Primeira Orquestra Jovem do Paraná reúne jovens de projetos sociais e músicos de 7 estados brasileiros

Fundada em 2018 pela Associação Musical Alegro, a orquestra é o objetivo principal das crianças e adolescentes atendidas pela organização paranaense

A Orquestra Jovem Alegro (OJA) é um sonho realizado para a Associação Musical Alegro e para os participantes dos três projetos sociais que ela apoia. São mais de 400 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social atendidas com aulas de formação musical na Região Metropolitana de Curitiba e em Antonina que agora contam com uma orquestra onde poderão ter suas primeiras experiências profissionais.

“A Alegro não cuida só da criança, ela também pensa no jovem de 23 anos que está se formando e ainda não tem experiência para uma audição em orquestras profissionais”, diz o maestro da OJA, Thiago dos Santos. O principal objetivo da orquestra jovem é se consolidar como um primeiro contato com a música profissional para os jovens que se formarem nas escolas de música dos projetos sociais atendidos pela Alegro.

Geralmente formadas por músicos entre 18 a 29 anos, as orquestras jovens existem no mundo inteiro como um espaço para que músicos recém-formados possam dar seus primeiros passos no mundo do música profissional.

A ideia da criação de uma orquestra jovem surgiu há 2 anos na Alegro. A proposta era montar uma orquestra de alto nível, porém que também se preocupasse com a integração e aspiração das crianças dos núcleos atendidos, as quais jamais haviam tocado em uma orquestra antes. “Foi uma mistura inédita”, disse Edward Matkin, fundador da Associação Musical Alegro e idealizador da OJA. “Reunir alguns dos melhores músicos do país e integrá-los com as crianças dos núcleos daqui”.

Para a contrabaixista Giovanna Contador, de Bauru, São Paulo, foi muito gratificante ver a inclusão das crianças dos núcleos na orquestra. “A Alegro dá oportunidade às pessoas, sem tratá-las apenas como crianças de periferia”, disse Giovanna.

Giovanna foi uma das 70 bolsistas convidadas a participar do festival de quatro dias que lançou a OJA. Ela é formada em música e estudou no Conservatório de Tatuí, referência em formação musical no Brasil. “O Festival Alegro foi construído com base no amor e na sabedoria. Toda a organização estava sempre acessível e preocupada conosco. Foi por isso que deu tudo tão certo”, disse a musicista.

Thais Piaia, bolsista vinda de Cascavel, concorda. “Eu nunca tive na vida a experiência que pude ter com a OJA”, conta a violinista. “Foi a melhor de todas, e eu já estou no violino há 10 anos. A orquestra puxou de mim aquilo que eu não sabia que conseguia fazer”, ela complementou.

Segundo Thiago Santos, o repertório escolhido para a orquestra durante o festival não foi fácil. “Sabíamos que era a primeira vez de muitos em uma orquestra, então escolhemos obras desafiadoras, para que eles realmente tivessem experiência profissional”, afirmou o maestro.

A Orquestra Jovem Alegro começou como produto final de um festival, mas a harmonia do grupo foi tão grande que a ideia agora é mantê-la. “Foi um trabalho em equipe. Conseguimos em poucos dias o resultado de uma orquestra que trabalha junto há meses”, disse o maestro Thiago Santos.

Após o sucesso de seu concerto inicial no Festival Alegro, em novembro de 2018, o maestro, o diretor Edward Matkin e os músicos têm o mesmo sonho: consolidar a Orquestra Jovem Alegro como porta de entrada do mercado de trabalho para jovens músicos, em especial para as crianças e adolescentes atendidas nos projetos sociais apoiados pela Alegro que buscam uma primeira oportunidade de carreira na música.

Serviço

Associação Musical Alegro

Rua Trajano Reis, 40, Centro

(41) 99870-6229

http://alegromusic.org/

<[email protected]>

Comments are closed.