A exposição “Traços e Cores do Paraná”, aberta na noite dessa quinta-feira (17) no Ecomuseu da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), apresenta ao visitante um pouco dos costumes dos paranaenses no início do século 20 por meio das telas de Alfredo Andersen (1860-1935). O artista é considerado o “pai da pintura paranaense”. A mostra, que faz parte da programação de aniversário da Itaipu, prossegue no local até 2 de setembro.

Além de conhecer um pouco mais sobre o Paraná do passado, por meio de 21 telas de retratos familiares, paisagens campestres, urbanas e marinhas, os visitantes poderão interagir com a réplica do ateliê de Andersen montada no Ecomuseu. É possível sentar na cadeira “do pintor” e tirar fotos no local.

Radicado em Curitiba, o norueguês é reconhecido como o pai das artes plásticas paranaense não apenas pela qualidade de suas pinturas, mas por compartilhar seus conhecimentos. Ele fundou a primeira escola de artes do Paraná. Além de pintor, Andersen foi professor de inúmeras personalidades como Estanislau Traple, Theodoro de Bona, Lange de Morretes, José Daros, Helena Wong, Domício Pedroso, entre outros.

“É um legado artístico importante e que todo paranaense deveria conhecer. No Ecomuseu, essas obras ficarão mais acessíveis ao público da região. Essa iniciativa é parte de nossa missão de disseminar a arte e a cultura”, disse o superintendente de Meio Ambiente da Itaipu, Ariel Scheffer da Silva.

Para Scheffer, a forma como Andersen retratou a biodiversidade do Paraná mostra que a natureza não recebeu a proteção adequada ao longo dos anos. “A imagem daquela época mostra que não estamos cuidando adequadamente do nosso patrimônio natural. Perdemos muito”.

Acervo

A réplica do ateliê mostra um pouco do seu estilo de vida, segundo a curadoria da “Traços e Cores do Paraná”. Com a morte do artista, o ateliê-escola original na Rua Mateus Leme, em Curitiba, tornou-se a sede do Museu Alfredo Andersen (MMA). O prédio abriga boa parte do acervo de onde foi emprestada a maioria dos itens expostos no Ecomuseu.

Entre as obras em exibição no Ecomuseu também está a tela Queimada/Lavadeira (sem data), que faz parte do acervo do Palácio Iguaçu e decora a sala dos governadores do Paraná. Do Museu Oscar Niemeyer pertence o quadro “Residência da família Laforge” (1907). Outros cenários retratados pelas pinceladas de Andersen são a “Entrada de Barra do Sahi” (1930), a “Estrada de ferro” (1925), a “Paisagem de Santa Tereza” (1925) e a terra natal do norueguês, “A paisagem de Khristiansand” (sem data).

Paixão pelo Brasil

O bisneto do pintor, que preside a Associação de Amigos de Alfredo Andersen, Wilson Andersen Ballão, representou a família do artista na cerimônia de abertura, na quinta-feira (17), com a presença de jornalistas, professores e artistas locais.

Wilson Ballão destacou que as obras de Andersen revelam sua paixão pelo Brasil e pelo Paraná. “Eu não o conheci, mas tudo que li e escutei sobre ele demonstra que sua característica mais marcante foi o fato de querer ser brasileiro”. Uma das provas foi a troca do seu nome de Alfred para Alfredo depois de viver no Brasil, por se considerar brasileiro. “Ele não só traduziu ou expressou essa emoção nas telas, mas se dedicou ao ensino do que entendia como arte aos seus irmãos brasileiros”. Em 1931, quatro anos antes de sua morte, ele recebeu o título de Cidadão Honorário de Curitiba.

O evento também teve a participação da diretora do Museu Alfredo Andersen, Débora Maria Russo; do vice-prefeito de Foz do Iguaçu, Nilton Bobato; e do coordenador do Núcleo Regional da Casa Civil, Gessani da Silva.

A mostra é promovida pelo Governo do Paraná, Secretaria de Estado da Cultura, Museu Alfredo Andersen, Sociedade Amigos de Alfredo Andersen e Ecomuseu de Itaipu.

Entrada gratuita

A entrada no Ecomuseu é gratuita para moradores de Foz do Iguaçu e demais municípios lindeiros ao lago de Itaipu, assim como crianças até 5 anos.

O valor do ingresso integral é de R$14, mas possuem direito a meia entrada PCD’s, crianças de 6 a 11 anos, idosos, estudantes, professores, doadores de sangue e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

 

Serviço

Exposição “Alfredo Andersen, Traços e Cores do Paraná”
Local
: Ecomuseu de Itaipu (Avenida Tancredo Neves, 6001, Foz do Iguaçu-PR)
Período expositivo: até dia 2 de setembro de 2018
Horário de visitação: terça a domingo, das 8h às 17h
Ingressos: R$14 e R$7 (meia entrada)
Informaçõesecomuseu@itaipu.gov.br | (45) 3520-5816
www.turismoitaipu.com.br/pt/atracoes/ecomuseu 

 

Fotos: AZ: Adenésio Zanella/Itaipu Binacional / NR: Nilton Rolin/Itaipu Binacional

Talvez você se interesse por estes artigos.

Fechar Menu