Pincelando Personalidade

Com as dicas certas, pintar a casa por conta própria pode ser alternativa de baixo custo e bons resultados

Há momentos em que contratar um profissional para determinados serviços pode significar demanda de tempo e dinheiro. Quem pretende economizar na reforma da casa ou apenas repaginar o ambiente, busca agilidade no processo de execução das tarefas. Se existe esta necessidade, então por que não realizar tudo no maior estilo “faça você mesmo”?
Um exemplo de serviço que pode ser feito de forma independente é a pintura da própria casa. Além de ser uma opção para economia, a atividade pode proporcionar momentos de diversão e dar o toque de originalidade que faltava aos ambientes. No entanto, por outro lado, a pintura exige paciência, dedicação e, principalmente, boas escolhas.
Antes de botar a mão na massa, é importante definir a tinta ideal para o acabamento que se pretende dar. As opções em fosco, brilhante e acetinado são algumas das tintas encontradas em lojas. Para saber qual é a mais adequada para sua finalidade, basta ler as embalagens do produto. Segundo a gerente da Impermix, Juli Casellas, outros critérios de escolha podem ser estabelecidos pela uniformidade da superfície, local de aplicação e correção de possíveis imperfeições na parede. “Antes de qualquer aplicação, é necessário fazer uma limpeza da área que receberá a tintura, removendo qualquer outro material que possa contaminá-la”, aconselha.
Quanto à quantidade de tinta, deve-se considerar a área que receberá tintura, realizando o cálculo da altura pelo comprimento. É fundamental não se esquecer de descontar o local de armários embutidos, portas e janelas. Outro passo importante para a preparação da pintura é a escolha dos acessórios, como rolos, pincéis, bandejas, trinchas, fitas adesivas e lixas, entre outros. Optar por materiais de qualidade e que estejam de acordo com a função em que serão utilizados é essencial. No caso de pincéis e trinchas, a tintura é quem irá influenciar na escolha do modelo.
Quem pretende reformular o ambiente, pode se deparar com a situação de cobertura de cor preexistente. “Nesta situação, se a cor antiga estiver em tons claros, pode-se apenas pintar com a nova cor. Para tons escuros, será necessário passar uma tinta branca antes, de modo que a cor antiga não consiga interferir na próxima tonalidade”, explica Juli. A questão das cores também pode influenciar no rendimento da tinta, uma vez que cores intensas exigem mais de uma mão, ao contrário dos tons neutros que rendem mais.
A escolha adequada da tonalidade, entretanto, pode ser uma grande aliada da decoração do espaço. Por meio dela é possível usar táticas de pintura para encurtar e alongar o ambiente, esconder e destacar objetos, entre outras possibilidades. Basta usar a criatividade para pensar nas composições, brincar com texturas e, assim, obter um resultado tão bom quanto o de um profissional.
A vantagem de pintar a própria casa está justamente na liberdade para criar, fazer escolhas e trazer personalidade ao lar. Tudo isso no isso no estilo “Do It Yourself”.

pin

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.