Curitiba: Hoje Cabaret Vira Lata edição especial de Carnaval

Depois de estreia com casa cheia, o “Cabaret Vira Lata”, hoje, 21/02, edição especial de  carnaval, no Curitiba Comedy Club

Tony Cristal apresenta ao seu público um Cabaret recheado de atrações que passam pela comédia, mágica, malabarismo, paródia e o burlesco. Tudo num clima de folia e carnaval. A família Cristal, formada por Tony, Soraya Farofa e o filho adotivo, recebem os convidados: Marcel Cruz (vocalista do bloco Garibaldis e Sacis), cantando as marchinhas proibidas no Rio; o mágico argentino Nikito Ferreyra; Wagnah Jones (estrela do programa Boa da Pan, Rádio Jovem Pan), com paródias picantes; Thomé, um dos maiores malabaristas em atividade no Brasil; a performer Ruby Hoo com um número de burlesco em homenagem ao carnaval. Ainda haverá apresentação especial do Projeto Broadway (escola especializada na formação de atores para musicais).

 

Um cardápio de atrações das mais variadas espera o público no “Cabaret Vira Lata, especial Carnaval”. O show que está virando a “coqueluche” do show business curitibano. Um show igualzinho aos de Las Vegas. #SQN

Tony Cristal

O mestre de cerimônias do “Cabaret Vira Lata” é a mais nova criação do humorista Fábio Silvestre. Inspirado no homônimo Tony Clifton, criação do quase mítico comediante norte americano Andy Kaufman, vivido por Jim Carey no filme “O Mundo de Andy”. Mas também em referências bem brasileiras, como os cantores Cauby Peixoto, Reginaldo Rossi e o apresentador Chacrinha.

Tony Cristal, foi crooner de bandas de terceira categoria em diversos clubes e casas noturnas da cidade, locutor de strip-tease, entre outras tantas profissões. Ao assistir na internet, alguns vídeos de shows de Las Vegas, se encantou com a possibilidade de ter um show daqueles. Apostou os seus últimos trocados no leão e ganhou R$1600,00 no jogo do bicho. Com essa pequena fortuna e muita vontade decidiu montar um show igualzinho aos de Las Vegas.

Projeto Broadway

Uma das novidades dessa edição do “Cabaret Vira Lata” é a parceria com o Projeto Broadway. Escola especializada na formação de atores para teatro musical em Curitiba. A cada apresentação do Cabaret, um dos talentos do projeto vai apresentar um número de musical em sua versão original ou numa adaptação mais picante e bem-humorada.

Concurso

O cãozinho vira-lata que se vê na arte do “Cabaret Vira Lata”, desenhado por Fábio Silvestre, terá o seu nome escolhido pelas redes sociais e o vencedor receberá o prêmio durante a apresentação “Cabaret Vira Lata Carnaval”.

O cabaré pelo mundo

O cabaré é um formato que faz sucesso em todo mundo, sempre seguindo um formato que reúne um mestre de cerimônias e uma variedade de atrações artísticas. Bailarinas, mágicos, comediantes, cantores, malabaristas e uma boa dose de erotismo. Hoje, diversas cidades do mundo têm cabarés fixos, como Paris e seus Moulin Rouge, Lidô, entre outros.  Em São Paulo foi recém-inaugurado o Espaço Burlesque, do badalado restaurante Paris 6, com a direção de Maicon Clenk. E claro, Las Vegas com os seus diversos cassinos e hotéis, é um dos berços desse formato. O show “Absinthe”, do Caesars Palace Roman Plaza, já ultrapassou as 5 mil apresentações.

Serviço: Cabaret Vira Lata

Terça: 21/02/2017 a partir das 21h. Próximas apresentações confirmadas:07/03 e 2103/2017.

Apresentações quinzenais. Terça sim. Terça não.

Criação, concepção: Fábio Silvestre

Elenco Carnaval: Wagner Jovanaci, Nikito Ferreyra, Thomé, Ruby Hoo,  Fábio Silvestre, Eliezer Van der Brock, Débora Walz  e Projeto Broadway.

O elenco muda a cada apresentação.Indicado para maiores de 18 anos.

Local: Curitiba Comedy Club – R. Mateus Leme, 2467.

Ingresso: R$25,00

Reservas:(41) 3018-0474 e/ou WhatsApp (41) 98794-2954

Informações: www.curitibacomedyclub.com.br

Falando sobre  Fábio Silvestre (escritor, ator, humorista, produtor)

Para entender a multiplicidade — estética e temática — dos personagens encenados e dirigidos pelo artista Fábio Silvestre  (29 anos de carreira, 14 dedicados ao humor e 13 participações no Festival de Teatro de Curitiba), vale  voltar um pouco no tempo. Esse paranaense, de Ponta Grossa, encenou mais de 40 peças — do drama a comédia —, escreveu  10  espetáculos e dirigiu outra dezena. O reconhecimento do seu  talento  veio em 1997, com  o espetáculo “O Fio”  — escrito, produzido, dirigido e estrelado por ele. Grande sucesso de público e de crítica, a peça acabou vencendo quatro prêmios no Festival Internacional do Mercosul: melhor ator, melhor espetáculo, melhor iluminação

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.