Automedicação pode agravar as doenças respiratórias comuns no inverno

Uma mesma infecção pode ter sintomas diferentes e levar à escolha errada da medicação pelo paciente

Com a chegada dos dias mais frios também aumentam os casos de doenças respiratórias. Uma das atitudes comuns entre as pessoas é tomar algum analgésico ou anti-inflamatório quando surgem os primeiros espirros, coriza ou febre baixa. De acordo com o otorrinolaringologista Mohamad Feras Al Lahham, do Hospital Novaclínica, esse comportamento é perigoso e pode acabar agravando uma doença.

“Os pacientes costumam pegar o anti-inflamatório que a mãe já tomou, o antibiótico que o irmão já usou... Mas, esses dois tipos de remédios podem acabar mascarando doenças mais graves, o que pode interferir na escolha do tratamento adequado e acabar agravando a doença”, alerta e acrescenta: “Meu conselho é que você até pode tomar um paracetamol ou dipirona, se não for alérgico a esses medicamentos, mas também deve procurar um médico logo em seguida para saber qual o medicamento correto em seu caso”, explica.

Essa avaliação especializada é fundamental, pois os sintomas como coriza, espirros, obstrução de vias nasais (nariz trancado), febre, mal estar, dores nas articulações, náuseas, vômitos e diarreias podem ocorrer de maneiras diferentes em qualquer uma das doenças e enganar o paciente. “Uma pessoa com sinusite, que costuma causar dores de cabeça, pode ter apenas obstrução das narinas e achar que está com um resfriado. Se não procurar um médico, não irá tomar o medicamento necessário, que costuma ser antibióticos no caso das sinusites, por exemplo, o que pode levar a uma infecção mais grave, como bronquite ou pneumonia”, alerta Mohamad Feras Al Lahham.

Sem um tratamento adequado, qualquer doença respiratória pode acabar tendo um agravamento, segundo o otorrinolaringologista. “Uma pessoa que teve uma gripe ou resfriado e não fez o tratamento correto, ou seja, não tomou os medicamentos certos, não teve uma alimentação adequada e nem bebeu muita água, pode acabar desenvolvendo uma infecção repiratória mais grave, especialmente, as pessoas mais debilitadas ou com imunidade baixa.”

No caso dos idosos e crianças, a atenção deve ser ainda maior. “As pessoas na terceira idade costumam ter outras doenças associadas, como diabetes ou pressão alta e isso pode deixá-los mais debilitadas e facilitar o surgimento de complicações. As crianças também costumam ter imunidade mais baixa e podem ter alergias respiratórias mais frequentes ou amidalites de repetição quando não tratadas corretamente, por exemplo”, afirma  Mohamad Feras Al Lahham.

Como fazer para prevenir as doenças respiratórias
Algumas atitudes simples podem ajudar na prevenção das infecções respiratórias. O otorrinolaringologista indica quais são os principais cuidados:

- Sempre abra as janelas e deixe os ambientes arejados. Locais fechados facilitam a transmissão de vírus e bactérias;

- Lave bem as mãos, principalmente, depois de frequentar lugares públicos;

- Tente evitar mudanças bruscas de temperatura, como, por exemplo, deixar o aquecedor em uma temperatura muito alta em casa e, logo depois, sair na rua onde a temperatura está bem mais baixa;

- Troque as roupas de cama e toalhas de banho com mais frequência e procure deixar a casa limpa;

- Tenha uma alimentação mais saudável, rica em frutas e verduras e beba bastante água para tentar evitar queda de imunidade;

- Caso sinta qualquer sintoma, por mais leve que seja, procure um médico para realizar um tratamento adequado e evitar o agravamento da doença.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu