GS1 Brasil lança serviço de consultas de produtos para desenvolvedores de aplicações

Ferramenta cria uma Interface de Programação de Aplicativos (API) para programadores; informações fornecidas por fabricantes atende à forte demanda do mercado

Informação é um dos bens mais preciosos na era da transformação digital

O consumidor tem à sua disposição 16 aplicativos em média no seu smartphone atualmente. Das 244 milhões de linhas móveis em operação no Brasil, aproximadamente 198 milhões delas acessam a internet por smartphones, segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP). Considerando que o país conta com 206 milhões de habitantes, há uma concentração de mais de um aparelho por habitante. Portanto, o potencial de compras orientadas pelo acesso à internet móvel não tem limites – pelo menos do ponto de vista dos otimistas do contexto socioeconômico do país.

Ao aliarmos essas estatísticas aos conceitos de big data analytics, percebemos que proporcionar experiências inovadoras para os clientes tornou-se uma estratégia obrigatória. Para inovar, e encantar o cliente, todas as informações disponíveis podem e devem ser utilizadas. Desta forma, a análise de informações geradas pelo consumidor se torna uma ferramenta mais que eficiente e imprescindível para aumentar as vendas. Seguindo essa linha, a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil – entidade dedicada a oferecer serviços e soluções para varejo, saúde, transporte e logística – lança a API de informações de produtos com o objetivo de incentivar startups e desenvolvedores a criarem aplicações para o consumidor final.

Uma das metas do serviço será garantir ao consumidor a consulta de por informações registradas pelos fabricantes do país no Cadastro Nacional de Produtos (CNP) – uma base de dados online criada pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. De acordo com João Carlos de Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, “uma base de dados precisa e bem detalhada faz toda diferença para que as empresas ofereçam ao consumidor a confiabilidade que ele espera ao adquirir um produto”. “E é essa confiança na marca que a faz ganhar competitividade frente à concorrência”, completa.

Um exemplo para ilustrar essa tese é a constatação da GS1 do Reino Unido. Devido a ineficiências de processo, duplicidade de informações e soluções alternativas adotadas pelos vários integrantes da cadeia de abastecimento naquela região, houve prejuízo equivalente a R$ 4 bilhões entre 2010 e 2015. A soma refere-se a perdas em vendas e erosão dos lucros nos setores de indústria, distribuição e varejo.

Informação é um dos bens mais preciosos na era da transformação digital. A GS1 Brasil espera, com a iniciativa deste novo serviço de consultas a informações de produtos, que desenvolvedores criem aplicações bem criativas e fáceis de usar. “Ao abrirmos o acesso ao Cadastro Nacional de Produtos, estamos certos de que o mercado recebe informações cadastradas em um único local, com dados uniformes, sem intervenções de terceiros, já que os fabricantes são os responsáveis pela assertividade”, explica Oliveira. No sistema, é possível obter características detalhadas inseridas pelos fabricantes, com a descrição específica de um item, a marca e até mesmo um link para direcionar ao site do produto ou da indústria.

A Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, é uma organização multissetorial sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global. Em todo o mundo, a GS1 é responsável pelo padrão global de identificação de produtos e serviços (Código de Barras e EPC/RFID) e comunicação (EDI e GDSN) na cadeia de suprimentos. Além de estabelecer padrões de identificação de produtos e comunicação, a associação oferece serviços e soluções para as áreas de varejo, saúde, transporte e logística. A organização brasileira tem 58 mil associados. Mais informações em www.gs1br.org.