Aplicação das terapias integrativas em pacientes oncológicos é tema do programa IOP Orienta

O Instituto de Oncologia do Paraná (IOP) realiza nesta quarta-feira, dia 20, às 17h, na unidade IOP-Oncoville, uma demonstração prática das terapias integrativas atualmente utilizadas no tratamento de pacientes com câncer. A responsável será a farmacêutica bioquímica Manoela Scremin, formada na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), especialista em Acupuntura pelo Instituto Brasileiro de Therapias e Ensino (Ibrate) e em Análises Clínicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e atualmente pertencente à equipe de Terapias Complementares do Valencis Curitiba Hospice. Pacientes, familiares e acompanhantes terão a oportunidade de conhecer florais, óleos essenciais e ainda fazer um tratamento terapêutico chamado auriculoterapia, que consiste na estimulação de pontos (por pressão, usando, neste caso, cristais) nas orelhas.

As terapias integrativas, mais do que apenas um apoio ao tratamento oncológico, se constituem num importante mecanismo de controle da dor e do equilíbrio emocional e psicológico, o que auxilia no processo de compensação do organismo, de forma global, fortalecendo, assim, o sistema imune. Durante o tratamento oncológico, os medicamentos quimioterápicos, radioterápicos e cirurgias geram diversos desequilíbrios no organismo, para além da doença. Sintomas emocionais muito específicos como irritabilidade, ansiedade, medo, culpa, raiva podem ser remediados com florais e também com óleos essenciais. Estes, assim como a acupuntura, ajudam também em situações muito comuns aos pacientes oncológicos, como insônia, falta de apetite e dores, por exemplo.

Integra essas terapias a ampla abordagem diagnóstica da Medicina Tradicional Chinesa, como a própria acupuntura, e ainda a fitoterapia e auriculoterapia, que aliviam sintomas físicos, mentais e emocionais. “Vamos trazer um olhar para essas práticas, entender como atuam e experimentá-las durante a realização do encontro do IOP Orienta”, destaca Manoela Scremin.

Investigações vigentes já permitem concluir, por exemplo, que a acupuntura pode ajudar a modular o sistema imunológico. Essa terapia ajuda a minimizar, também, os efeitos colaterais da quimioterapia, como náusea, vômito, diarreia e desidratação, além de melhorar a disposição, o ânimo e a alegria de viver do paciente para lidar com a doença.

O evento ocorre na sala de espera da quimioterapia da unidade IOP-Oncoville, localizada na Marginal Rodovia BR-211, 1437, Ecoville. Para participar é necessário fazer a inscrição pelo e-mail psicologia@iop.com.br, pelo fone (41) 3099-5874 ou diretamente nas recepções das unidades IOP.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com