Quase 30 milhões de brasileiros sofrem com o zumbido

Chiados, barulhos semelhantes ao de uma abelha ou de uma cigarra: esses são alguns dos sons ouvidos por pacientes que sofrem com o zumbido. Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que o problema afeta quase 280 milhões de pessoas no mundo – no Brasil esse número chega a quase 30 milhões.

Veja também:
:: Deficiência auditiva pode aumentar casos de isolamento social nos idosos
:: Perda auditiva nos idosos: fique atento aos sinais
:: Cera de ouvido: problema ou proteção?

De acordo com o otorrinolaringologista Neilor Fanckin Bueno Mendes, da Otorrinos Curitiba, a exposição a sons de grande intensidade sem a proteção adequada pode causar a perda auditiva, que é uma das principais causas do zumbido. Geralmente, o zumbido pode acontecer em qualquer faixa etária, mas a incidência maior é nos idosos.

zumbido-mais-comum-idosos

“Nos idosos o zumbido é mais frequente porque é nesse período da vida que as doenças metabólicas e as perdas de audição se tornam mais importantes”, explicou o especialista.

Vale ressaltar, ainda, que o zumbido não é uma doença e sim um sintoma, e pode estar presente em diversas outras doenças, tanto nas do ouvido propriamente dita quanto em de outros órgãos, como diabetes e hipertensão.

Principais causas
Segundo Neilor, as principais causas do zumbido podem estar relacionadas principalmente à perda auditiva, otites, ao acúmulo de cera nos ouvidos, doenças metabólicas como colesterol alto, pressão alta e diabetes. “Também não podemos nos esquecer de que o estresse, a depressão, o uso de alguns medicamentos e uma dieta alimentar inadequada contribuem para o problema”, acrescentou.

Cuide da alimentação
Ficar de olho na alimentação está entre os cuidados necessários para quem quer ficar longe do zumbido.
“A má alimentação pode contribuir de maneira indireta. Quando não há uma alimentação adequada, ocorrem situações em nosso metabolismo que podem gerar o zumbido, como por exemplo, quando temos longo período sem comer ou o contrário, quando comemos uma grande quantidade de açúcar ou gorduras”, avalia o otorrino.

excesso-de-cafe-zumbido-

Outro ponto importante é prestar atenção no consumo de cafeína. “A cafeína, que está presente no café, em alguns chás e refrigerantes, também contribui bastante para a geração do zumbido. Portanto, uma alimentação balanceada é fundamental”, aconselha o especialista.

Tratamento
Dependendo da causa, o zumbido tem cura. Portanto, a dica é consultar um otorrinolaringologista assim que alguns dos sintomas aparecerem. “O tratamento adequado dependerá da origem do sintoma, que pode envolver desde medicamentos, fisioterapias, tratamentos ortodônticos ou até mesmo aparelhos auditivos específicos”, concluiu o otorrino.

Sobre Neilor Fanckin Bueno Mendes
Neilor Fanckin Bueno Mendes é formado em Medicina, com residência em Otorrinolaringologia pelo Hospital Angelina Caron, fellowship em Otologia pelo Hospital da Cruz Vermelha e estágio em Otologia e Otoneurocirurgia pelo Centre Hospitalier Universitaire de Bordeaux – França. É também preceptor de otologia dos serviços de otorrinolaringologia dos hospitais Angelina Caron e Cruz Vermelha.

Sobre a Otorrinos Curitiba
A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 20h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

Serviço:
Otorrinos Curitiba
Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês
Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084
Site: www.otorrinoscuritiba.com.br