O Dia Mundial do Rim, lembrado em 8 de março, é uma campanha da Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN) e International Federation of Kidney Foundations (IFKN) que há 13 anos prega a conscientização global sobre a importância da saúde dos rins. Informações e ações sobre prevenção e tratamento de doenças renais e fatores de risco são disseminadas mundialmente com o objetivo de reduzir o número de problemas renais e seu impacto em outras enfermidades.

Este ano, o tema do Dia Mundial do Rim é “Saúde da Mulher – Cuide dos seus rins”, já que a data coincide com o Dia Internacional da Mulher. Segundo Mario Augusto Delgado, urologista do Hospital Santa Paula, a gestação, o uso de anticoncepcionais e o período da menopausa podem influenciar na pressão arterial da mulher e contribuir para o mau funcionamento dos rins.

De acordo com o Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde da Universidade de Washington (IHME), 195 milhões de mulheres sofrem de insuficiência renal crônica no mundo. A doença é a oitava causa de morte do sexo feminino e leva 600 mil mulheres a óbito por ano.

Disfunções renais - entenda

Doenças renais, de maneira geral, apresentam sintomas como pressão alta, inchaço ao redor dos olhos e nas pernas, fraqueza, náuseas e vômitos, dor lombar e problemas de urina como queimação ou dor ao urinar, urinação frequente à noite, dificuldade para urinar, urina com aspecto sanguinolento ou espuma.

A insuficiência renal crônica consiste em uma lesão renal e é responsável pela perda progressiva da função dos rins. Ela se manifesta de maneira silenciosa no estágio inicial, o que dificulta a realização do diagnóstico precoce.

“Para tornar mais rápida a detecção da doença renal crônica é necessário que as pessoas saibam quais são os grupos de risco e façam, anualmente, o exame dos níveis de creatinina sérica e a pesquisa de proteína na urina”, afirma Mario Augusto.

Os grupos de risco para desenvolver a enfermidade são: hipertensos, diabéticos, portadores de doenças cardiovasculares, familiares de portadores de doença renal crônica, idosos, obesos, tabagistas e com histórico de doença do aparelho circulatório.

Embora a patologia não tenha cura, é possível viver com qualidade se o tratamento adequado for realizado. Hoje, o uso de medicamentos, a diálise e o transplante de rins fazem parte dos cuidados da doença, além da adoção de hábitos diários saudáveis.

Dicas de prevenção do especialista

Confira abaixo cinco dicas do urologista do Hospital Santa Paula, Mario Augusto Delgado, para prevenir o desenvolvimento de doenças renais:

  • Beba muita água. Manter o corpo hidratado faz com que os rins filtrem melhor o sangue e as impurezas e evita a formação de cálculos.
  •  Evite a automedicação de analgésicos, eles podem sobrecarregar os rins.
  • Limite a ingestão de bebidas alcoólicas, elas são altamente tóxicas e prejudicam o funcionamento normal dos órgãos.
  • Mantenha os exames médicos em dia, eles podem te auxiliar a detectar alguma disfunção.
  • Pratique exercícios físicos periodicamente e adote uma dieta balanceada, com pouco sal e gordura. Manter uma vida saudável auxilia no bom funcionamento dos rins.

Informações:

Sociedade Brasileira de Nefrologia - http://www.sbn.org.br ?

World Kidney Day – http://www.worldkidneyday.org

daiane.leide@comuniquese2.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos.

O nervo ciático é responsável por controlar as articulações do quadril, joelho e tornozelo e, também, os músculos posteriores da coxa e os músculos da perna.  A lombociatalgia, mais conhecida como "dor no ciático", é um problema...
Fechar Menu