Projeto de educação sexual ensina as consequências de uma gravidez precoce

0
288

Desenvolvido há 17 anos pela Escola Atuação, o projeto “Sou responsável por mim, pelo meu corpo e pela minha vida” tem início nesta semana, trazendo professores e especialistas em saúde, desenvolvimento e sexualidade para uma série de palestras e atividades com alunos do 8º ano.

Uma das palestras é apresentada por uma mãe que engravidou aos 16 anos. “A palestrante conta aos alunos os desafios e dificuldades que encontrou, a falta de informação que teve, os sonhos que tiveram que ser adiados, e a responsabilidade de cuidar de uma vida sem ter preparo para isso. Ao longo dos anos, já conscientizamos centenas de adolescentes quanto ao cuidado com a gravidez precoce. Até hoje, nunca tivemos nenhum caso na escola”, destaca a psicopedagoga Esther Cristina Pereira, diretora da Escola Atuação.

Além da gravidez adolescente, temas como mudanças físicas e de comportamento, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e métodos anticoncepcionais também serão abordados em palestras com profissionais da Saúde, Psicologia e do Direito. “A vida sexual está começando cada vez mais cedo e os adolescentes precisam estar preparados para lidar com a sexualidade de forma correta e responsável. Para reforçar o aspecto da responsabilidade legal, sempre trazemos um advogado que explica questões jurídicas sobre gravidez precoce”, explica a diretora.