Câmara de Valores Imobiliários realiza segunda palestra sobre impactos do novo Plano Diretor

Corretores imobiliários associados estão se preparando para elevar o nível do debate durante a consulta pública envolvendo as propostas do poder legislativo para o setor

A Câmara Valores Imobiliários (CVI-PR) convidou a arquiteta Mariane Erbano Romeiro, da Primum Omnium Consultoria, Pesquisa e Projetos, para realizar a segunda palestra sobre o novo Plano Diretor de Curitiba nesta última segunda-feira (31), no auditório do Sindimóveis.

A arquiteta falou sobre as modificações e, com uma série de exercícios práticos, auxiliou aos convidados e associados da CVI-PR, a realizar cálculos para observar, em perspectiva, as implicações das alterações propostas pelo poder legislativo – que deverão ser apresentadas para consulta pública em setembro e, provavelmente, implementadas em outubro.

“Colocando exemplos e projeções, que tem como base as mudanças que terão efeito direto na rotina do corretor e as diferenças de custos, fica mais evidente a importância de debatermos este novo Plano Diretor a exaustão”, resumiu Mariane.

Segundo o presidente da Câmara de Valores Imobiliários, Marcio Favarim, é imprescindível que o setor esteja bem representado. “Ter disponível estes conhecimentos de forma antecipada é fundamental para auxiliar nossos corretores associados, por isso estamos realizando essa série de encontros para que todos estejam muito bem preparados”, ponderou o dirigente.

Fundamentos e mudanças

Durante a palestra, Mariane e os participantes simularam diversas situações, envolvendo projeções diretas, sobre como as alterações terão impacto no custo dos imóveis, com variáveis como, por exemplo, com o coeficiente de ocupação, densidade e, ainda, o custo de obra, impostos, comissão de vendas, marketing e pós-venda, que são preponderantes e que incidirão em um aumento no valor final do imóve, consequentemente, em dificuldade para que os futuros compradores consigam realizar os financiamentos.

“Estes novos custos serão determinantes para os investidores e construtores, sendo estes os verdadeiros balizadores do futuro mercado de imóveis — após a entrada em vigor do novo Plano Diretor como se desenha”, explica a arquiteta. “Nesta perspectiva o ideal é a aprovação de projetos com a lei atual, garantindo o valor dentro dos parâmetros já praticados”, enfatizou Mariane.