Diabetes é responsável por 3 amputações por minuto no mundo

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o número de diabéticos em todo o mundo ultrapassa os 415 milhões. A previsão para 2040 é que sejam 642 milhões de pessoas com a doença. Uma das principais consequências desta enfermidade, o pé diabético, é que pode levar a um grave comprometimento do membro, podendo chegar até a amputação. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada minuto, três pessoas são amputadas no mundo em decorrência da doença.

O pé diabético ocorre devido à ação destrutiva do excesso de glicose (açúcar) no sangue. Essas alterações predispõem o surgimento de feridas, retardo no processo de cicatrização, deformidades no pé e o desenvolvimento de infecção com bactérias agressivas. Nestas situações, a pessoa pode se dar conta do problema, contudo, já se depara diante de um estágio bem avançado, requerendo uma atuação médica mais agressiva.

“O risco de amputação no cenário do pé diabético, aumenta de 15 a 40 vezes. Da população das pessoas com diabetes, pelo menos 25% delas, apresentarão sérios problemas funcionais. O percentual de úlceras diabéticas chega a 15%. A simples presença da ferida, dobra a chance de óbito dentro de 10 anos e a amputação maior, acima do tornozelo, em pacientes complexos, leva ao óbito em cinco anos, em quase 75% dos  casos. Morre-se mais gente de complicações do pé diabético, do que de Câncer de Mama, Câncer de Próstata, Câncer de Colon, Linfoma, AIDS, Associação de AIDS e Câncer de Mama, entre outras”, alerta o médico.

Dados relevantes sobre a diabetes:

Aproximadamente 14 milhões de brasileiros têm diabetes. O Rio de Janeiro é a cidade com maior número de casos com 10,4 casos para cada 100 mil habitantes. Natal e Belo Horizonte possuem 10,1 casos respectivamente, São Paulo 10, Vitória 9,7, Recife e Curitiba têm 9,6 e Boa Vista, que tem a menor prevalência,  apenas 5,3 casos por 100 mil habitantes.

Outra característica é a incidência pela faixa etária: O aumento da idade está relacionado com a prevalência da doença, sendo maior em pessoas mais velhas:

Pessoas com 65 anos ou mais, o índice é de 27,2%; de 55 a 64 anos de 19,6%, entre 35 e 44 anos é de 5,2% e entre 18 e 24 anos, o índice é menor, de 0,9%.

Apenas em São Paulo, a diabetes causou mais de 10 mil mortes e 20 mil internações, o que equivale dizer que a doença mata 1 pessoa por hora em SP (Secretaria Estadual de Saúde).

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o número de diabéticos em todo o mundo ultrapassa os 415 milhões. A previsão para 2040 é que sejam 642 milhões de pessoas com a doença.

Sobre o Dr Fábio Batista

Dr Fábio Batista (CRM – SP 87665 / TEOT 7662) é médico ortopedista, especializado em pés diabéticos e salvamento funcional de membros em feridas complexas. É chefe do ambulatório de Atenção Integral ao Pé Diabético e assistente doutor efetivo do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Unifesp (Escola Paulista de Medicina); Doutor efetivo da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo e integra o corpo clínico dos hospitais Albert Einstein, Osvaldo Cruz, São Luiz e Santa Rita em São Paulo.

Michele Barcena [imprensa@benditaimagem.com.br]