegue assegurar título da SuperBike

 

Diego Faustino (#68), da equipe Honda Mobil, venceu a corrida da 8ª etapa da SuperBike, disputada no final da manhã deste domingo (13), no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná, e com a combinação de resultados é o novo campeão da categoria.

O piloto paranaense dominou a maioria dos treinos e cravou a volta mais rápida na SuperPole. Mas a ponta durou poucos segundos para Faustino. Logo na largada, o piloto foi ultrapassado por Danilo Lewis (#17), da Tecfil Racing Team, que fez um traçado diferente e assumiu a liderança após a primeira curva. Na segunda posição, Faustino travou uma briga a parte com o piloto da Tecfil, que entrou na pista já sem chances de disputar o título, mas queria a vitória da corrida a todo custo para subir no ranking. Faustino seguiu na vice-liderança e realizou uma corrida sem muitos riscos. Seu principal oponente, Maico Teixeira (#36), da Honda Mobil, havia largado mal e caído para a quinta posição. Para Faustino, bastava manter-se em segundo para sagrar-se campeão.

E o destino facilitou as coisas para o piloto da equipe Honda Mobil. Após conquistar duas posições e iniciar a perseguição direta ao companheiro de equipe, Maico, na oitava volta, teve problemas mecânicos com sua moto e acabou abandonando a corrida. E o destino sorriu em mais uma mãozinha para Faustino. Já nas voltas finais, o motor da moto de Lewis quebrou e, o então líder da prova, ficou de fora da disputa. Com o caminho totalmente livre, Faustino cruzou a linha de chegada com tranquilidade para receber a bandeirada e o título de campeão.

Desde que cheguei a Cascavel eu sabia que tinha que correr com a cabeça para não colocar o título em risco. Danilo está de parabéns, ele andou demais. E só tenho a agradecer a minha equipe, é um sonho ser piloto Honda, então minha equipe Honda está de parabéns, todos trabalharam muito bem, fomos constantes durante toda a temporada. Obrigado a todos!”

Na segunda posição, uma disputa da categoria Pro Amador. Os pilotos Sebastian Leonel Martinez (#69), da Martinez Racing, e Fernando Guerra (#913), da Motonil Motors, correram na mesma pagada ao longo de toda a corrida. O piloto argentino ficou com a vice-liderança e terminou a prova com apenas quatro décimos de vantagem para Guerra, que foi o terceiro a cruzar a linha de chegada. “Agradeço a organização do SuperBike pela oportunidade, disputa muito boa, motos competitivas, estou muito contente.

Nas posições seguintes, uma nova disputa da SuperBike Pro. José Luiz ‘Cachorrão’ (#51), da Honda Mobil, que não conseguiu obter o mesmo rendimento dos ponteiros ao longo dos treinos, foi o terceiro da categoria e o quinto no geral, à frente de Marcelo Skaf (#177), da MotoSchool Racing Team, o terceiro da Pro e quinto a receber a bandeirada.

Logo atrás, outra disputa da Pro Amador. Aldo Casalecchi Filho (#727), da Qatar Racing, ficou com a terceira posição na categoria – sexto no geral –, perseguido de perto por Fernando Min (#20), da MotoSchool Racing Team, que terminou a prova em quarto – e sétimo no geral.

Um pouco mais lentos, Pablo Nunes (#777), da BH Racing, terminou a corrida em quarto da Pro – oitavo no geral –, logo à frente de Bruno Corano (#34), da Mobil Monster Energy Kawasaki SuperBike Team, em quinto – nono no geral. Fabrício de Castro (#75), da BH Racing, foi o décimo a receber a bandeira quadriculada e quinto da Pro Amador.

Pela categoria Master, Elson Tenebra Otero (#2), da Suzuki/Econs/Best Riders, foi o mais rápido e concluiu a prova em primeiro. Já Rogério Gentil (#31), da equipe Duda Racing, ficou com o segundo lugar.

Cassio foi o mais rápido com o asfalto molhado e venceu a 8ª etapa da SuperBike Light

Cassio Silva (#45), da SBR Racing Team, foi o vencedor da 8ª e última etapa da SuperBike Light na temporada 2015, prova disputada na tarde deste domingo (13), no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná. Debaixo de chuva, o piloto fez uma corrida exemplar e mostrou que é hábil em pistas molhadas. Com o asfalto seco, Cassio não se saiu tão bem. Ele se manteve nos pelotões intermediários ao longo dos treinos e conseguiu apenas a 8ª posição na SuperPole.

Com intervalos entre garoa e chuva forte, Cassio ganhou posições. Logo após a largada, ultrapassou todos os adversários e assumiu a ponta. O piloto cravou diversas voltas rápidas, algumas dois segundos melhores que a de seus oponentes diretos. Sem sofrer nenhuma pressão ao longo de toda a corrida, Cassio cruzou a linha em primeiro. “Um prazer andar ao lado do Black, achei que não pudesse ficar a frente dele, mas nessa corrida deu certo a vitória. Fizemos um trabalho bom com a moto perfeita e também de preparo físico para esta corrida.

Paulo Henrique Pistoresi (#30), da Marina Club Racing Team, também fez uma prova exemplar. O piloto, que disputa a categoria Master, largou em nono e já no início da segunda volta ocupava a terceira posição. Pistoresi colou em Juracy Rodrigues ‘Black’ (#560), Black Day Racing Team, e conseguiu a ultrapassagem na quarta volta. O piloto da equipe Marina Club Racing seguiu na posição até o fim da corrida e foi o segundo a cruzar a linha de chegada.

A uruguaia Stephanie Devoto (#26), da Dyno Parts, ficou com o terceiro lugar no geral – segundo na categoria Pro. A piloto acelerou forte na pista molhada e ganhou diversas posições. Na última parte da corrida, ela iniciou a perseguição a Black. Os dois travaram um verdadeiro duelo até os últimos instantes, quando Stephanie conseguiu realizar a ultrapassagem e ficar com a posição. Já Black, campeão antecipado da categoria, recebeu a bandeirada logo atrás e terminou a prova em quarto – terceiro na Pro. “Quero agradecer a todos. Corremos com pista seca nos treinos e agora pista molhada na corrida. Corremos para adaptar a moto. Todos estão de parabéns, andaram muito bem, e parabéns também a organização.

Nas posições seguintes, Cleberson Maicher ‘Alemão’ (#17), da Black Day Racing Team, foi o quinto do geral – quarto na Pro –, seguido por Marcos Ramalho (#9), Viana Racing, em sexto, que corre pela Master. Já a quinta posição da categoria principal ficou com Eduardo Putrino (#76), da Viana Racing.

Pela categoria Master, o primeiro colocado foi Paulo Henrique Pistoresi, o segundo do classificatório geral. Marcos Ramalho ficou com a vice-liderança, à frente de Jirios Semaan Abboud (#100), da BH Racing, em terceiro, e de Michel Abboud (#8), em quarto – campeão da Light Master. “Tinha que me manter na corrida, não podia cair, para ser campeão, e deu certo” -. Já a quinta posição foi para Edson Errera (#86), da Errera Racing.

Debaixo de chuva, Lucas Bittencourt vence a corrida da SuperSport em Cascavel

Com a pista molhada, Lucas Bittencourt (#202), da Paulinho SBK, foi o mais rápido e venceu a 8ª etapa da SuperSport, disputada no início da tarde deste domingo (13), no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná. A corrida ganhou um sabor especial. A chuva obrigou os pilotos a trocarem de pneus quando as motos já estavam prontas para iniciar a corrida. Todos voltaram para os boxes e em seguida retornaram para a formação do grid de largada.

Com o asfalto molhado, Bittencourt fez uma excelente largada. Começou em 11º e na segunda volta já liderava a corrida. O piloto acelerou forte e fechou voltas um segundo mais rápido que a dos seus adversários mais próximos. Abrindo uma vantagem cada vez maior, Bittencourt não teve dificuldades para vencer a prova. “Foi uma boa corrida. Tive problema na moto no final de semana e trabalhamos para poder correr hoje. Gosto de andar na chuva, depois da largada passei a frente do Matheus e imprimi um bom ritmo, me distanciando e assegurando a vitória. Espero fazer mais provas ano que vem.

Alex Schultz (#22), da Dynels Racing Team, foi o segundo a receber a bandeirada. O piloto, que brigava pelo título do campeonato, largou em terceiro e rapidamente ganhou uma posição. Schultz tentou acompanhar o líder, mas acabou ficando para trás e recebeu a bandeira quadriculada em segundo. Com o resultado, o piloto da Dynels Racing Team foi o vice-campeão da categoria SuperSport. “Foi uma super final, com chuva e muita adrenalina. Matheus está de parabéns pelo título. Tive problemas durante a temporada e não deu para ficar na cola dele no ranking, mas valeu, o segundo lugar é muito bom.

Pedro de Moraes Sampaio (#2), da Pastorello Estruturas Metálicas, que foi o mais rápido nos treinos livres e o segundo nos classificatórios, perdeu uma posição da largada e chegou em terceiro. Marcio Bortollini (#37), da Tecfil Racing Team, que disputa a Pro Estreante, foi o quarto a cruzar a linha de chegada.

Matheus de Oliveira Dias (#70), da Tecfil Racing Team, fez uma corrida menos arriscada e acabou perdendo posições. Isso porque o piloto precisava apenas terminar a prova para ser campeão. Matheus, de 20 anos de idade, largou em primeiro e já na segunda volta perdeu uma posição ao errar o traçado de uma curva. Visivelmente mais lento que os ponteiros, o piloto começou a perder posições e terminou a prova em quinto no geral – quarto na Pro. Com o resultado, Matheus é o campeão da temporada 2015 da SuperSport.Agradeço a Deus, ao SuperBike e a minha equipe por esse título. Foi um trabalho perfeito da minha equipe, o título não é só meu, é de todos nós. Fiz uma corrida de administração, preferi não colocar um ritmo que tivesse risco de cair. Com a chuva, diminui ainda mais a velocidade e no final deu tudo certo.

Já a quinta posição da categoria principal – sexta no geral – ficou com Dudu Costa Neto (#117), da Mobil Ituran Racing.

Pela categoria Pro Amador, Leopoldo Bittar (#336), da Masut Racing, foi o mais rápido e venceu a corrida. Victor Villaverde (#42), da Cerciari Racing School, ficou com o segundo lugar, à frente de Antonio Telvio (#5), da Serra Racing, em terceiro. A quarta posição foi para Rafael Dadario (#86), da equipe Viana Racing, – que se sagrou campeão da categoria com o resultado – “Só quero agradecer a Deus e a minha esposa. Tinha a intenção de me manter na pista, completar a prova, para ser campeão e deu certo. A moto está fantástica desde o começo do ano. Estou realmente muito feliz.”, e a quinta para Walteny Amaral Scoob (#12), da Serra Racing.

Na Pro Estreante, Marcio Bortollini fez uma excelente prova, disputou as primeiras posições do geral e venceu a categoria. A segunda posição ficou com Irineu Trudes Jr Juninho (#72), da equipe Viana Racing, que terminou a corrida à frente de Osvaldo Jorge Filho Duende (#55), da Duende e Senra Racing, em terceiro, e Christian Cerciari (#83), da Cerciari Racing School, em quarto. Com este resultado, Cerciari é o campeão da Pro Estreante. “Não queria muito correr riscos para não estragar o trabalho de toda a temporada. Até a metade do ano eu estava brigando entre os primeiros no geral. Ganhar a Pro Estreante é muito legal.” Já a quinta colocação ficou com Alessandro Ferraz (#66), da Qatar.

Com a pista molhada, Valcézia é o mais rápido e vence a Copa Ninja 600 em Cascavel

Jefferson Ramos Valcézia (#99), da equipe Tecfil Racing Team, venceu a 8ª etapa da Copa Kawasaki Ninja 600, disputada na tarde deste domingo (13), no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná. Com apenas três pilotos em disputa, a prova foi realizada juntamente com a categoria SuperSport. Abaixo de chuva, os pilotos tiveram que retornar aos boxes para colocar os pneus adequados à pista molhada.

Valcézia largou em segundo e contou com uma ajudinha para assumir a ponta. O atual líder e campeão antecipado da categoria, Diego Viveiros (#23), da Tecfil Racing Team, acabou caindo e deixou o caminho aberto para Valcézia ficar com a ponta. “Feliz com meu resultado, 7° na geral e 1° na minha categoria. Só tenho a agradecer a Deus e a todos, minha equipe. Termino o ano como vice na Ninja 600 e é muito bom.

Para Viveiros, a corrida foi mais calma. Ele não precisava apertar para buscar o título, mas queria ir bem e ter um bom desempenho. E foi o que fez. Largando junto com a SuperSport, em sétimo, ele subiu posições e chegou bem perto dos líderes. “Cheguei perto do Matheus Oliveira, que disputava o título da SuperSport, então não quis apertar muito para ultrapassar e acabar tocando e estragando a corrida dele. Mantive um ritmo constante. No final, perdi a frente da moto e acabei saindo da corrida, mas está muito bom.

Luis Ferraz (#13), da Tecfil Racing Team, também aproveitou o erro do seu colega de equipe e ganhou uma posição, terminando a prova em segundo.

Indy foi a mais rápida e venceu a 2ª bateria da Ninja 300 em Cascavel

Indiana Muñoz Gomes (#199), da Mobil Ituran Racing, foi exemplar e venceu com facilidade a 2ª bateria da Copa Kawasaki Ninja 300, disputada na manhã deste domingo (13), no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná. A piloto teve um final de semana dos sonhos. Ela foi uma das mais rápidas nos treinos, fez uma pole e venceu as duas corridas disputadas. Com o resultado, Indy soma mais 25 pontos e termina o campeonato em terceiro lugar.

A piloto largou na primeira posição, mas acabou perdendo a ponta logo nas primeiras curvas. Apesar disso, este domingo era o dia de Indy. Ela acelerou forte e na terceira volta, reassumiu a liderança. A partir deste momento, começou a cravar seguidas voltas rápidas. Nitidamente mais veloz, Indy colocou um segundo por volta sobre os adversários e abriu grande vantagem para o pelotão que vinha logo atrás. Com o melhor tempo na pista, 1m19s924, a piloto recebeu a bandeira quadriculada com mais de seis segundos à frente do vice-líder.

Vitor Perrucho (#226), da Tecfil Racing Team, ficou com o segundo lugar e com o resultado foi vice-campeão da categoria. Perrucho, que fez sua primeira temporada na motovelocidade, precisava de pontos para disputar o título. Logo na largada, ganhou quatro posições e saltou para a ponta. Entretanto, não conseguiu segurar a posição e foi ultrapassado por Indy Muñoz. Perrucho passou a liderar um pelotão de seis motos e seguiu na frente até cruzar a linha de chegada e receber a bandeirada em segundo.

Logo atrás, Niko Ramos (#822), da equipe Duda Racing, foi o terceiro lugar. O piloto largou mal, perdeu algumas posições e teve que fazer uma corrida de recuperação. A prova para Niko não foi nada fácil. Ele precisava se aproximar de Perrucho para ficar com o título deste ano. Integrando o primeiro pelotão, Niko ganhou e perdeu posições diversas vezes, e somente nas voltas finais conseguiu sustentar a terceira posição para receber a bandeirada. Com a combinação de resultados, Niko Ramos sagrou-se campeão da temporada 2015 da Copa Kawasaki Ninja 300.

Quero parabenizar Perrucho e Indy pela corrida e por toda a disputa do campeonato, que foi realmente um reflexo das corridas, muita disputa o ano todo. Fui campeão por um ponto. O final de semana foi eletrizante, eu cai ontem na primeira corrida e consegui voltar para pontuar. Estou muito, muito, muito feliz, foi um ano difícil, não corri duas etapas, e mesmo assim acabo como campeão. Quero agradecer especialmente a Duda Racing, minha equipe, são incríveis, e principalmente ao meu pai, que vem tornando tudo isso possível para mim.

Nas posições seguintes, Josué Araujo ‘Bochecha’ (#404), da Supermauge/Papelaria, ficou com o quarto lugar. Fernando Santos (#234), da Tecfil Racing Team, que disputa pela Light, foi o quinto a cruzar a linha de chegada. Já o pela categoria Pro, o quinto foi Odair Delefrati (#58), da G Matos.

Pela categoria Copa Kawasaki Ninja 300 Light, Fernando Santos – campeão antecipado – foi o vencedor da 2ª bateria. “Quero agradecer a Deus e guardar para sempre esta temporada em minha memória. Ganhei todas as corridas na minha categoria, só uma que fiquei em terceiro, fiz todas as poles, foi demais, Agradecer a todos que estiveram junto comigo e que venha agora a temporada 2016 na pro.” Seu companheiro de equipe, Ricardo Castilho (#71), garantiu a segunda posição. O terceiro lugar foi para Ricardo de Barros (#89), da Duda Racing, seguido por Ricardo Morais (#171), também da Duda Racing Team, em quarto, e Carlos Alberto Jr (#59), da Tecfil Racing Team, em quinto.

Gomide foi o mais rápido na chuva e venceu a etapa de Cascavel da CBR 500R

A última etapa da Copa Honda CBR 500R rendeu intensas emoções até os derradeiros segundos finais. A prova disputada no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná, na tarde deste domingo (13), teve chuva e disputas acirradíssimas na pista – que definiram o título de campeão da temporada. Davi Gomide (#31), da equipe Honda MotoSchool de Talentos, já havia confessado, antes da corrida, que era bom em pista molhada. E não deu outra. Já na primeira volta, ganhou uma posição e assumiu a ponta. O piloto acelerou forte e manteve a liderança por todas as 13 voltas, e recebeu a bandeira quadriculada com uma vantagem de três segundos e meio para os adversários. “Estou sem palavras. Minha primeira vitória na CBR 500 e quero continuar assim ano que vem, mais corridas e mais vitórias.

Mas a briga que valia pela temporada foi a da vice-liderança. Lucas Dezeró (#7), da equipe Alemão Pneus, iniciou os primeiros treinos desta etapa com um objetivo bem claro em mente: somar pontos e ser o campeão. E quase como um destino, de fato isso foi o que aconteceu. Dezeró acelerou forte e garantiu a pole – que lhe valeu um pondo adicional na tabela. Entrou para a corrida empatado no classificatório geral com Leonardo Tamburro (#53), da equipe Honda MotoSchool de Talentos: os dois seguiam com 175 pontos. Quem chegasse na frente na corrida seria o novo campeão.

Logo no início da prova, o objetivo de Dezeró se mostrou ser bem mais complicado do que ele esperava. O piloto da equipe Alemão Pneus caiu para terceiro e precisou recuperar posições. Dezeró teve que se defender das tentativas de ultrapassagem de Weslley Leandro Ribeiro (#45), da WR, e ao mesmo tempo não deixar que Tamburro se distanciasse. Esse cenário persistiu até a última volta.

Nas curvas finais, Dezeró conseguiu colocar sua moto lado a lado com a de seu principal oponente e na reta dos boxes fez o improvável: cruzou a linha de chegada com um centésimo de vantagem. Com o resultado, Lucas Dezeró sagrou-se campeão da Copa Honda CBR 500R. “Vitória foi resultado de muito treino, sorte e o trabalho em equipe. Minha tática era, sem dúvida, ficar à frente do Tamburro. Assisti vídeos de outras corridas aqui nessa pista para poder traçar uma estratégia e dar o meu melhor. E deu certo nos segundos finais.

Já Tamburro, que sustentou a posição e o título até os últimos instantes, ficou com o terceiro lugar na prova – e segundo no campeonato. “Fiz um campeonato seguro, com poucos erros na temporada. Na etapa passada eu cai e lesionei as costas. Nesta etapa tive problemas com a moto e outra queda, fiquei inseguro por causa dos tombos e dei o melhor que pude. O Lucas está de parabéns, mereceu muito” –, logo à frente de Weslley Ribeiro, em quarto.

Pela categoria Light, a vencedora foi Sarah Conessa de Moura (#35), da Cerciari Racing School. A segunda posição ficou com Marcia Reis (#97), da Moretti Racing Team, que ficou à frente de Lorise Lipisk (#48), da Moretti Racing Team, em terceiro, e de Vivian Almeida “Draga” (#220), da Moretti Racing Team, quarto.

Já na Junior, Davi Gomide acumulou mais uma vitória. O piloto ficou à frente de Weslley Ribeiro, que terminou a prova em segundo – ele já era campeão antecipado da Junior. “A CBR 500 Junior é a porta de entrada de quem vem da Junior Cup para continuar a alçando vôos e chegar nas categorias de cilindradas mais altas. Então estou muito feliz” -, e de Sarah, em terceiro.

Rigueiro vence a corrida da Junior Cup em Cascavel e termina o campeonato em 2º

Em uma corrida emocionante, Rafael Rigueiro (#52) se saiu melhor e venceu a 8ª etapa da categoria-escola Honda Junior Cup, disputada na manhã deste domingo (13), no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, Paraná. Com o resultado, Rigueiro soma 25 pontos e termina o campeonato como vice-líder, com 151 pontos. Já o campeão desta temporada foi Gabriel Favero (#271), que não participou desta etapa e somou 154 pontos.

Rafael Rigueiro (#52) teve um final de semana de provas belíssimo. O piloto dominou a maior parte dos treinos livres e classificatórios e fechou a sua primeira pole do ano. Porém, na corrida, não teve nenhuma facilidade na pista. Logo na largada, Rigueiro foi ultrapassado por Maria Fernanda Rocha (#22), que largou em segundo. Os dois adversários travaram uma batalha na pista. Ao longo das voltas, revezavam a liderança. MaFe ganhava a ponta nos trechos de curva e Rigueiro retomava nos de alta.

Esse embate perdurou até a volta final. Praticamente lado a lado, Maria Fernanda chegou a retomar a liderança, mas teve o azar de perder a frente da moto numa das curvas e acabar indo para o chão. Com a queda da adversária, o caminho ficou aberto para Rafael Rigueiro levar a vitória. O piloto completou as 11 voltas da corrida e cravou a mais rápida em 1m37s196. Além de sua primeira pole, foi sua primeira vitória na temporada. “Primeiro quero agradecer aos meus pais e a todos que torceram por mim. Fiz treinos muito bons, sendo o mais rápido em quase todos. Na corrida, uma boa largada, mas a Mafe não me deu trégua, ficamos juntos todas as voltas. Foi uma boa corrida e quero dar os parabéns para ela, me deu trabalho, grande adversária.

Leopoldo Manella (#53), que acompanhou a disputa dos líderes a distância, aproveitou-se da queda de MaFe e terminou a corrida em segundo. Kevin Fontainha (#26) foi o terceiro colocado, seguido por Lincoln Lima Melo (#29) em quarto e Maria Fernanda Rocha (#22) em quinto. O campeão antecipado da categoria, Gabriel Favero (#271), não participou desta etapa.

O SuperBike Brasil tem patrocínio Silver: Honda, Pirelli, Mobil e Yamaha. Bronze Premium: Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Bronze: Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.

<contato@gianellini.com.br>

Fotos: Ricardo Santos/VGCOM – Marcos Carmona/VGCOM – Nivaldo Querino/VGCOM

imagem_release_557586 imagem_release_557623 imagem_release_557624 imagem_release_557594 imagem_release_557590 imagem_release_557585 imagem_release_557576 imagem_release_557579 imagem_release_557588

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.