Endocrinologista alerta sobre o consumo de refrigerantes entre as crianças

Myrna Campagnoli, endocrinopediatra e diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart, é quem debate o tema

A Coca-Cola Brasil, a Ambev e a PepsiCo Brasil anunciaram que crianças de até 12 anos não terão mais refrigerantes como opção nas escolas a partir deste segundo semestre. Para esta faixa etária serão comercializados apenas água mineral, água de coco, sucos com 100% de fruto e bebidas lácteas. Esta medida vale para as instituições que compram direto dos fabricantes e distribuidores. Para as que compram em outros pontos de venda, as empresas farão uma ação para os comerciantes se conscientizarem.

De acordo com Myrna Campagnoli, endocrinopediatra e diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart, esta novidade é muito bem-vinda, já que a obesidade infantil atingiu níveis alarmantes nos últimos anos. “Hoje, em virtude dos maus hábitos alimentares, além do sedentarismo, a tendência é termos mais crianças obesas, abrindo as portas para as ‘doenças de adulto’, como o diabetes tipo 2, alteração do colesterol e hipertensão arterial”, ressalta.

A médica explica que cada faixa tem suas necessidades nutricionais e, por isso, a quantidade de calorias e de alguns nutrientes deve ser adaptada. Outro ponto que deve ser analisado é a intensidade da atividade física. Quanto mais exercícios forem praticados, maior é a necessidade calórica. “O lanche da escola, por exemplo, deve representar 15% das necessidades calóricas diárias, o que varia entre 150 a 250 calorias”, afirma.

Myrna lembra que, na hora de escolher um alimento industrializado, o ideal é optar por aqueles com menos gordura e açúcar. Há algumas opções que são mais ricas nutricionalmente, com maior teor de fibras e com adição de vitaminas. “De qualquer forma, não devem estar presentes na rotina da criança e tampouco na lancheira da escola sucos de caixinha, refrigerantes, bolachas e bolinhos com recheio ou cobertura”, reforça.

Ainda em relação aos lanches da escola, sanduíches e sucos naturais devem ser priorizados. “O ideal é que o lanche seja levado de casa, pois assim os pais têm mais controle sobre o que os filhos estão comendo. Conforme a criança for crescendo e tendo dificuldade de aceitar os lanches enviados, o diálogo é a melhor saída: conscientize seus filhos sobre o benefício da alimentação saudável e os riscos de uma dieta não balanceada”, conclui a médica.

A especialista descreve que as brincadeiras podem ser grandes aliadas para evitar o ganho de peso, principalmente se realizadas pelo menos 90 minutos por dia. Embora as brincadeiras estejam sendo colocadas em segundo plano, devido aos jogos de computador, videogame e da TV, os pais devem incentivar os filhos a brincar e a praticar esportes. “Sempre que possível, devem brincar ou se exercitar junto com a criança, pois, além de estreitar os laços familiares, faz bem para a saúde de todos”, explica Myrna.

A brincadeira auxilia na perda de peso, no crescimento, no controle da ansiedade e melhora a autoestima. “Toda atividade que leva a criança a se movimentar e a se relacionar com outras crianças é de grande valia para a saúde física e emocional”, enfatiza.

Dicas para evitar que as crianças fiquem acima do peso
– Inicie as refeições principais sempre pelas saladas, legumes e verduras, antes dos itens principais;
– Não repita o prato principal;
– Evite excesso de doces, sobremesas e açúcar branco;
– Evite frituras e alimentos gordurosos;
– Não coma em frente à TV;
– Não “belisque” entre as refeições;
– Faça seis refeições por dia;
– Evite líquidos durante as refeições, principalmente, durante o almoço e jantar;
– Evite o refrigerante e as águas saborizadas. Prefira água, água de coco, sucos e chás;
– Coma devagar e mastigue bem os alimentos;
– Pratique um esporte ou atividade física diariamente, no mínimo 30 minutos por dia e, se possível, ao ar livre. No restante do tempo livre, não fique parado, pois movimentar-se é fundamental.

 Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart

O Laboratório Frischmann Aisengart completa 71 anos e é considerado uma referência para o segmento de medicina diagnóstica. Possui mais de 600 colaboradores e mais de 35 unidades no Paraná. São mais de três mil tipos de exames de análises clínicas, soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, além do serviço de vacinas. Para mais informações: www.labfa.com.br ou (41) 4004-0103.  Siga o Frischmann Aisengart nas redes sociais: Blog – blog.labfa.com.br; Facebook – facebook.com/laboratorio.fa.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.