80% das doenças visuais são preveníveis e podem ser tratadas, indica OMS

A saúde ocular sempre esteve sujeita a alterações causadas por diversos fatores, no entanto três deles são decisivos. O estilo de vida, o diagnóstico tardio e a falta de tratamento podem ser considerados as principais causas da cegueira, isso porque, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% de todas as causas de deficiência visual são preveníveis ou curáveis, dessa forma, a ausência de uma alimentação equilibrada e da prática de atividade física também são grandes responsáveis pela manutenção da visão.

Assim como podem influenciar negativamente, os hábitos alimentares também são armas que devem ser usadas na prevenção e controle de diversas enfermidades oculares, como o edema macular diabético, a degeneração macular da retina por idade e a oclusão da veia central da retina.  A seguir concentramos mais informações sobre cada uma delas:

EDEMA MACULAR DIABÉTICO (EMD)

A doença é caracterizada pelo acúmulo de líquido na mácula, localizada na parte central da retina, o que leva à perda de visão gradual, mas de forma acelerada. “O edema macular diabético é o acúmulo de liquido na região central da retina devido ao aumento dos níveis de açúcar no sangue e que ocasiona a perda de acuidade visual de forma progressiva. Essa é uma consequência muito comum do diabetes descontrolado, e por isso sempre observamos o paciente diabético mais de perto”, reforça o doutor Acácio Muralha Neto, Presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo.

De acordo com um levantamento da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), realizado em 2017, o Brasil ocupa a 4ª posição entre os países com maior prevalência de diabetes, isso quer dizer que 13,7 milhões de brasileiros estão mais suscetíveis ao risco de desenvolver o EMD.

 

DEGENERAÇÃO MACULAR DA RETINA RELACIONADA A IDADE (DMRI)

É degeneração da mácula ocasionada pelo envelhecimento. Essa deterioração causa uma diminuição da visão com a presença de uma mancha central no campo de leitura. Segundo estimativas da Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), aproximadamente 3 milhões de brasileiros acima dos 65 anos sofrem com a DMRI. Pacientes que ao longo da vida se expuseram a uma grande quantidade de radiação solar, que levam uma dieta rica em gordura e são tabagistas também estão suscetíveis a alteração.

 

OCLUSÃO DA VEIA CENTRAL DA RETINA (OVCR)

No caso da OVCR, há uma interrupção no fluxo sanguíneo da principal veia responsável por alimentar a retina, o que pode causar hemorragias e alterações no fundo do olho, comprometendo o campo visual do indivíduo. É comum que a perda da visão seja repentina e em apenas um dos olhos. “Durante a avaliação clínica é muito comum ouvir que aquele paciente tem outras doenças crônicas como a alteração da pressão arterial ou diabetes, e é nesse momento que ele percebe a influência que os hábitos saudáveis podem impactar na capacidade de enxergar”, informa o especialista.

 

A progressão da OVCR é fortemente induzida pela hipertensão e alto colesterol, mas a diabetes e o glaucoma também são fatores de risco importantes. A Sociedade Brasileira de Hipertensos (SBH) afirma que 33% da população é hipertensa, e, portanto, este grupo de pessoas estão na zona de riscos de desenvolver a OVCR.

Independentemente de qual for o distúrbio ocular, levar um estilo de vida saudável é essencial para a o controle e prevenção do agravamento dessas doenças. “A partir do momento em que o paciente é diagnosticado com o EMD ou a OVCR, por exemplo, é recomendado que haja uma mudança nos hábitos. Para isso, o acompanhamento com nutricionista e a prática de atividade física, além do encaminhamento para o especialista na doença crônica diagnosticada, são essenciais para o sucesso da administração dos distúrbios que estão contribuindo para a perda visual e, consequentemente, para a saúde ocular”, explica Neto.

Quando o paciente é diagnosticado com alguma enfermidade, o tratamento indicado tem como função interromper a progressão da doença e restaurar, quando possível, a visão perdida. O uso de terapias como o Aflibercepte (EYLIA®, da Bayer), por exemplo, é uma forma de tratamento inovadora que previne a cegueira potencialmente desenvolvida pela EMD, DMRI e OVCR. O uso do medicamento se faz por meio de aplicações intraoculares que atuam diretamente na área afetada.

 

Bayer: Science For A Better Life (Ciência para uma Vida Melhor)

A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de cuidados com a saúde humana e animal e agricultura. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar as pessoas e melhorar sua qualidade de vida. Além disso, a companhia objetiva criar valor por meio da inovação. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e com suas responsabilidades sociais e éticas como uma empresa cidadã. Em 2016, o grupo empregou cerca de 115 mil pessoas e obteve vendas de € 46.8 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2.6 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4.7 bilhões. Esses números incluem os negócios de polímeros de alta tecnologia, que foram lançados no mercado de ações como companhia independente nomeada Covestro, em 06 de outubro de 2015. Para mais informações, acesse www.bayer.com.br<Larissa.Gomes@bm.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.