Fisioterapia Pélvica: O que ela pode fazer por você

O assoalho pélvico é uma estrutura de fundamental importância para sustentação de órgãos, para manter a continência urinária e também para que haja uma boa função sexual. Ele é formado por músculos, ligamentos, fáscias e ossos que, em conjunto, darão todo o suporte necessário ao organismo. Quando uma dessas estruturas está lesionada ou não está forte o suficiente pode haver várias consequências como a incontinência urinária, incontinência anal (fezes e flatos), bexiga hiperativa, prolapsos de órgãos pélvicos, constipação, distúrbios miccionais e disfunções sexuais.

A fisioterapia pélvica é reconhecida como a primeira linha de tratamento conservador dessas disfunções. “Para que os resultados sejam bem-sucedidos em longo prazo é necessário disciplina e comprometimento do paciente com os exercícios propostos, associados ou não a medicamentos”, diz a fisioterapeuta Viviane Sobania. Quanto mais precocemente o paciente for encaminhado e realizar a fisioterapia pélvica, melhor será o resultado do tratamento.

Esta área da fisioterapia atua na prevenção e tratamento conservador das diferentes disfunções da região pélvica, mais especificamente relacionada a musculatura que envolve o assoalho pélvico, também chamado de períneo. Abrange tratamentos nas áreas de Urologia (sistema urinário), Ginecologia (sistema ginecológico), Coloproctologia (sistema intestinal e estruturas relacionadas), Sexologia e Obstetrícia (Pré e Pós parto).

Entre as técnicas aplicadas estão o diário miccional, tratamento comportamental, neuromodulação, biofeedback por EMG e treinamento dos músculos do assoalho pélvico. Após uma avaliação profissional, são definidos todos os protocolos necessários para cada paciente visando sempre a melhora de sua condição e bem estar.

ifrassessoria@gmail.com